23.1.18

Bernkastel-Kues

Eu adoro ir para a Alemanha! Há cidades e cidadezinhas lindas por lá, onde só uma "voltinha" por elas já faz toda a viagem ter valido a pena.

Bernkastel-Kues é uma dessas cidades. Situadas às margens do rio Mosel, Bernkastel-Kues parece ter saído de um conto de fadas. A arquitetura te remete a isso e cada vez mais dá pra entender porque a Alemanha inspirou tanto os irmãos Grimm's a escreverem as suas histórias: o país é lindo e cheio de cidadezinhas pitorescas pra visitar e sonhar.

Bernkastel-Kues: uma surpresa em cada vielinha.
Estivemos nesta cidade no feriado de Páscoa do ano passado e para abril o tempo ainda não estava lá essas coisas, entretanto a cidade estava lotadíssima.

 
A cidade é cheia de pequenos detalhes nas construções, muitas fazendo referências aos vinhos. A região é considerada a mais antiga produtora de vinho da Alemanha.
Bernkastel Kues foi fundada em 1300. Ela fica situada na região denominada Renânia Palatinado e além dos vinhedos ela tem a arquitetura toda desenhada por casinhas no estilo einxamel. Uma graça!

Devido ao tempo tão nublado, talvez essas fotos não façam jus a beleza da cidade. Revendo-as fiquei com vontade de voltar lá em outra ocasião que tenha sol. Mesmo assim, eu sempre acho que vale a pena sair de casa para conhecer surpresas assim, como foi com Bernkastel-Kues!
Continue lendo ››

20.1.18

Pontresina

Pontresina é uma cidade suíça localizada no cantão de Graubünden. É a vizinha menos glamourosa de St. Moritz. Entretanto St Moritz não apagou o brilho dela. Pontresina é uma cidade muito da charmosinha e ela serve de hospedagem para muitos que não querem (ou não podem) pagar os preços da luxuosa St Moritz. E não faltam hotéis aconchegantes em Pontresina.
De Pontresina é possível visitar várias cadeias alpinas, como Piz Bernina (onde está a montanha Diavolezza) e Morteratsch.

Kronenhof: um dos hotéis mais luxuosos de Pontresina
A arquitetura da cidadezinha de Pontresina é bem especial. Com um desenho tradicional alpino, as casas e fachadas encantam pelos desenhos e pela riqueza dos detalhes.

Museu Alpino
Chesa (casa no dialeto romanche) Diavolezza


Uma curiosidade em relação as casas é que no passado a solução que os arquitetos encontraram para que houvesse mais entrada de luz nas casas foi deixar uma espécie de vão nas janelas, com isso a claridade ficaria mais tempo retida nas casas.


Essa idéia foi mantida até os dias de hoje e quase todas as janelas de casas e estabelecimentos comerciais são assim.



 Enfim, Pontresina é uma cidadezinha super agradável e que dá pra "conhecer" em algumas horas.
Continue lendo ››

16.1.18

Comprinhas no Brasil

Não, eu não voltei recentemente do Brasil, mas lembro que sempre que eu vou pra lá as pessoas ficam curiosas pra saber o que eu gosto de comprar para trazer à Suíça, seja pra mim, seja pra presentear.

Embora eu tenha me adaptado muito bem ao estilo de vida e às coisas que temos aqui, tem sempre aqueles produtos que não tem como não deixar de trazer.

Um pouco da minha mala de expatriada quando volta do Brasil :-)
Eu trago sempre alguma coisa de verão, como sandálias, chinelo havaiana (cuja qualidade tá caindo hein Alpargatas??), produtos da Natura, vinho brasileiro (pra mim e pra presentear), balinhas de goma, que eu adoro!, artesanato e pedras brasileiras, bolacha água e sal (tem aqui, mas as do Brasil, na minha opinião, são mais gostosas), sabonetes da Phebo (adoroooo o cheiro deles pra perfumar gavetas, meu aroma favorito é o de flor da Turquia).
Adoro pedras e cristais
Tem mais coisas, só que ultimamente já não trago tanta coisa de comer, porque já fiz isso e acabei tendo que jogar muita coisa fora, prefiro ir comprar em alguma loja brasileira aqui da Suíça só realmente quando eu estou com vontade ou precisando de algo mais específico. Então acabo trazendo mais produtos com maior tempo de duração, como alguma maquiagem, roupas e esmaltes.

Por falar em esmaltes...saudade das manicures brasileiras, rs... pra mim, por exemplo, os melhores esmaltes (bons e baratos) são do Brasil. Não que aqui não tenha, mas os melhores esmaltes (Essie, Opi) são sempre muito caros. Neste ponto Colorama, Risque, Niasi do Brasil não deixam a desejar. Faz tempo que estou na febre de usar as cores Café + Rebu.
Café + Rebu
Foto: Erika Makeup blogspot
 Também comprei esmaltes e um blush da Vult pra experimentar. Adorei as cores!

Comprei vestidos com estampas bem verão! A moda verão do Brasil é imbatível!!
Experimentei restaurantes diferentes, como o Bistrô da Sara que fica na região do Bom Retiro.
Comida brasileira com um toque requintado. Muito bom!
Gosto muito também de sair para ver e comprar artesanato na cidadezinha de Embu das Artes

E vocês, o que não deixam de trazer quando vão ao Brasil?

Continue lendo ››

9.1.18

Diavolezza, a montanha encantada

"Lá em cima, no topo de uma montanha suíça, há um sanatório onde tudo é relativo,
a começar pelo tempo... tempo é uma noção vaga, subjetiva.
Da mesma forma o espaço: as montanhas que impressionam Hans
são vulgares para Joachim.
Os contrastes culminam com a atitude perante a morte:
trivial para um, estranha para o outro..."
A montanha mágica, Thomas Mann
Não foi por causa da montanha Diavolezza que Thomas Mann escreveu o livro Montanha Mágica, mas certeza que se inspirou nos lindos alpes para escrever o seu livro.
 

Diavolezza em italiano é o feminino de Diabo e reza a lenda que nessa montanha, há muitos anos atrás, vivia uma fada que fazia com que os homens desviassem do seu caminho para que nunca mais fossem vistos. Eles eram seduzidos pela fada e desapareciam na beleza dessa cadeia de montanhas.

Verdade ou não, essa cadeia de montanhas continua encantando (sem a fada! rs) e atraindo muitas pessoas para caminhadas e esportes de inverno.

Parada para um lanchinho nas montanhas
A Diavolezza está perto da fronteira com a Itália e pertence a região de Pontresina, que por sua vez está localizada no cantão de Graubunden. É a cadeia montanhosa do Piz Bernina, um dos passos de montanhas mais bonitos da Suíça Romande.

Pausa para o café. A torta de nozes é uma especialidade da região de Graubünden
Como eu já escrevi aqui neste blog, os suíços gostam muito de caminhadas nas montanhas. Eles fazem isso desde muito cedo, por isso alguns vão até sozinhos mesmo para os alpes.
Subindo com o cable train: lago artificial região Piz Bernina
Eu não sou ninguém aqui pra dar "conselho" sobre caminhadas em montanhas, até porque eu só conheci mesmo de verdade os alpes quando vim morar aqui. Mas, sempre preste atenção nas sinalizações das montanhas para não ter problemas. Se você não conhece bem, procure sempre ir em grupos e se sozinho, mantenha-se em um espaço de segurança, não se arrisque em penhascos ou lugares muito vazios.
Alguns passos de montanhas são bem específicos para pessoas experientes. Mesmo grupos de alpinistas habituados às montanhas podem ter problemas, como foi o caso no dia que estivemos nesta cadeia de montanhas, onde um grupo de alpinistas sofreu um grave acidente.


Os percursos são sempre bem sinalizados.Os cantões regulamentaram a responsabilidade pelas trilhas de hiking. Normalmente quem sinaliza a marcação são associações (Verein em alemão) de montanhistas da região.

Por exemplo, o percurso sinalizado em amarelo é o mais fácil. Não exige nenhuma experiência do pedestre em caminhadas, são caminhos planos e sem desníveis. O tempo estimado também não sofre muitas alterações, a não ser que você seja ainda bem iniciante e não tenha por hábito caminhar muito.

O percurso vermelho-branco-vermelho exige mais cuidados. Sáo trilhas onde o caminhante precisa de ter uma boa condição física e uma certa experiência em trilhas na montanhas. O calçado deve ser apropriado para montanhas, pois há muitos desníveis e - literalmente - pedras pelo caminho. O risco de queda e escorregões é mais frequente, porém seguindo a sinalização e tomando cuidados, eu diria que para um nível intermediário é a trilha perfeita.

Já o percurso sinalizado em azul-branco-azul, é o mais difícil e exige já certa experiência. Já é necessário, em algumas situações, usar cordas e instrumentos mais específicos de hiking nas montanhas. Aqui já não é mais coisa de "aventureiro", muitas pessoas se organizam e vão em grupos dada a dificuldade do percurso.

No dia em que eu estive na Diavolezza eu fiz esse percurso, foi um pouco tenso, mas deu tudo certo! Eu fiz esse passeio em agosto, agora as montanhas já estão cobertas de neve e lotada de esquiadores. Se você gosta de esportes de neve, a hora é agora. Para fazer hiking será necessário esperar um pouco mais até o verão.
Hasta la vista, alpes!
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...