29.10.14

Lago Öschinensee, um paraíso nas montanhas

Nossa, o mês de outubro está acabando e eu acho que nunca fiquei tanto tempo sem postar como agora. Praticamente eu não vi esse mês passar. Comecei um curso, que termina semana que vem, e nesse meio tempo fui ficando cada vez mais ocupada e o blog acabou ficando para segundo plano. Espero voltar a postar com mais frequência daqui pra frente e também ter mais tempo para ler os blogs que eu gosto.

Bom, mas antes que os ares outonais acabem e que o inverno chegue com tudo, quero deixar registrado aqui um passeio que fiz em um dos lugares mais lindos que tive a oportunidade de visitar aqui na Suíça. Trata-se do lago Öschinensee, que fica localizado no vilarejo de Kandersteg, cerca de sessenta quilômetros de Berna, a capital do país.

Panorama do lago Öschinensee
O Öschinensee é um lago de montanha que está localizado a uma altitude de 1578 metros. Ele está listado como Patrimônio Natural da Unesco.


Para chegar até ele é necessário tomar um cable train na estação Kandersteg e em poucos minutos você estará em Oeschinen, no alto das montanhas.

O lago vai despontando a medida que vamos caminhando.
Depois disso será necessário caminhar uns 20 minutinhos para chegar no paraíso lago.

Eu, encantada com a cor azul da água
O lago é rodeado por três montanhas: a Öschienhorn, a Fründenhor e a Doldenhorn. São as águas da chuva e do degelo das montanhas que garantem o abastecimento de água para o lago e consequentemente para a região.


O Öschinensee formou-se devido a um deslizamento de terra e o seu fluxo foi bloqueado, tornando-se assim um dos maiores lagos alpinos da Suíça.


Essa área é um daqueles lugares que te marca pelo deslumbre. É difícil não ficar boquiaberta a cada metro que você caminha vendo o azul intenso que corta o lago. Não dá vontade de ir embora. Sério! Ainda mais se o dia estiver lindo, como esse em que eu lá estive. Era começo de outono e sol brilhou lindo e intensamente!


A região é também propícia para trilhas e pesca. O lago é geralmente congelado durante cinco meses, de dezembro a maio
 

O peixe do lago é a truta e há algumas espécies distintas delas no lago. De janeiro a março, a pesca no gelo é popular.
 

A região tem dois restaurantes que servem pratos típicos da Suíça e das montanhas, como a Bratwurst (salsicha) acompanhada com batatas e molho de cebola, pratos com queijos diversos, ou a base de carne de porco e eventualmente de vaca.



Á esquerda: restaurante que fica localizado logo que se chega a região de Oschinen. À direita, outro pequeno restaurante localizado no sopé da montanha, para alcançá-lo é preciso uma boa caminhada. Se estiver com muita fome, é melhor comer alguma coisa logo no primeiro restaurante, hehehe.

A Suíça não tem um litoral, mas em compensação tem rios, lagos e vilarejos montanhosos que impressionam pela beleza.


Obrigada por me acompanharem na descrição e na caminhada :-).  Daqui pra frente fica aberta a temporada de outono-inverno

Bis später!

Continue lendo ››

13.10.14

Bolo de banana com nutella

Conforme prometi, vou postar a receita do bolo de banana com Nutella. Antes, vou fazer um adendo: não sou fã de Nutella! Mas então porque eu fiz um bolo com ela? Bom, porque achei interessante a combinação de banana com nutella e resolvi experimentar, pra ver se minha "antipatia" por nutella passava, rs... E sim, acho que a mistura da Nutella com a banana tira um pouco do sabor acentuado da avelã, já que é isso que me incomoda um pouco.

Aqui na Suíça existe uma infinidade de doces, bolachas, bolos e chocolates e muitos deles são a base de avelãs, amendôas e nozes. É só olhar no rótulo do produto, que muitas vezes você encontrará esses ingredientes na composição. Pra quem gosta é um paraíso.

Bom, mas voltando ao bolo. Um tempo atrás eu encontrei essa receita na internet e resolvi testar. É a segunda vez que faço esse bolo. Dessa vez a cara dele não ficou lá essas coisas porque fui desenformar o bolo ainda bem quente e grudou na forma. Então vai só um pedaço da foto, rs...

Ingredientes

2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de chá de bicabornato de sódio
1/2 colher de sopa de sal (usei menos)
1/2 de xícara de manteiga em temperatura ambiente
2 ovos
1 xícara de bananas bem maduras e amassadas (3 a 4 bananas)
1 colher de sopa de extrato de baunilha (usei uma fava)
1/2 xícara de Nutella

Preparo

Preaqueça o forno a 180 graus. Unte e enfarinhe uma forma de bolo inglês  e reserve.
Misture e peneire o açúcar, a farinha, o bicarbonato e o sal em uma tigela grande.

Em outra tigela, bata o açúcar com a manteiga até misturar bem. Adicione os ovos de cada vez, batendo sempre. Adicione a baunilha  as bananas e o leite. Bata bem até misturar.

Junte a mistura da farinha, do sal e do bicabornato e bata em velocidada média, somente para misturar todos os ingredientes.

Coloque a Nutella em uma tigelinha e leve ao microondas por 20 segundos. Adicione à Nutella uma xícara da mistura que você acabou de bater e misture bem.

Com a ajuda de um colher, coloque as massas na forma alternando entre a massa branca e a de nutella. Use uma faca de manteiga para dar um efeito de mármore.

A massa vai ficando assim
 

Leve para assar em fogo médio (180 graus) por aproximadamente 50 minutos/1hora. Não seja apressada como eu, e só desenforme o seu bolo depois de uns 20 minutos.


Eu acho esse bolo combina bem com dias mais frios porque ele fica bem cremoso. Desconsiderem a foto. O bolo ficou bem gostoso!


Quem quer um pedacinho?

Continue lendo ››

1.10.14

Bettmeralp e o seu fantástico glaciar

Quando você vive em um país que tem paisagens tão bonitas e ao mesmo tempo tão fáceis de serem alcançadas, fica mais fácil gostar de morar nele, rs...


A Suíça, como eu já citei em alguns posts, pode não ser lá aquele país com altas baladas e para baladeiros (ufa, ainda bem que eu já passei dessa fase), não que em cidades como, por exemplo, Zurique, não haja festas, e coisa e tal, mas a Suíça é mesmo mais conhecida pela sua calmaria, pelo seu ar bucólico e pelas paisagens alpinas.


Feita essa introdução, vale dizer que Bettmeralp, que está localizada no cantão de Wallis, na parte germânica do país, reforça ainda mais o estereótipo de tranquilidade das cidades alpinas da Suíça, com vaquinhas, sinos tocando, casinhas fofas de madeira e os alpes, que permanecem nevados mesmo no verão.


Casas de madeira, típicas do cantão de Wallis, em Bettemeralp.


Bettmeralp é uma vilinha alpina que está localizada a 1940 metros acima do nível do mar. Lá, a circulação de carros é proibida, a não ser os carros elétricos dos hotéis que servem para transportar os hóspedes e suas bagagens.
 
Para chegar até a vila é necessário tomar um teleférico na estação de trem Bettemeralp. Da vila é necessário tomar outro cable para chegar até o topo. Esse percurso é feito em 7 minutos e a diferença de altura entre eles é de mais de mil metros.
 
Os cables de Bettmeralp
A região está localizada no vale do Rhone, na parte sul da Suíça e por estar ao sul, a região é também favorável à produção de vinhos. O cantão de Wallis é o responsável pela produção de pelo menos um terço de todos os vinhos produzidos na Suíça.
 
Geograficamente o cantão do Wallis (ou Valais, para os falantes de francês), é bem diferenciado dos demais cantões suíços, isso porque a região se manteve quase intacta e com poucas intervenções estruturais, o que contribuiu para que a região não se deteriorasse com reformas ou modernizações que a fizessem entrar em um roteiro turístico de massa.


Claro que a região é muito visitada e tem inúmeras opções de hospedagem, desde hotéis, chalés a quartos para temporadas, mas não parece ter aquele boom de turistas, como por exemplo, nos alpes de Jungfrauchjoch (que eu já ouvi suíços dizendo que lá é montanha para asiático ver, rs... tamanha a quantidade de turistas japoneses, coreanos, asiáticos em geral que visitam a atração).

Como escrevi no post sobre as casas típicas de Wallis, na maior parte dos folhetos turísticos que citam a Suíça, os alpes e as montanhas de Wallis, aparecem muito pouco. Você vai ver/ler mais, por exemplo, sobre a montanha Jungfraujoch ou Pilatus, do que sobre as montanhas do Valais. Por isso mesmo, é que a região vale uma visita. Ela pode não ser tão famosa, mas estando lá você vai ver que isso é o que menos importa.

Vaquinhas alpinas sendo recolhidas e o terraço panorâmico no alto de Bettmeralp

Aletsch é o nome do conjunto de montanhas glaciares que envolve a região. O glaciar de Bettmeralp foi listado como o primeiro patrimônio mundial da Unesco dos alpes.



Aproximadamente vinte por cento do cantão de Wallis é composto por geleiras e mesmo assim, segundo as estatísticas, o sol brilha por lá aproximadamente 300 dias por ano!


Felizmente o outono começou com temperaturas bem agradáveis por aqui e estamos conseguindo aproveitar para fazer passeios ao ar livre enquanto o inverno não chega.

A paisagem lá do alto é tão incrível que parece que você entrou dentro de um quadro, ou que está, literalmente nas nuvens!!

Um show de parapentes no céu

Eu, nas nuvens!
É bem alto, e é preciso um certo preparo físico para caminhar por lá, porque pode ficar difícil de respirar e o caminho é cheio de desníveis. Parece até que eu fui sozinha, mas meu marido estava sempre na frente e tinha que parar para me esperar, rs...  Eu devo ter parado umas duzentas vezes durante o percurso, mas consegui! hehehe.


Carregar uma garrafa com água e alguma comida na mochila é fundamental. Há restaurantes lá no alto, mas vai que a sua pressão cai lá no meio dos alpes e você não tem nada pra comer? Além disso, calçar um tênis adequado para caminhadas, carregar uma jaqueta e um cachecol (mesmo no verão), vai facilitar muito a sua vida lá em cima.

Nos alpes: das pedras também surgem flores!

Fizemos só um passeio bate e volta, mas queremos voltar no inverno para passar alguns dias e respirar esse arzinho puro dos alpes!


Informações práticas:
A SBB (Cia suíça de trens) te leva até Bettmeralp. A partir de Zurique, Berna, Basel ou Genebra, você deve viajar direto até Brig. Lá você deve tomar um trem com destino a Betten (12 km) e de lá o cable para Bettmeralp.

De carro: Digite Grengiols Guldersand no seu GPS e vá em frente :-).  Há estacionamento ao lado da estação Betten.

O ticket para subir aos alpes custa 18.80 francos (ida e volta) para adultos. Você paga tarefa reduzida se tiver o abonamento da SBB ou o GA (General Abonnement).

Mais informações você pode encontrar aqui

Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...