31.7.14

Baciada suíça

Lá em São Paulo, quando a gente comprava alguma coisa naquelas bancadas de promoção, nós dizíamos que tínhamos achado na baciada. Não sei de onde vem esse termo, mas acho que tem a ver com as frutas vendidas na feira por bacia. A baciada da maça, da uva, da pera e por ai vai... que tinha um preço x.

Hoje em dia por lá acho que ainda se use esse termo pra dizer que pagou barato ou mesmo pra tirar o sarro de alguma peça que foi comprada no "bacião", rs...

Lembrei disso porque aqui na Suíça, faz algumas semanas, que começou a época dos saldos, ou de Rabatt, como se diz por aqui.

É uma ocasião em que com um pouco de sorte e paciência dá pra comprar coisas ótimas por preços excelentes! Das lojas mais caras às mais baratas, se encontra de tudo nas promos! Já comprei roupas e casacos de boas marcas com descontos de até 70 e 80%. Uma maravilha!

Hoje mesmo na Manor, que é uma grande loja de departamentos suíça, que vende produtos de beleza, eletrônicos, roupas, papelaria e etc...  comprei alguns produtinhos e paguei apenas 1 franco por cada um! Era o saldo do saldo, rs.. e deu pra cavar algumas coisinhas. Olha, foi uma disputa paciência pra ficar revirando aquele mundo de produtos e se acotovelando com outras mulheres procurando algo que valesse a pena, rs..


Outras lojas populares como a Zara, a Mango (sim elas não são consideradas lojas chiques ou caras na Suíça, como são no Brasil) e a H&M também fazem promoções que são verdadeiras pechinchas.

TShirt da Zara com detalhes em miçangas e paetes por 9.90 francos. O preço original era 35 francos.

Eu, particularmente, só compro nestas lojas na época de saldos mesmo, porque eu acho que na maioria das vezes, não vale a pena pagar o preço cobrado pela qualidade que as roupas oferecem. Mas essa é só minha opinião. A Zara mesmo é uma loja que eu meio que me "desencantei", além que eu não tenho muito sorte de encontrar algo por lá por um preço que eu queira pagar (a pão dura, hehe). Por sorte encontrei essa camiseta!

Na H&M, por exemplo, eu estabeleci um budget de no máximo 10 francos por peça para gastar lá, rs.. porque a loja é uma fast fashion e eu sei que os preços vão baixar muiiito depois que a modinha passar, então eu prefiro esperar e tentar garimpar alguma coisa por lá nesta época.

Na H&M roupas a partir de 5 e 10 francos. Quem resiste? A mulherada pira!
Eu gosto da H&M pra comprar roupinhas mais básicas e pecinhas de algodão, ou roupinhas para "durar um verão", por exemplo. Se bem que eu tenho pecinhas que comprei por lá, que já duram um tempão. Regatinhas de algodão que paguei 5 francos e que continuam inteiras, além de meias, vestidinhos, tudo muito barato!!

Em uma das últimas vezes em que estive por lá, acabei comprando algumas roupas que já eram baratas e que na promoção ficaram ainda mais em conta.





Calça por 10 francos e shorts para o verão brasileiro (porque o verão suíço parece que foi embora), por 5 franquinhos.

A calça eu comprei meio que na empolgação, não sei se vou me acostumar com a estampa, rs.. enfim mas não achei o tecido ruim e o corte dela caiu bem pra mim.  Além dessas ainda consegui comprar um vestidinho e blusinhas de algodão, que foram igualmente baratas.

Agora já é o saldo do saldo, então as numerações e os modelos já estão mais limitados. No mais, acho que sempre vale a pena procurar algumas coisa nas "baciadas", com sorte você encontra coisas bem legais!

Os próximos saldos na Suíça acontecerão no final do mês de dezembro e é uma boa época para renovar o guarda-roupa de inverno.
Continue lendo ››

28.7.14

Hallo Sweet ♥ Zerland, eu vejo flores em você!

No verão, uma das marcas registradas das casas e dos comércios da Suíça (como também de toda a Europa), são as flores que decoram as varandas e as sacadas.

Sacadas floridas na cidade de Gstaad na Suíça

A fachada do chiquérrimo Hotel Savoy, na Paradeplatz em Zurique

Fica tudo tão bonito, que entra verão (oi? cadê?) e sai verão, que eu não canso de me admirar com a beleza das flores que aparecem para enfeitar as ruas, as varandas, as sacadas e os canteiros da cidade.



Gerânios, margaridas, verbenas, rosas, enfim, uma infinidade de tipos e cores de flores, deixam as cidades ainda mais bonitas!




Kapellbrücke na cidade de Lucerna toda decorada por flores!

Não é raro observar em uma caminhadinha pelas ruas, as muitas sacadas de casas e apartamentos com suas flores nas janelas e nos quintais. Tem cada jardim tão lindo por aqui...



Uma amiga minha esteve aqui no mês passado e ela ficou encantada com a quantidade de flores que viu pela Suíça.

Uma casinha muito fofa em um bairro perto da minha casa

Entretanto ela lembrou que é uma pena que no Brasil, por causa das grades nas janelas fique difícil  manter esse hábito!



Os canteiros e algumas fontes das cidades também ganham muitas flores, que permanecem sendo cuidadas durante toda a primavera-verão.


As florzinhas permanecem intactas. Ninguém destrói ou as tira dos lugares em que estão plantadas.


Simplesmente não tem como não se animar a plantar ou mesmo ter um vasinho de flor em casa nesta época do ano.

Em casa eu tenho uma roseira e algumas outras florzinhas em vasos.


As vezes eu uso a minha bicicleta para comprar flores. Dá até vontade de deixar o vasinho de flor a decorando, rs...



Mas bem que poderia parar de chover um pouco e o sol brilhasse mais neste verão suíço, que eu acho que está sendo o mais chuvoso de todos os tempos!!!!

Bom, pelo menos eu tenho as flores!


Continue lendo ››

27.7.14

Antes e depois: minha cômoda

Na arrumação que fizemos na casa que foi dos meus sogros,vários móveis foram doados, outros ficaram com a minha cunhada e um ou outro trouxemos para a casa também.

Os móveis, na sua maioria, eram de madeira maciça e antigos, o que não combinava muito com a minha casa. Entretanto, uma cômoda que havia por lá, me fez enxergar um potencial nela para uma possível reforma.

Eu não sou lá muito boa com decoração e essas coisas, mas resolvi trazer a cômoda para tentar reformá-la.

Já tinha imaginado lixar toda a cômoda para tirar toda a cor escura da madeira e o verniz que houvesse nela, e ia ser um trabalhão, mas não desisti, rs...

Por fim, meu marido encontrou um produto decapante que foi uma mão na roda!


Com esse produto foi possível decapar toda a madeira (sem estragar o móvel) e retirar toda a cor escura e o verniz dela. Foi só aplicar uma mão bem grossa do produto, esperar uma hora para secar e ir o retirando com uma espátula. Algumas vezes precisei aplicar mais de uma mão do produto e lixar as extremidades para um melhor resultado.

A cômoda, no original era assim:


Depois da reforma, ficou assim:


Escolhi branco porque sou minimalista mesmo, rs... Gosto de cores, mas em decoração, pra mim, vale a regra do menos é mais, sem contar que, na minha opinião, branco fica difícil de enjoar. E se isso acontecer, é só colocar um vaso, pendurar um quadro perto do móvel, e etc... que a "cara" dele muda.

Eu demorei alguns meses para finalizar esse mini projeto, mas achei que a reforma valeu a pena.


E agora eu tenho uma nova cômoda !

Continue lendo ››

24.7.14

O que eu nunca serei...

De todos os defeitos que eu possa abominar no ser humano, o puxa-saquismo é uma das coisas que eu não consigo suportar.

Não sou, não consigo ser e nunca serei uma puxa saco. Ainda que isso já tenha me custado algumas "vantagens" que eu já "perdi" na vida por não querer fazer parte de panelinhas ou de não querer puxar o saco de determinadas pessoas para conseguir vantagens ou benefícios.

E viver em uma atmosfera onde há pessoas que se prestam a esse papel, é deprimente. Na penúltima empresa em que eu trabalhei antes de vir morar na Suíça, vivi uma realidade assim. Eu trabalhava em um depto que eu achava legal e com pessoas legais, mas que eu já estava meio desmotivada. Em um determinado momento, surgiu uma vaga interna para outra área. Eu me candidatei e acabei sendo transferida.

Só depois é que eu percebi que o gerente daquela área era aquele tipo de pessoa que  a-d-o-r-a-v-a  ser bajulado! Tem gente que corta logo de cara os bajuladores quando os reconhece, tem gente que gosta e até incentiva esse tipo de comportamento. Era o caso dele.

O puxa-saquismo e a bajulação eram tão grandes, que eu me sentia fora de lugar todos os dias naquele departamento. O que fazer nesta situação? Entrar na onda? Fingir que não vê nada? Procurar outro emprego? Pedir pra sair, rs...? Oh céus! O que também não dá pra fazer neste caso é se prejudicar e criar uma imagem antipática de si mesma. Existe uma linha muito tênue entre puxar o saco e entre a fazer uma política de bom relacionamento dentro de uma empresa. Eis a questão.

Felizmente depois de alguns meses houve uma fusão entre departamentos e esse gerente passou a ter menos poderes, digamos assim, e o ar ficou mais respirável.

O que eu quero dizer, é que não importa onde você esteja, você sempre encontrará pessoas desse tipo pelo seu caminho. Algumas, se a relação for de amizade por interesse, você pode dispensar. Entretanto em relações profissionais, isso nem sempre será possível. E algumas pessoas não hesitarão em fazer de um tudo para conseguir o que querem!

Felizmente eu sempre fui forte e suficientemente realista para saber até onde eu posso ir sozinha e quando preciso pedir ajuda para continuar adiante, sem precisar passar por cima de ninguém e dos meus princípios. Triste é ver o contrário.


Continue lendo ››

22.7.14

Vai ter verão?

Depois de todas as indagações vai ter copa, não vai ter copa (!?)  -  chegou a hora de eu perguntar: vai ter verão?
Todos os anos é o mesmo drama e este bloguinho não seria um blog sobre a Suíça se questões relacionadas a meteorologia não aparecerem por aqui.
Porque é assim: se chove, a gente reclama. Se não chove, reclama também. Se esquenta demais, reclamamos, se esfria, idem.

A grama nunca esteve tão verde :-).

Só sei que este verão está bem mais ou menos. Em vez de sandálias, os sapatos fechados é que estão saindo do armário para serem usados. Está chovendo horrores e os dias de sol estão contadinhos e devem ser bem aproveitados. De preferência no lago ou nas piscinas públicas (chamadas de Badi), que não faltam na Suíça. Não é nem preciso ser sócio para frequentá-las e nem é necessário exame médico. É só chegar lá, pagar uma pequena taxa (algo em torno de 5,6 francos) e se jogar! Por aqui, ninguém fica na mão no verão não, só é preciso que o sol apareça, rs...

Piscina pública do Aarau. Foto Badi-Info.ch

Será que pelo fato de termos tido um inverno bem ameno, teremos também um verão idem?  Oficialmente ainda faltam dois meses para o fim do verão. Oremos!

Continue lendo ››

14.7.14

As frutas na Suíça

Vira e mexe quando conversava com amigos ou família que moram no Brasil, alguém tinha a curiosidade de saber se na Suíça conseguimos encontrar as frutas que temos no Brasil.

Sim, hoje em dia na Suíça conseguimos encontrar uma boa variedade de frutas. A maioria chega aqui através de importação, seja dos países europeus, como a Itália e a Espanha, como dos "longíquos" países sulamericanos, como o Brasil ou a Colombia, por exemplo.


Frutas como a maça, o morango e os pessegos por exemplo, são em grande maioria cultivados na Suíça e sempre tem um aviso nomeando que aquela fruta vem de tal região da Suíça. Existe também muito incentivo para que as pessoas deem mais preferência ao consumo das frutas da região.



Os suíços estão acostumados a conhecer todas as frutas da estação: morangos, amoras, framboesas em junho, pêssegos em agosto, mexericas em dezembro, e por ai vai...


Nos dois maiores supermercados da Suíça, o Migros e o COOP, é possível encontrar durante todo o ano, frutas tropicais como o maracujá, o abacaxi, a banana, a laranja e etc... além de kiwi, limão, abacate, mamão formosa e papaya (esses exclusivos do Brasil). Frutas como o maracujá, a manga e o abacaxi, por exemplo, são nomeadas como "exóticas" nas prateleiras dos supermercados.


Bananas, por exemplo não são vendidas por dúzias, como estamos acostumados no Brasil, mas por kilo. Você pega quantas unidades quiser, põe na sacolinha e você mesma pesa na balança que fica na seção de frutas. Não tem um funcionário para fazer isso por você. Frutas como a manga e o mamão, por exemplo, são vendidos por unidade (Stück em alemão). Não se engane :-).


Normalmente cada fruta vem descrita com um número e na balança você deve digitar esse número para que obtenha o preço da sua fruta.

Aos poucos fui aprendendo que as frutas são mais saborosas e custam menos na época certa. Agora por exemplo é a época dos melões, melancias e cerejas! Que delícia!!


Passo o verão inteiro comendo melões, rs...


Além das frutas vendidas nos supermercados e em algumas quitandas (principalmente de turcos), existem fazendas que abrem no verão para a "selbst pflücken", que significa que você mesma irá colher direto do pé, as frutas que você quer comprar. 

A diferença é que na maioria das vezes, principalmente aos finais de semana, não haverá um funcionário no local para receber o dinheiro das frutas que você colheu. Tudo funciona na base da confiança e da honestidade: você mesma colhe as suas frutas e deixa o dinheiro em uma caixa que fica no local para o recolhimento do pagamento.

Eu não encontrei nenhuma foto do sistema de caixa da colheita de frutas, entretanto esse esquema também funciona para a compra/colheita de flores. Você corta as flores que vai querer e deixa o dinheiro por cada flor que colher no caixa.


Na cidadezinha alemã de Endingen: caixa para o pagto das flores colhidas


Eu acho tudo isso tão civilizado!

Continue lendo ››

8.7.14

Bernina Express

A ferrovia Bernina Express é uma das mais bonitas rotas de trem turísticas da Suíça. A linha foi idealizada no final do século 19 para servir como meio de locomoção entre os povoados de Valtellina e Poschiavo e os alpes. Com o tempo a rota foi se transformando para promover o turismo na região de Engadin e dos Grisões.

 O simpático mascote do Bernina Express

Em 2008 o Bernina Express entrou para a lista de patrimônios da Unesco. O trem inicia a sua rota em St Moritz, na Suíça, cruzando a fronteira italiana e fazendo o seu ponto final na cidade italiana de Tirano.



É possível também embarcar em Chur ou Davos. A página do Bernina Express na Internet fornece todas as informações e informa todos os pontos possíveis para embarque e desembarque.


Esse foi um dos passeios de trem mais bonitos que eu já fiz pela Suíça. Se fosse para escolher entre esse passeio e o Glacier Express, eu escolheria o Bernina.


Ambas as rotas oferecem vistas mágicas, mas sei lá, a perspectiva de pegar esse trem e parar em uma cidadezinha italiana, eu achei bem mais atraente.




Durante o trajeto você se depara com diferentes tipos de paisagens: de lagos aos alpes, que mesmo no verão permanecem com o topo nevado.


A melhor forma de curtir ainda mais a paisagem é viajar no vagão com janelas panorâmicas. Fica impossível não ir se admirando com as paisagens pelo caminho. Nem tem muito o que falar, é só contemplação e suspiros mesmo, rs.. não me lembro de ter passado por um lugar feio, rs...




Chegando em Tirano, já na Itália, você deve tomar um ônibus, caso queira voltar para a Suíça. O trecho de ônibus já está incluído no ticket do Bernina Express e vai até Lugano na Suíça italiana. Há um intervalo de uma hora desde a chegada em Tirano, até a saída para o próximo bus até Lugano.



A cidade de Tirano é a típica cidadezinha de interior: bem pequena, com algum comércio, restaurantes e hotéis para quem quiser continuar a viagem no dia seguinte. Não é necessário comprar um novo ticket para tomar o ônibus até Lugano no dia seguinte, só é necessário, no ato da compra, fazer essa observação.


A viagem de ônibus até Lugano dura mais ou menos três horas, e tem trechos com paisagens igualmente bonitas pelo caminho, como um pedaço do lago de Como na Itália.

 A Suíça tem uma tradição muito forte e uma ótima infraestrutura para viagens e deslocamentos em trens. O país inteiro foi pensado tendo a malha ferroviária como a primeira opção para o ir e vir da população.

Então, estando aqui, acho que além dessa ser uma viagem muito bonita, é também uma imersão pela história dos trilhos suíços.
 
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...