29.5.15

Um lugar chamado Willisau

Sempre que pegávamos a auto pista A2 que dá acesso a Lucerna, víamos uma placa indicando a entrada para Willisau, mas até a alguns meses atrás nunca tinhamos seguido essa placa e parado para visitar essa pequena cidade, até que um dia, matamos essa curiosidade.

A entrada/saída para a cidade de Willisau. Muitas cidades suíças possuem uma torre de relógio
 no centro antigo, o que de certa forma, acaba fazendo juz a fama de pontualidade do país.



Willisau é uma cidade, (ou melhor seria um vilarejo?), localizada no cantão de Lucerna, e que pode passar despercebida por quem circula pelas auto estradas da Suíça.


É aquele tipo de cidade que não é conhecida turisticamente para quem não é daqui, tampouco é um lugar que entraria na rota turística para quem visita o país, a não ser que você venha para ficar na casa de alguém que more pela região.
Rathaus (prefeitura) da cidade

Eu, como sou curiosa e  não perco a oportunidade de ir conhecendo lugares novos por aqui, fui ver como era Willisau.

A cidadezinha, como era de se esperar, é mesmo bem pequena, com uma rua de comércio e suas construções bem pitorescas.


Ainda a poucos metros do centro, no alto de uma colina, tem também um castelinho, que te dá uma vista parcial da região.



A cidade é conhecida por produzir o "Willisauer Ringli", que nada mais é do que uma bolachinha (guetzli, no dialeto suíço), produzida na região e que tem forma de um anel (Ringli).

Rua do centro com os seus vasos em forma de anel (Ring)

Quem passa pela cidade vai notar que na rua principal os vasos tem a forma de um anel, devido ao formato do biscoito, que não deixa de ser o símbolo da cidade.

Em 1850 os biscoitos foram produzidos pela primeira vez por Heinrich Maurer. O negócio foi vendido por ele no decorrer dos anos e atualmente é a confeitaria e café Amrein o estabelecimento mais tradicional na produção e venda dos biscoitos.

O café que deu origem ao biscoito Willisauer Ringli

Eu comprei um pacote para experimentar e deve-se tomar muito cuidado: a bolachinha é dura, como um anel (rs..), mas bem saborosa.


Mas, não só de bolachinha vive Willisau, que é uma cidade que existe há 700 anos. Desde os anos 70 acontece na cidade um festival de jazz, que certamente movimenta essa tão pacata cidadezinha.

Continue lendo ››

8.5.15

Pra dizer que eu não falei das flores...ou, eu e as tulipas


 "A neve e as tempestades matam as flores,
mas nada podem contra as sementes."
Khalil Gibran


Pois é a primavera chegou e eu nem consegui registrar muito as flores e as árvores floridas que vi por aqui. Quer dizer, algumas fotos até fiz, mas sempre na correria.

Árvore com magnólias prontas para florirem
Neste ano, abril foi um mês bem atípico aqui na Suíça, já que a maioria dos dias foram bem quentinhos e com pouca variação de temperatura, a não ser a chuva que caiu em algumas regiões e deixou alguns estragos.

Abril é considerado um mês bem "temperamental" aqui na Suíça, com muita variação de temperatura: esquenta, esfria, neva, chove, esquenta de novo e por ai vai. Como diz um velho e conhecido ditado daqui: "April, april der macht was er will" (Abril, abril, ele faz o que quer). Bom, mas porque mesmo eu estou escrevendo sobre abril, se já estamos em maio...? (rs) Ah, sim, porque é em abril que começa a  floração das tulipas, uma das minhas flores preferidas!

Abril passou, mas eu vou escrever sobre as tulipas assim mesmo, rs... Agora, no mês de maio, ainda é possível ver algumas tulipas em alguns canteiros, já que estas flores têm períodos de floração variando entre "cedo, médio e tarde", vai depender do bulbo que você plantou.

No Brasil era raro eu ver tulipas, já que elas são flores que não se adaptam bem ao clima brasileiro. Elas precisam de baixas temperaturas para que os bulbos saiam do seu estado de latência e deem flores.

Desde que eu vim morar na Suíça e percebi que eu poderia ter durante toda a primavera vasos com tulipas em casa, toda semana eu comprava um ramalhete delas. Eu simplesmente amo tulipas! E, pelo fato delas não serem, como, por exemplo, as rosas, que podem ser encontradas durante todo o ano, isso as torna ainda mais especiais.


Mas, especial mesmo pra mim, foi a floração das minhas tulipas. Logo que nos mudamos para uma casa com quintal, eu quis ter um canteiro com tulipas, e assim o fiz.

A floração das tulipas, logo no início
Plantei bulbos por toda uma extensão do jardim e todos os anos eu aguardo ansiosamente pelo mês de abril, quando os bulbos das minhas tulipas começam a brotar.



E, parece que quanto mais rigoroso for o inverno, mais bonitas as tulipas nascem, já que, como eu escrevi acima, elas precisam do clima frio para brotarem. E esse ano, mais uma vez elas não decepcionaram: floriram lindas!



Na última contagem, eu contei 132 botões, mas algumas flores apareceram depois, então esse número aumentou um pouco. Pra mim é sempre uma alegria ver que as flores que eu plantei, brotaram.


Agora no meu canteiro restam somente algumas tulipas. A maior parte delas já murcharam e encerraram o ciclo deste ano.

Eu nunca vou enjoar de tulipas, todo o ano elas me alegram com a sua beleza!



Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...