31.3.15

Seleção de músicas e cantores suíços

A idéia de escrever este post se deu porque estou com uma daquelas músicas "chiclete" na cabeça. É uma música de um duo (de rapper, vejam só) suíço que não para de tocar nas rádios daqui. O dueto de rappers, Lu&Ledoc, são de Berna e cantam no dialeto desta região. Esse duo musical faz parte da nova geração de cantores(as) suíços(as) que tem despontado por aqui.

A música em questão, é a "Jung verdammt" (em português, algo como "Maldito jovem"). É o tipo de música que cola e quando você percebe já está cantando o refrão. afff

"U i ha gmeint, de Tüüfu chäm im Füür ond ned im rote Chleid, im rote Chleid
Lueg i ha gmeint, de Tüüfu chäm im Füür ond ned im rote Chleid, im rote Chleid"

"Eu pensei que o diabo vinha vestido em chamas e não em um vestido vermelho"... 
em um vestido vermelho....

 Suuuuuucesssoooooo!!



Na contramão do Rap, com um estilo mais romântico, o cantor Adrian Stern, de Zurique, também faz muito sucesso na Suíça, com o seu repertório de canções fofinhas e açucaradas



Na maioria da vezes os cantores suíços cantam mesmo no dialeto suíço-alemão e alguns cantam em inglês. Raramente eles cantarão em hoch-deutsch, já que a maioria dos suíços não usa o hoch-deutsch (alemão padrão) como o seu idioma do dia a dia.

Exceção para a cantora suíça Beatrice Egli, que foi a vencedora de uma edição do DSDS - Deutschland sucht den Superstar (a Alemanha procurar um Super star) e que canta em hoch-deutsch, já que o DSDS é um programa da TV alemã.

Eu não acreditava muito que ela venceria porque ela é uma "Schlagersängerin" (cantora sertaneja) e a maioria dos candidatos do DSDS cantavam canções pop. Mas ela foi a campeã daquele ano e faz muito sucesso na Suíça entre os apreciadores deste estilo musical.


Outra cantora que tem feito muito sucesso e não só por aqui, é a Stefanie Heinzmann. Ela tem 26 anos e é de Wallis. Ela é bem simpática e suas músicas são cantadas em inglês.


Além da Stefanie Heizmann, o cantor suíço Bastian Baker, também faz muito sucesso com suas baladas pop cantadas em inglês.



Por hoje é só. Podem montar a play list :-) ! ♪ ♫ ♩ ♬ ♭
 
Continue lendo ››

17.3.15

A medieval Murten

Murten é uma cidade suíça de aproximadamente sete mil habitantes. Ela pertence ao cantão de Fribourg e está situada entre Berna, (a capital da Suíça) e Neuchatel. A cidade é circundada  pelo lago de mesmo nome, o Murtensee.

Murtentor, a entrada para a cidade

Murten é oficialmente bilingue (em francês o nome da cidade é Morat), já que ela está localizada na fronteira entre as Suíças de lingua alemã e francesa.  Entretanto, apesar da cidade pertencer a um distrito francês, cerca de 76% da população fala o alemão e 24%, o francês.







 
Rua do centro antigo de Murten
Com os primeiros registros datando de 1170, Murten é uma das cidades mais antigas da Suíça. Fundada pelo conde de Zähringen, a cidade é murada e a arquitetura medieval dela está bem preservada.

Mesas de um restaurante, envoltas com as arcadas típicas da era medieval
O ponto alto do passeio na cidade, é mesmo a subida à muralha. Ela fica aberta ao público, e é toda coberta. A entrada é grátis.



Lá de cima se tem uma vista bem bacana da cidade, dos telhados da casas e do lago. As muralhas foram construídas em duas etapas, entre os séculos XII e XV. Ela é a única da Suíça em que se pode caminhar do começo ao fim.

Vista da cidade de Murten a partir da muralha


A parte interna da muralha de Murten e a igreja alemã





A cidade de Murten também foi o palco de uma batalha épica para a Suíça. Em junho de 1476, quando Murten declarou lealdade a Berna e a Fribourg, a cidade foi cercada pelo exército de Carlos, o então Duque de Borgonha. Na batalha o exército suíço derrotou as forças de Carlos, matando mais de 10.000 inimigos!



Para dar a notícia da vitória a Fribourg, um mensageiro saiu correndo até a cidade, num percurso de 17 kilômetros. Fatigado e exausto, o mensageiro, logo após a chegada, caiu, literalmente, morto de cansaço.



Por conta deste episódio, desde 1933 é realizada no primeiro domingo de outubro uma corrida que homenageia a batalha de Murten e esse mensageiro. O percurso de aproximadamente 17 quilômetros é o mesmo daquela época: de Murten a Fribourg. A corrida é uma das mais tradicionais da Suíça, com milhares de participantes.


Foi uma delícia andar pelas ruazinhas antigas dessa cidade. Pena que o sol ficava em um sai- não-sai, dai a maioria das fotos terem sido feitas com o tempo nublado.









Outra coisa que achei uma pena, foi o fato dos carros terem acesso ao centro antigo da cidade, que poderia ser fechado ao trânsito de automóveis.


Uma bandinha tocava no centro da cidade de Murten
A cidade de Murten está localizada somente a 35 minutos de trem a partir de Berna. Para quem estiver em Berna por mais de um dia, vale a pena um bate-volta até Murten. A cidade é linda!

Continue lendo ››

10.3.15

Seis invenções suíças

Todo mundo sabe que os suíços foram os pioneiros nos processos que contribuiram para melhorar a qualidade e o sabor dos chocolates. Além disso os queijos e os relógios são também lembrados quando se trata de Suíça.

Mas, o que muita gente não sabe, é que os suíços foram os inventores de coisas, consideradas até meio que banais, mas que são super úteis no nosso dia a dia. Aposto que você tem em casa pelo menos duas dessas invenções.

Saber disso não é nada que vai mudar a sua vida, rs... mas é que eu ando bem sem idéias do que escrever por aqui, rs...

Papel alumínio: Em 1905 o empresário suíço Heinrich Alfred Gautschi registrou a patente sobre a folha de alumínio, mas somente em 1911 ele passou a ser comercializado. Foi nesse ano que a empresa Tobler, que fabricava o Toblerone, passou a embalar em papel alumínio o seu então mais famoso chocolate.


Velcro: foi inventado em 1948 pelo engenheiro suíço, George de Mestral. Um dia voltando com o seu cachorro de um passeio pelos alpes, ele percebeu que sementes de uma plantinha grudavam constantemente na sua roupa e no pêlo do seu cão. Com um microscópio ele percebeu que haviam filamentos capazes de causar a aderência e unir dois tecidos de maneira simples e reversível. Assim surgia o velcro.



Intensificadores de sabor e sopas instântaneas. Amado por uns, odiados por outros (principalmente pelos chefs de cuisine), os intensificadores de sabor (temperos prontos, caldos de legumes), foram desenvolvidos no século 19 pelo suíço Julius Maggi.


Varal portátil: esse modelo é conhecido aqui como "Wäschspinnen" (Wäsch: lavar, spinnen. aranha), por ter um formato de uma aranha, foi criado em 1947 por Walter Steiner, um cidadão da cidade suíça de Winterthur. Esse tipo de varal é muito comum por aqui, principalmente nas residências com quintal ou varanda porque ele costuma ser bem grande e requer bastante espaço para ser montado.



Descascador de legumes: inventado em 1947 na cidade suíça de Davos, por Alfred Neweczerzal. Ele queria algo que possibilitasse cortar frutas e legumes em uma camada mais fina do que com a faca convencional, para assim, não disperdiçar o alimento e descascar só o que fosse necessário.



Cápsulas de café Nespresso: o pioneiro sistema de capsúlas para fazer café, foi uma invenção do engenheiro suíço Eric Favre, da empresa de alimentos Nestlé, na década de 70. Entetanto, o negócio com as capsulas começou somente 10 anos depois que foi patenteado, sendo copiado inúmeras vezes. Neste caso há controvérsias, pois argumenta-se que as cápsulas foram inventadas bem antes pela Lavazza, empresa italiana, mas não houve interesse ou visão de marketing da parte deles em patenteá-las, sendo assim, foi atribuida a Nestlé a invenção delas.



Todas essas informações foram retiradas daqui: http://www.suissebook.ch/diese-6-erfindungen-stammen-aus-der-schweiz-wer-haette-das-gedacht/

Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...