27.12.15

Memorial Sophie Scholl em Munique

Em tempos de radicalismo e de todo tipo de intolerância, nada melhor do que voltar na história e relembrar e/ou conhecer algumas pessoas que lutaram contra esse tipo de violência.

Sophie Scholl
Foto Dpa
Uma dessas pessoas foi a Sophie Scholl, uma alemã que lutou contra o nazismo. Ela foi dirigente e membro da Rosa Branca, um grupo de resistência alemã antinazista que, entre outras coisas, redigia e distribuia folhetos com textos antinazistas nas caixas de correio das casas de grandes cidades da Bavária (berço do nazismo). Esses panfletos também citavam trechos apocalípticos da Bíblia para impressionar os cristãos.
Universidade de Munique
O grupo Rosa Branca era composto, em sua maioria, por estudantes da Universidade de Munique. Os membros desta organização que se tornaram mais conhecidos foram Hans e Sophie Scholl, que eram irmãos. Atualmente uma praça no campus da universidade de Munique leva o nome de Geschwister-Scholl-Platz (Praça irmãos Scholl)

Em fevereiro de 1943, Sophie, seu irmão Hans e um amigo da universidade, Christoph Probst, foram presos depois de serem surpreendidos pelo reitor da universidade distribuindo panfletos no pátio da faculdade. Nesta ocasião Sophie era estudante de biologia e filosofia na Universidade de Munique.
Páteo da universidade de Munique onde Sophie foi presa
ao lançar os panfletos
 Uma representação dos panfletos da época que estão colados no chão
A Gestapo prendeu os três jovens. Depois de quatro dias de prisão eles foram julgados e, em menos de 24 horas depois de condenados, eles foram guilhotinados. Depois deles, até o final da guerra, ainda foram mortos mais de 50 integrantes do movimento Rosa Branca.
Todesurteille: a sentença de morte de Sophie Scholl
Na Universidade de Munique foi criado uma espécie de museu, um memorial que retrata a história de Sophie e dos seus colegas. Lá há fotos e alguns objetos de Sophie, entre eles, a bolsa em que ela carregava os panfletos.

Da última vez em que estive em Munique, eu fui visitar a universidade onde estudou Sophie Scholl. Eu conheci a história dos irmãos Scholl faz alguns anos. Foi no curso de alemão que li a respeito dela. Coincidentemente um pouco antes de irmos a Munique vimos uma curta reportagem na TV alemã sobre ela e decidimos que visitaríamos o seu memorial. Também compramos o DVD do filme e assistimos antes de ir. Quem se interessar, segue o trailler.


Conhecer um pouco mais da história de pessoas que, de alguma forma, lutaram para ajudar outras pessoas em situação de risco me faz ter um pouco mais de fé na humanidade. Por isso eu fico chocada quando vejo principalmente imigrantes fazendo discurso de ódio contra outros imigrantes, especialmente contra os refugiados.

Ir viver em outro país por causa de uma oportunidade de trabalho, por casamento, por estudo ou whatever, não faz de você menos imigrante do que um refugiado. Você pode sim, até ter algumas "vantagens" em relação a eles, como por exemplo o status do seu permiss (tipo de visto de residência), ou um passaporte europeu, entretanto não é isso que vai te tirar do status de imigrante.

Infelizmente alguns imigrantes quanto mais preconceito sofrem, mais preconceituosos se tornam. Quando esse imigrante, por exemplo, consegue o visto permanente de residência ou o passaporte suíço (ou qualquer outro passaporte europeu), ele acha que está acima, que subiu degraus em relação ao outro imigrante. É quase que como uma "lei da compensação". Já vi muito isso.

Enfim, fica ai a dica de uma visita super interessante em Munique. A universidade fica aberta também para não estudantes e a entrada no museu (que na verdade é uma salão) é grátis.

E que 2016 seja um ano de mais tolerância e respeito.

16 comentários:

  1. Eu dei uma rapida estudada sobre o Rosa branca na epoca da faculdade, e muito interessante a historia dos irmãos e do grupo em si. E não e so na Europa que esse discurso de odio de imigrantes contra outros acontece, aqui nos EUA isso e tão forte que chega me da nojo. Me pergunto ate onde vai a estupidez humana sabe...Mas ainda tenho um pouco de fe na humanidade, pois ainda existe gente do bem por ai.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente também já ouvi que ai nos EUA isso é muito forte e presente. Uma pena! Pois assim como o Brasil, esse país foi construído por imigrantes também. Enfim, gente boa sempre existe :-). Feliz ano novo!

      Excluir
  2. Fez história, bela postagem.

    bjokas e um Feliz 2016 =)

    ResponderExcluir
  3. Que lugar bacana, amei os panfletos colados no chão! Já ouvi falar sobre o Rosa Branca, mas não sei muita coisa sobre o grupo. Sobre a intolerancia nessa época de um grande fluxo de imigração, é muito triste ver tanto preconceito vindo de outros imigrantes.

    PS: perdi várias postagens por aqui, tenho que me atualizar. Não achei o botão de seguir o blog por email, assim fica mais facil de acompanhar quando tem postagem nova ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, já haviam anteriormente me perguntado sobre como seguir o blog por email, mas eu acabei nem inserindo o tal botão. Vou ver como se faz isso e te aviso :-). Bj

      Excluir
  4. Puxa, eu não conhecia esta história...e nem mesmo que estava em Munique todo este cenário. Olha aí, que bom que compartilhou com a gente. Se for a Munique já sei onde ir. Vc já viu o filme Er ist wieder da ? Sinceramente...uma comédia de dar arrepios! Bjs e Feliz Ano Novo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aparentemente pelo título, não conheço esse filme não Eliana, vou procurar! Munique é linda e cheia de vida. Eu adoro! Bjs e feliz 2016.

      Excluir
  5. Olá Sandrinha!
    Fiquei muito interessada pelo filme, obrigada por compartilhar esse tema atual e extremamente importante (e interessante).
    Pelo pouco que assisti do trailer, já deu pra sentir que Sophie foi uma alma iluminada.
    Um beijo querida, feliz 2016 a você, esposo e família!
    Márcia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assista sim quando puder Marcinha! É uma história bem triste, mas super interessante. Que as almas iluminadas sempre exerçam muita influência neste mundo! Bjs e um ano feliz e harmonioso ano de 2016 a você e a sua família. Küss

      Excluir
  6. Oi Sandra, durante minha insônia rotineira (agora são quase 2 da madrugada), resolvi "fuçar" seu blog, adorei a dica sobre o filme, mas adorei ainda mais, saber que não estou sozinha em relação aos refugiados, somos estrangeiros tanto quanto os eles, me incomoda muito ouvir frases de ódio e preconceito vindo de estrangeiros que foram acolhidos em outros países, acho até bizarro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será você a Tati que eu conheço? :-).
      Sim, essa atitude é muito bizarra, pra não dizer preconceituosa! Nem gosto muito de ficar perto destes discursos para eu não me estressar, mas, infelizmente a gente sempre acaba ouvindo alguma coisa deste tipo por ai.

      Excluir
    2. Oi Sandra, sou eu sim. a "Tati que você conhece" hehe

      Excluir
  7. Estive em Munique esse ano , mas nem sabia desse memorial. Tá anotado pra proxima visita. Beijos e feliz 2016!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, o bom é que Munique está bem perto de onde você mora hein!? Dá pra dar sempre uma escapada até lá :-). Feliz ano novo!!

      Excluir
  8. Eu li um livro sobre a historia dela, na verdade era um livro para os adolescentes, muito usado nas escolas aqui da França. Acho muito importante as pessoas continuarem lembrando o que aconteceu!

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo! Obrigada!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...