18.9.18

Verão magia



Quando entrar setembro
E a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão
Onde a gente plantou.
Beto Guedes, Sol de Primavera

Pois é, setembro chegou e esse post deveria ser sobre o começo do outono, mas é que este ano nós tivemos (ou melhor, estamos tendo) um verão tão maravilhoso, que não deu pra não escrever agradecendo por isso.

Ficou realmente difícil encontrar tempo para sentar e escrever aqui. Com tanta coisa e tanta vida acontecendo lá fora, o blog foi ficando para escanteio.

Já estamos no final de setembro e até agora o sol e o calorzinho tem nos acompanhado. Desde que eu moro aqui eu nunca vi um verão tão longo. Na verdade desde abril que o tempo por aqui tem sido bem agradável, com poucos dias realmente "feios". Faltou chover, porque desde há muito tempo não se tinha notícia de um verão tão seco. Nós também tivemos, lá pelos meados do mês de agosto, umas duas semanas de calor insuportável (Hitzewelle, nome alemão para onda de calor), mas passou, e o verão voltou a reinar absoluto por aqui.

Eu já tinha começado a me despedir do verão lá pelo finalzinho de agosto, mas nada dele ir embora, rs...meus casacos de outono ainda estão guardados, as sandálias e as sapatilhas ainda estão sendo usadas e a gente vem aproveitando a vida ao ar livre como nunca.

Cafezinho gelado na varanda em um fim de tarde bem quente de setembro
Eu fiz tanta coisa neste verão, em partes também por causa do bom tempo, porque atividades outdoor são bem mais fáceis de organizar. Teve viagem para Berlin (presente de anivesário), também fomos para Dresden, Weissen, Eisnach e Bamberg, cidades alemãs muito lindas e interessantes para se conhecer. Valeria escrever um post para cada uma delas, massss deixemos isso para os blogs de viagem, rs... 
Dresden e a Frauenkirche (igreja de Nossa Senhora)
Foto clichezona de Berlin, com o portão de Bradenburgo ao fundo
Fora essas viagens, fizemos também alguns hikings pelas montanhas suíças, cuja beleza e suntuosidade sempre nos impressiona.
Kleine Scheidegg, Suíça
"Todos os caminhos levam à morte. Perca-se". Jorge Luis Borges

 


Também fizemos muita coisa em casa mesmo, pra curtir nossa varanda com amigos, papeando, comendo comidinha e churrasquinho caseiro.  Depois de ter "conhecido" uma galera pouco confiável por aqui, como é bom ter gente bacana, confiável e amiga de novo por perto. Só posso agradecer!


Detalhe da decoração de uma mesa que fiz para receber amigos em casa, no dia do jogo do Brasil!!
Almocinho com vinho chileno para celebrar o verão!!
Enfim, em breve as roupas e os sapatos de verão serão guardados. Os cobertores e os casados de
inverno farão parte dos nossos dias. As manhãs já estão acordando mais friazinhas e a noite já cai dia a dia bem mais cedo. Pelo calendário, a despedida do verão europeu será no dia 22 de setembro e embora eu adore o outono, pela primeira vez eu não estou com saudade dele, rs... Mas, a vida segue o seu ciclo e o outono-inverno serão também mais que bem-vindos!

Thanks Lord por tão maravilhoso verão!! 

E vocês, como foram de verão?
Continue lendo ››

25.7.18

Poliéster não refresca

Finalmente resolvi passar neste blog que anda muito abandonado... enfim, coisas da vida. Mas, vamos escrever sobre coisas boas, como o verão, por exemplo, que este ano está finalmente podendo ser de fato chamado de verão. E está bem quente, mas eu é que não vou reclamar do calor, porque né, meses friorentos e dias muito cinzas virão. É só esperar.

E os dias estão muiito abafados. Com isso eu procuro sempre me vestir com roupas confortáveis e, principalmente, feitas com tecidos naturais (como algodão, linho, viscose). E ai é que o poliéster entra na história. Sim, porque as lojas estão LOTADAS de roupas neste tecido. Pra mim é quase uma odisséia encontrar blusinhas do meu gosto que não sejam feitas com o maldito bendito poliéster.

Pra mim o poliéster é um tecido que não refresca em nada no calor e como eu sinto muiito calor e transpiro pra caramba, esse material só aumenta o meu desconforto. Onde foram parar as roupas de algodão?? E o linho então, nem se fala, parece tecido de outro mundo... (se bem que eu vi roupas em linho em uma loja daqui (Manor), mas as achei com cara muito "senhora" e não comprei nada). Claro que blusinhas bem básicas de algodão sempre se encontra por aqui, mas aquelas mais bonitas e "fashions" e coloridas, fica difícil, viu!

Eu até consigo usar saias feitas com poliéster, mas para a parte de cima, no verão, pra mim fica praticamente impossível. Poliéster é um material barato e a maioria das lojas mais "populares" daqui como H&M e outras, enchem as araras com roupas neste material. E não só as lojas mais baratas, as mais caras também tem muita roupa em poliéster!

Enfim tá ai um post cheio de mi mi mi, só pra dizer que eu peguei uma birra muito grande do poliéster, rs...  (who cares?) as blusas feitas com esse material até que são bonitas, mas só de colocar a mão eu já identifico o "plástico" do poliéster.

Pra não ser tão injusta, encontrei recentemente essas quatro pecinhas em tecidos naturais e fiquei feliz da vida. Algodão é vida!
Sim, eu adoro estampas

 Quem ai também gosta de tecido natural?
Continue lendo ››

1.3.18

Varenna

Eu ainda não sei exatamente o porque eu demorei tanto para conhecer essa cidadezinha que fica tão pertinho da Suíça, quer dizer, especificamente perto para quem mora na parte italiana principalmente. Bom, mas isso não vem ao caso agora.

A cidade está localizada às margens do lago de Como (Comosee) e assim como Riva del Garda, ela pertenceu ao império austríaco até o século XIX.  A cidadezinha é linda, ótima para passar algumas horas tomando um gelatto italiano.

Varenna é bem turística e os preços são um pouco inflacionados, acredito eu pelo fato de estar muito próxima à Suíça.


Varenna é o tipo de cidade (melhor dizendo, na verdade é um pequeno vilarejo, já que somente 848 pessoas vivem lá) para se passar algumas horas andando, meio que sem rumo mesmo, é uma delícia passear pelas ruas e vielinhas apreciando o lindo lago de Como. Lá não tem "muito pra fazer" a não ser flanar mesmo pelas ruas e apreciar o trabalho dos artesãos locais. Eles vendem quadros, peças feitas a mão e outras coisinhas.



É um privilégio poder desfrutar de passeios assim sem estar tão longe de casa. A localizaçâo estratégica da Suíça ajuda. É só dirigir por alguns quilômetros que é possível estar na Itália, Alemanha, Aústria e França.



Não vejo a hora deste frio siberiano passar para descobrir mais cidades lindas por ai... Arrivederci, Itália.


Continue lendo ››

23.2.18

Uma volta pelo Lago de Garda

Depois de meses de um longo inverno, quando chega o finalzinho de fevereiro e os dias já começam a escurecer um pouco mais tarde, começamos (eu pelo menos) a nos programar mentalmente sobre o que fazer na primavera e nos dias de verão. Aqui na Suíça o inverno é muito longo e tem uma hora que a gente fica quase "sem aguentar" mais o frio e tantos dias cinzas.

Ainda bem que não muito longe, ali, logo na Itália, nós temos opção de céu azul e frio mais ameno.

Uma dessas opções é a região do lago de Garda. Esse foi um dos lugares que eu visitei no verão do ano retrasado e de repente bateu saudade dos dias claros e quentes...

Desensano de Garda, uma das cidades que circundam o Gardasee
O lago de Garda, ou Gardasee, como é chamado pelos falantes de alemão, é o maior lago italiano. Ele fica localizado na região norte da Itália, circundando as regiões da Lombardia, Vêneto e Trentino Alto Adige.

Essas regiões são muito procuradas turisticamente, não só pelos italianos, mas muitos turistas da Suíça, Aústria, Alemanha e França visitam a região principalmente durante a temporada de verão.

Pra quem mora na Suíça (região de Zurique, Aargau, Basel), por exemplo, chega-se lá em menos de seis horas de carro. Mas, claro que tudo vai depender do trânsito e da época que você queira visitar essa região. Isso porque se o tunel Gottard (que liga a parte alemã à parte italiana da Suíça) estiver fechado, se prepare para pelo menos umas duas horas a mais de percurso, isso se não houver nenhum acidente pelo caminho (batendo na madeira em um, dois, três...).

O mini porto da cidade de Desenzano

Até pela proximidade e pela probabilidade de tempo bom, a região é muito visitada pelos moradores da Suíça. Afinal, quem não quer solzinho, comida boa e barata e de quebra paisagens lindas pelo lado de Garda? Eu quero!

A região é muito linda e circundada por cidadezinhas bem charmosas como Sirmione, Desenzano, Riva del Garda, entre outras. Eu visitei essas três cidades durante um final de semana prolongado e gostaria de ter ficado mais para ir conhecendo outras cidades da região.
Uma parte do centro de Desenzano

Ficamos hospedados na cidade de Desenzano que é bem menos turística que Sirmione e Riva de Garda, o que significa também menores preços de hospedagem.

De Desenzano fomos visitando as outras cidadezinhas (Sirmione e Riva del Garda). Para chegar até Sirmione tomamos um barco partindo de Desensano e foi coisa bem rápida.

Sirmione é um centro turístico muito importante, graças ao centro antigo que possui um castelo medieval. Além disso a água de Sirmione é muito rica em enxofre que faz muito bem a saúde. A cidade possui termas e spas de tratamento.
O Castelo de Sirmione, chamado Rocca Scaligera, tem cerca de 2,5 km de extensão o que permite a entrada e a saída do centro antigo. Você deve atravessar a ponte do castelo para entrar ou sair da cidade.
Sirmione já é bem mais turística que Desensano e recebe muitos turistas, principalmente no verão. Lá há muitos hotéis, restaurantes e toda uma infraestrutura para navegação pelo lago de Garda.

Já a cidade de Riva del Garda é bem mais calma. Lá a vibe é um pouco diferente da de Sirmione, por exemplo. A cidade fica bem próxima à Aústria (ela inclusive pertenceu a Aústria até o ano de 1918), e tem toda a influência de organização, limpeza e charme austriaco. A cidade é recheada de lojas que vendem produtos de couro e em muitas delas o atendimento também é feito em alemão. 
O centro de Riva de Garda


Riva del Garda


Enfim, a região do lago de Garda, para quem mora na Suíça, é um destino turístico fácil de ser acessado e de baixo custo. Vale a pena conhecer a região.

Continue lendo ››

23.1.18

Bernkastel-Kues

Eu adoro ir para a Alemanha! Há cidades e cidadezinhas lindas por lá, onde só uma "voltinha" por elas já faz toda a viagem ter valido a pena.

Bernkastel-Kues é uma dessas cidades. Situadas às margens do rio Mosel, Bernkastel-Kues parece ter saído de um conto de fadas. A arquitetura te remete a isso e cada vez mais dá pra entender porque a Alemanha inspirou tanto os irmãos Grimm's a escreverem as suas histórias: o país é lindo e cheio de cidadezinhas pitorescas pra visitar e sonhar.

Bernkastel-Kues: uma surpresa em cada vielinha.
Estivemos nesta cidade no feriado de Páscoa do ano passado e para abril o tempo ainda não estava lá essas coisas, entretanto a cidade estava lotadíssima.

 
A cidade é cheia de pequenos detalhes nas construções, muitas fazendo referências aos vinhos. A região é considerada a mais antiga produtora de vinho da Alemanha.
Bernkastel Kues foi fundada em 1300. Ela fica situada na região denominada Renânia Palatinado e além dos vinhedos ela tem a arquitetura toda desenhada por casinhas no estilo einxamel. Uma graça!

Devido ao tempo tão nublado, talvez essas fotos não façam jus a beleza da cidade. Revendo-as fiquei com vontade de voltar lá em outra ocasião que tenha sol. Mesmo assim, eu sempre acho que vale a pena sair de casa para conhecer surpresas assim, como foi com Bernkastel-Kues!
Continue lendo ››

20.1.18

Pontresina

Pontresina é uma cidade suíça localizada no cantão de Graubünden. É a vizinha menos glamourosa de St. Moritz. Entretanto St Moritz não apagou o brilho dela. Pontresina é uma cidade muito da charmosinha e ela serve de hospedagem para muitos que não querem (ou não podem) pagar os preços da luxuosa St Moritz. E não faltam hotéis aconchegantes em Pontresina.
De Pontresina é possível visitar várias cadeias alpinas, como Piz Bernina (onde está a montanha Diavolezza) e Morteratsch.

Kronenhof: um dos hotéis mais luxuosos de Pontresina
A arquitetura da cidadezinha de Pontresina é bem especial. Com um desenho tradicional alpino, as casas e fachadas encantam pelos desenhos e pela riqueza dos detalhes.

Museu Alpino
Chesa (casa no dialeto romanche) Diavolezza


Uma curiosidade em relação as casas é que no passado a solução que os arquitetos encontraram para que houvesse mais entrada de luz nas casas foi deixar uma espécie de vão nas janelas, com isso a claridade ficaria mais tempo retida nas casas.


Essa idéia foi mantida até os dias de hoje e quase todas as janelas de casas e estabelecimentos comerciais são assim.



 Enfim, Pontresina é uma cidadezinha super agradável e que dá pra "conhecer" em algumas horas.
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...