24.1.16

A cidade de Fribourg

Eu visitei Fribourg em um sábado de verão, que por sinal tinha amanhecido nublado. Eu confesso que até gostei do dia ter começado assim, visto que o último verão foi um dos mais quentes e secos de que se teve notícia. E não só na Suíça, mas em toda Europa.

Felizmente o tempo logo abriu e deu pra passear pela cidade com uma temperatura até bem agradável e fotografar tudo com a luz do sol, que por sinal deixa as fotos bem mais bonitas!
Fribourg é uma cidade muito bonita e está localizada na parte francesa da Suíça, bem próxima a Berna, a capital do país. O cantão de Fribourg é oficialmente bilingue, onde se fala francês e alemão, sendo o francês a lingua majoritária da população.
Do alto da torre da catedral se tem uma vista muito linda da cidade, porém se prepare: são 365 degraus (um para cada dia do ano, rs..) de subida para ter essa vista. Se paga, se não me falha a memória, 4 francos pelo ticket que dá direito a subir na torre.
Fribourg vista do alto da torre da igreja
Eu achei a arquitetura de Fribourg bem parecida com as das cidade de Berna e Murten. Ambas tem o desenho medieval e são bem agradáveis de se caminhar.
As cidades da parte francesa e da parte alemã, podem até ser um pouco semelhantes na arquitetura, porém são bem distintas no que diz respeito à mentalidade das pessoas e principalmente por conta da fronteira linguística (e cultural) existente nas duas regiões. Apesar de pertencerem a um só país e os seus cidadãos serem na sua maioria suíços, a população destes dois cantões têm posições bem distintas, principalmente em relação a algumas políticas públicas e na área econômica.
Cidade de Fribourg bem animada em um sábado de verão...
Essa divisão tão marcada e distinta dessas duas regiões da Suíça é chamada de Röstigraben, numa alusão ao Rösti, um prato típico da Suíça alemã. Essa expressão é utilizada principalmente na época das eleições, onde os resultados são significativamente diferentes nas suíças de lingua alemã e francesa. Os suíços-alemães tendem a ser mais conservadores em temas como imigração, por exemplo, haja visto que a suíça alemã em votação, se mostrou maçicamente contra a entrada da Suíça na União Européia, resultado completamente contrário veio da parte francesa.

Pelas ruas de Fribourg... a tradução da plaquinha em suíço alemão:
"Hoje! Curta o seu casamento, bom homem. Amanhã é a sua mulher que deve vestir suas calças".
Em francês: "A rua das esposas fiéis ao lado de um modelo de marido"
(acho que é mais ou menos isso, algum falante de francês que fique a vontade para corrigir, rs... )
Enfim, foi uma delícia passar um sábado em Fribourg. Há muitos restaurantes tanto na parte nova quanto na área antiga da cidade, que no geral, eu achei bem mais em conta do que na parte alemã da Suíça. Achei a cidade bonita, bem cuidada e animada. Um dia ainda volto lá de novo!
Continue lendo ››

10.1.16

Frigiliana, na rota dos pueblos blancos da Andaluzia

Quem segue este blog já deve ter percebido que eu não sou uma pessoa linear. Principalmente pelos posts que eu escrevo e que não seguem uma sequência cronológica (rs...), é que eu não gosto de monotema ou monotonia, hehe, por isso prefiro variar nos posts.
Acontece que no decorrer das últimas semanas, comecei a separar algumas fotos de viagens para enquadrar e, quando encontrei as fotos deste lugar, não sabia mais o nome dele. Puxei, puxei na memória e nada! Tive que recorrer ao google para relembrar o nome de Frigiliana, esse lugarzinho lindo, de menos de 3000 habitantes e que fica localizado na província de Málaga. Assim, resolvi escrever sobre ele, ai o registro não vai mais se perder na minha memória. Por essas e outras que acho importante escrever pois é uma forma de manter as lembranças vivas. 
Bom, Frigiliana foi uma surpresa! Não tinhamos programado e tão pouco pesquisado algo sobre essa vilinha. Somente quando chegamos em Nerja (que é um balneário da região de Málaga) é que vimos no guia que estávamos bem próximos de Frigiliana. Assim resolvemos tirar metade de um dia para conhecer esse pueblito. E valeu a pena!!
A vilinha de Frigiliana já foi eleita como a mais bela aldeia da Andaluzia pelo escritório de turismo da Espanha. A sua arquitetura de influência árabe (herança dos mouros que dominaram a região no passado), bem como as suas casinhas brancas de ruas estreitas e que são acessíveis apenas a pé, fizeram de lá um lugar merecedor deste título.
Imaginem um lugar de um calor tão, mas tão intenso e com temperaturas que passam facilmente dos quarenta graus no auge do verão? A região da Andaluzia é um desses lugares. Por este motivo as casas, principalmente as que estão nas encostas das montanhas, foram caiadas em branco, para que pudessem, de alguma forma reter menos o calor e se manterem "frescas", na medida do possível, no alto verão.
E essa brancura toda só fez deixar os pueblos mais bonitos e charmosos! As casas das aldeiazinhas da Andaluzia lembram um pouco a arquitetura das casas de algumas ilhas gregas, que ficam debruçadas nos topos do morros.
O centrinho da cidade é um aglomerado de ruazinhas e ladeiras, onde em algumas delas se vê um restaurantezinho simpático ou uma lojinha de souvenirs ou artesanato local.
 Frigiliana tem uma localização privilegiada por estar perto dos balneários mais famosos da Andaluzia, como Nerja e Marbella, que consequentemente são os locais com mais opções de hospedagem.

De qualquer um desses balneários, estando de carro, é bem fácil chegar a Frigiliana. Já de transporte público eu não sei bem. Portanto é bom se informar sobre qual a frequência dos ônibus que cobrem essa região.

Eu sempre gosto nas viagens que faço, na medida do possível, tirar um dia ou algumas horas pra ver uma cidadezinha menor, mesmo que ela seja turística. As grandes cidades já recebem tanto incentivo e dinheiro do turismo que eu acho sempre bom prestigiar também uma pequena cidade.
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...