23.5.14

Hafenkran, a obra de arte da discórdia

Eu ia escrever arte entre aspas, mas sei que o gosto e a admiração pela arte é um conceito bem subjetivo. Cada um tem o seu gosto e o que agrada a mim pode não agradar ao outro.

Eu me considero uma pessoa de mente super aberta para as manifestações artísticas e culturais. Acho que os movimentos artísticos nos leva a questionar sobre muitas coisas, nos abre a mente e nos coloca em contato com a beleza, com a sensibilidade, com a história do artista e por ai vai... Eu gosto de arte moderna, embora eu não seja a pessoa mais entendida no assunto para discutir isso com alguém, mas gosto sim, de ver trabalhos deste segmento em exposições ou por algum museu, como o Museu Tinguely em Basel ou o Centro Paul Klee em Berna.


E como manifestações artísticas sempre rendem uma boa discusão, uma das coisas que tem chamado bastante a atenção em Zürich, é a enorme instalação chamada Hafenkran (guindaste do porto), que foi instalada em frente a Rathaus (prefeitura) de Zurique e às margens do rio que cruza a cidade, o Limmat.



Essa instalação gerou muita controvérsia, pois não é assim um tipo de arte que agrade, digamos assim, a massa. Tanto é que dos comentários que eu li a respeito, a maioria se mostrava contra o projeto.



Os idealizadores acreditam que a aceitação ou não de um a manisfestação de arte, vem sempre acompanhada de algum conflito. Eles afirmam que há sim muitas reações positivas e que o guindaste tem uma grande qualidade artística e surge como um símbolo da abertura da cidade de Zurique ao novo. Segundo eles, a aceitação é uma questão de tempo e Zurique precisa de um marco como esse.

... então tá...

O custo do Hafenkran para a cidade de Zurique foi de seiscentos mil francos e a instalação deve permanecer na cidade por seis meses.

Eu sei que eu, particularmente, ainda não me acostumei com este guindaste. O meu olhar só consegue enxergar algo que parece um guindaste de uma construção cívil. Sinceramente, eu ainda não consegui identificar a arte ali. Mas, é isso, a beleza está nos olhos de quem vê. E eu ainda não consegui enxergá-la neste aspecto. Quem sabe daqui há alguns meses meu olhar também se acostume ao Hafenkran...


De qualquer forma, Zurique continua linda.



E se sentar a beira do Limmat, com ou sem o Hafenkran, continua sendo um programa gostoso de se fazer!

11 comentários:

  1. Oi flor,
    olha também não consegui ver "arte" nesta obra... isso porque não entendo talvez... rs
    Pra mim tem que agradar os olhos, e não agradou.
    Como disse Zurique ainda continua LINDA!!
    Beijos e bom final de semana

    ResponderExcluir
  2. Se vc nao tivesse falado que é arte... eu acharia que era uma obra inacabada. kkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Acho q não entendo nada de arte pois achei essa coisa uó,horrivel!!!!

    ResponderExcluir
  4. Eu nao gosto de arte moderna, por me causar muitas duvidas, com relacao ao sentido e opiniao dos criticos de arte. Por exemplo definir arte para esse Hafenkran. Uma vez vi uma obra no museu Sofia de Madrid, era uma tabua com muitos pregos, interpretei que o artista queria passar algo como "chuvas de pregos", na verdade era bem feio, grotesco! Enfim, por isso que eu nao levo em consideracao as opinioes dos criticos ;-) Feliz sabado xxx

    ResponderExcluir
  5. Discutir arte é como discutir gosto pessoal para muitas coisas, complicado...Mas para falar em marcos de cidade, como arquiteta, eu acredito que eles sejam importantes para (re)afirmar uma cultura local, uma cidade por si só ou simplesmente servir de referência. Geralmente os marcos são controversos sim, e nesse caso aí de Zurique, acredito que a ideia foi proposital em criar um "furdunço" em torno dele. Se ele é bonito, legal, agradável, não sei, mas com certeza ele cumpre a função de marco. É só pensar na torre Eiffel, que foi construída para uma feira e de início os parisienses odiaram, agora imagina Paris hoje em dia sem ela? Tá, talvez esse guindaste não seja o marco que Zurique precise (deve ter vários outros né), mas a ideia de chamar a atenção é a que vale. Ou não, hahaha!

    ResponderExcluir
  6. Voce tem razao que a arte e uma questao de gosto e perspectiva mas concordo com voce e com a maioria dos comentarios no seguinte: isso e muito feio! Mas Zurich continua linda como sempre...rs.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Só rindo, viu Sandra. Cada idéia que se tem por aí, vai entender. Sei lá, também não gostei. Penso que ninguém vai notar daqui uns tempos. O que não agrada aos olhos se torna invisível! hahaha

    ResponderExcluir
  8. É, não curti muito, parece arranha-céu de grandes metrópoles rs. Mas arte é subjetiva, como vc mesma disse rs.
    Estragou a bela paisagem de Zurich rs

    Kisu!

    ResponderExcluir
  9. Caramba Sandra....hummm..como direi...diferente! Quando olhei achei que fosse um teleférico...kk..mas quem sou eu pra julgar...cada um com a sua arte...
    Agora, essa sentadinha na beira do rio é tudo de bom!!!!
    Bjks

    ResponderExcluir
  10. Cada lugar com sua mania. Acho que também não gostei. Talvez se tivessem pintado esse guindaste como uma girafa teria feito mais sucesso. Aposto que todo mundo ia querer fotografar e colocar as crianças ali embaixo fazendo pose rs.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Depois da votação a favor do fechamento das fronteiras (lado alemão), acho q o pessoal está mesmo precisando de algo q os faça refletir sobre a chegada do novo e o q esse movimento pode trazer de bom.

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo! Obrigada!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...