24.7.14

O que eu nunca serei...

De todos os defeitos que eu possa abominar no ser humano, o puxa-saquismo é uma das coisas que eu não consigo suportar.

Não sou, não consigo ser e nunca serei uma puxa saco. Ainda que isso já tenha me custado algumas "vantagens" que eu já "perdi" na vida por não querer fazer parte de panelinhas ou de não querer puxar o saco de determinadas pessoas para conseguir vantagens ou benefícios.

E viver em uma atmosfera onde há pessoas que se prestam a esse papel, é deprimente. Na penúltima empresa em que eu trabalhei antes de vir morar na Suíça, vivi uma realidade assim. Eu trabalhava em um depto que eu achava legal e com pessoas legais, mas que eu já estava meio desmotivada. Em um determinado momento, surgiu uma vaga interna para outra área. Eu me candidatei e acabei sendo transferida.

Só depois é que eu percebi que o gerente daquela área era aquele tipo de pessoa que  a-d-o-r-a-v-a  ser bajulado! Tem gente que corta logo de cara os bajuladores quando os reconhece, tem gente que gosta e até incentiva esse tipo de comportamento. Era o caso dele.

O puxa-saquismo e a bajulação eram tão grandes, que eu me sentia fora de lugar todos os dias naquele departamento. O que fazer nesta situação? Entrar na onda? Fingir que não vê nada? Procurar outro emprego? Pedir pra sair, rs...? Oh céus! O que também não dá pra fazer neste caso é se prejudicar e criar uma imagem antipática de si mesma. Existe uma linha muito tênue entre puxar o saco e entre a fazer uma política de bom relacionamento dentro de uma empresa. Eis a questão.

Felizmente depois de alguns meses houve uma fusão entre departamentos e esse gerente passou a ter menos poderes, digamos assim, e o ar ficou mais respirável.

O que eu quero dizer, é que não importa onde você esteja, você sempre encontrará pessoas desse tipo pelo seu caminho. Algumas, se a relação for de amizade por interesse, você pode dispensar. Entretanto em relações profissionais, isso nem sempre será possível. E algumas pessoas não hesitarão em fazer de um tudo para conseguir o que querem!

Felizmente eu sempre fui forte e suficientemente realista para saber até onde eu posso ir sozinha e quando preciso pedir ajuda para continuar adiante, sem precisar passar por cima de ninguém e dos meus princípios. Triste é ver o contrário.


7 comentários:

  1. Minha queridona

    Vc sempre foi guerreira, batalhadora e maravilhosa.
    Nunca precisou de nada disto para subir na vida.
    Quem te conhece sabe quem vc é.

    bjokas com sdd =)

    ResponderExcluir
  2. Concordo com tudo, Sandra. Realmente, os bajuladores parecem encontrar (ou criar) mais oportunidades, mas sinceramente, prefiro o caminho mais longo. Além de tudo é chato e nem um pouco chique, como diria a Glória Kalil, né? rs

    ResponderExcluir
  3. No mundo da moda,onde os egos são inflados e a competição pela glória é surreal,o q mais tem são puxa-sacos...acho q nunca serei ninguém pois tb me recuso a fazer isso pra subir...

    ResponderExcluir
  4. Tem toda razao Sandra, adorei o esse final "triste e ver o contrario". Puxa-saquismo, puxador de tapete, gente sem limites, infelizmente o mundo ta povoado deles, e cabe a gente lembrar de ser profissional, realista e aprender a lidar com esse povo sem ser como eles.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Ja tive chefes que gostavam de serem bajulados...

    ResponderExcluir
  6. Nossa, Sandra, não suporto bajuladores, e sinceramente eu seria que nem você, ficaria no meu canto mas seria cordial e respeitosa, mas puxa-saquismo não dá!!! haha

    beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oi Sandra, tudo bom? Pessoas falsas e bajuladoras há mesmo em todo o lado e eu conheço a sensação de ter de conviver diariamente com esse tipo de gente. Haja paciência, e muita, para se viver neste mundo! Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo! Obrigada!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...