12.8.17

Sobre suíços e tragédias

Brasileiro é um povo passional. Claro que há alguma generalização nisso, mas não há como negar que o temperamento do brasileiro é na maioria das vezes muito mais emocional do que racional. Muitas vezes falamos o que "dá na telha" e agimos impulsivamente para depois justificarmos dizendo que estavamos de "cabeça quente".

O suíço, por outro lado, é um povo mais racional e estável. Ou seja, eles não são tão temperamentais ou impulsivos como nós, brasileiros. Antes de tomar qualquer decisão eles analisam muito bem todos os lados para não serem levianos.

Nas últimas semanas aconteceram algumas coisas tensas aqui pela Suíça. Em uma delas um homem atacou e feriu algumas pessoas com um serra elétrica na cidade de Schauffhausen. A polícia, claro, tomou as providências. Alertou a população e pediu que tivessem cautela, pois o sujeito era perigoso. A notícia divulgada pela impressa foi bem sucinta e sem sensacionalismo, como tudo por aqui. A população sabe que pode contar com a polícia e procuram não fazer alarde nestas situações. Todos (população, imprensa, governo) colaboram e simplesmente deixam a polícia trabalhar. Ela sabe o que precisa ser feito.

Em um dos fóruns de notícias aqui da Suíça que eu sigo, alguém leu a notícia e se incomodou porque a reportagem estava muito concisa. A pessoa deixou no post da notícia um comentário mais ou menos assim: "a quem a polícia quer proteger dando tão pouca informação"? Ao que alguém (uma suíça) responde: "Ninguém... na Suíça a polícia só dá informações quando têm fatos e é certo! Sem desinformação, sem notícias falsas, sem especulação...".  Ou seja, antes mesmo de gerar hipóteses sobre ser um ataque terrorista, ou qualquer outra coisa, a polícia foi cautelosa e procurou ter mais infomações antes de gerar notícias falsas e alarmistas. Esse é o espírito suíço. (Em tempo: o homem já foi capturado e preso. Não foi ataque terrorista.)

Outra situação aconteceu semana passada em um região montanhosa aqui da Suíça. Desta vez estávamos em uma cadeia de montanhas muito bonita por aqui chamada Diavolezza. A gente, vira e mexe, ouve sobre acidentes nas montanhas, mas até então eu nunca havia visto nada acontecer tão perto de nós como nesta situação. Bom, quando chegamos no local havia um carro de polícia, mas não percebemos nada de "trágico", não havia alarde nem nada, até porque o trabalho da polícia aqui, além de meticuloso é discreto, como já relatei neste post aqui.

Eu e meu marido percebemos somente um certo nervosismo por parte do funcionário do guichê para a compra dos tickets para o cable train. O homem demonstrou estar um pouco irritado porque a gaveta do caixa não estava abrindo e o pagamento para subir a montanha só poderia ser feito com cartão. Até ai, pra gente, tudo bem, nós nem andamos mesmo com muito dinheiro na carteira, pagamos quase tudo por aqui com cartão de débito. Como vocês podem perceber, eu não sou tão sucinta como a polícia daqui, pois ainda não cheguei na parte que interessa, rs..rs...

Bom, depois de alguns minutos, já lá em cima nas montanhas, vimos um helicóptero de resgate sobrevoando a região, indo e voltando e observando a região. Sobrevoou, inclusive sob as nossas cabeças!
Aos poucos vimos que algumas pessoas foram se "amontoando" para ver a movimentação do helicóptero. Vimos um alpinista sendo resgatado e amparado por, acredito eu, socorristas. Aparentemente e na medida do possível ele parecia estar bem. Algumas pessoas (nós inclusive) que estavam fazendo hiking ficaram - de longe - observando toda a operação. Ninguém fez alarde. Somente depois de alguns minutos um velhinho senhorzinho se dirigiu até o sujeito resgatado, provavelmente para saber em detalhes sobre o que havia acontecido. Curiosidade todo mundo tinha, mas só mesmo aqueles com uma certa idade, parecem se sentir livres e têm até uma certa permissão para se "intrometer" na vida alheia, rs...
Somente quando estávamos a caminho de casa, pelo rádio do carro, é que viemos a saber que naquela região, montanha adentro, três alpinistas haviam despencado e morrido. Um pouco antes disso um helicóptero que estava levando um grupo para acampar nos alpes também havia caído na mesma região deixando alguns mortos e gente ferida em estado grave.

O que eu quero dizer com tudo isso é que não houve motivo para alarmismo ou motivo para suspender as atividades de quem já havia se programado para caminhar nas montanhas. Claro que se a situação oferecesse riscos para os caminhantes, não nos teriam deixado subir. 

Fiquei imaginando se a mesma situação estivesse ocorrido no Brasil. Com o temperamento caliente que o povo brasileiro tem, quais seriam as chances de um evento deste ter passado quase como que "incógnito" para as pessoas que estavam por lá? Imagine se todo mundo já não estaria sabendo da tragédia, se não teriam que isolar a área por causa do rebuliço que os curiosos fariam e se aquela imprensa sensacionalista já não teria mandando um helicóptero também lá para registrar a operação e transmitir "flashes" exclusivos e ao vivo para a televisão?

Você ai está pensando que os suíços são frios? Não é que as pessoas aqui não se importem ou tão pouco se sensibilizam com as tragédias. Os suíços somente sabem que em casos assim, muito ajuda quem não atrapalha. Eficiência, discrição e praticidade. Assim é na Suíça!
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...