27.1.14

52 Objetos - Semana 34


♥ Objeto 34

O que é: Par de tênis

De onde vem: Foi comprado em uma loja suíça chamada Navyboot

Onde fica: Quando não estou usando, ficam na sapateira


Porque foi escolhido: Bom essa escolha é um pouco contraditória, porque apesar de eu não gostar de tênis, desse eu gosto! Na verdade eu não gosto de usar tênis esportivo/de academia na rua, não adianta. Gosto de tênis mais "arrumadinho". Tenho outros dois pares de tênis esportivos que eu uso só quando vou fazer caminhada nos parques ou nas montanhas. Na rua, jamais, rs...

Esses tênis são super confortáveis e bem leves e caem bem com todos os tipos de jeans que eu tenho. Não é um tênis para ser usado no frio, mas para a primavera e outono, é ideal. Eles já estão meio velhinhos e estão ficando acabadinhos, mas vou usando até chegarem ao fim :-). Adoro!!!
Continue lendo ››

24.1.14

Resultado do sorteio

Então vamos ao resultado do primeiro sorteio do blog.

Para organizar, eu enumerei as pessoas de acordo com a ordem dos comentários que foram chegando, conforme abaixo:


O sorteio foi feito através do site random.org.

E os números cabalísticos foram:


Primeira sorteada, número 11: Madi Muller (vai poder escolher qual o kit quer levar)



Segunda sorteada, número 1: Bárbara

Parabéns!!!

Vou enviar um email para vocês ainda hoje.

Obrigada a todos pela participação!

Continue lendo ››

20.1.14

52 objetos - Semana 33


♥ Objeto 33

O que é:  Casal de beijadores




De onde vem: de Ouro Preto

Onde fica: Na estante do escritório

Porque foi escolhido: Quando fomos à Ouro Preto e entramos em uma das lojinhas de artesanato, marido encontrou por acaso esses casalzinhos de beijadores, que estavam lá, no meio de outras esculturas de madeira. Ele me mostrou e de cara gostamos deles e assim compramos. Eles estão na estante meio que temporariamente, porque estamos para comprar um aparador para o quarto e ai eles ficarão lá :-).


Continue lendo ››

18.1.14

Verdingbub, um capítulo triste da história suíça

Se a Suíça é muitas vezes lembrada por causa da linda paisagem alpina, pela igualdade social e até pela historinha da Heidi, pouca gente, até há bem pouco tempo atrás, sabia, ou se sabia, não comentava, sobre a parte, talvez mais obscura da história suíça, e que foi trazida à tona através do filme Verdingbub.

Vergingbub significa algo como contrato de trabalho para crianças ou crianças trabalhadoras, na verdade não sei qual seria a tradução exata, mas no decorrer do post, dará para ter uma idéia do que isso significou para a Suíça.

Entre 1920 e 1960 muitas crianças foram tiradas de seus pais na Suíça, ou porque eram muito pobres ou por razões morais (por exemplo, se o filho fosse de uma mãe solteira, de uma mãe divorciada, de origem cigana e etc...), alguns pais também foram coniventes com essa política, vendendo o filho para famílias ricas. A maior parte das crianças, no entanto, foram enviadas para trabalhar em fazendas. Haviam leilões onde as crianças eram entregues a fazendeiros, garantindo a eles mão de obra barata, além do fazendeiro ser aliviado nos impostos por supostamente estarem "cuidando de uma criança".

Quando o filme Verdingbug foi lançado em 2011, e alcançou grande sucesso na Suíça, (o filme concorreu, inclusive, na Berlinale), ele trouxe a história a tona e causou um rebuliço no país. O filme mostrou os abusos fisicos e psicológicos, os mal tratos e as punições sofridas pelas crianças por parte da família adotiva.

Ainda, com o lançamento de uma biografia de um "ex Verdingbub" e com o lançamento do filme, que ocorreria após a biografia, foram surgindo as crianças, hoje já adultos, que romperam o silêncio e confirmaram que foram severamente maltratadas pelas famílias adotivas, que sofreram negligência, espancamentos, estupros e abusos psicológicos.

O que chocou também foi que grande parte da população suíça afirmou nunca ter ouvido falar sobre isso. É uma parte da história que todos, que sabiam dela, fizeram questão de esconder. O ator principal do filme, em uma entrevista na TV, disse que nunca tinha tomado conhecimento da história antes de ser convidado para fazer o filme. Ele afirmou que na escola, na igreja, entre familiares, nunca foi comentado nada sobre o assunto.



Essa semana o filme (que está disponível em suíço alemão e em alemão padrão, o hoch deutsch) foi reprisado mais uma vez pelo canal suíço SRF, por isso lembrei de escrever este post. Na ocasião em que eu assisti ao filme, eu fiquei realmente chocada, tanto pela história e pelo que as crianças passaram, como pela quantidade de pessoas que desconheciam esse fato!

Ninguém sabe ao certo qual o número de crianças "ex Verdingbub" que vivam hoje na Suíça , mas segundo estimativas, calcula-se que sejam milhares, já que essa prática durou até 1970. O cantão de Berna, foi onde houve o maior número de crianças nesta situação. Calcula-se que elas foram responsáveis por pelo menos 20% de todo o trabalho agrícola da região na década de 50.

Em abril do ano passado foi feito um pedido formal de desculpas às vítimas pelo governo suíço, admitindo que houve um crime e violação da dignidade humana. As vítimas aguardam ainda uma indenização do governo.

Agora, essa é uma parte da história suíça que não será mais esquecida.


Continue lendo ››

16.1.14

Sorteio - 2 anos de blog

PARTICIPAçÃO ENCERRADA

Oi pessoal! Como eu escrevi já há alguns posts atrás, finalmente vai sair o sorteio para comemorar os dois aninhos do blog! Eu tardo, mas não falho :-).

Quando eu comecei a escrever no blog eu não sabia que seria tão legal e que atrairia tanta gente :-). Assim, até como forma de agradecimento, pois eu aprendi e recebi muitas coisas boas através deste espaço, vou sortear dois kits com algumas coisinhas que de alguma forma representam a Suíça.

Você pode participar enviando um comentário com o seu nome, o seu blog (para quem tiver) e/ou um email para contato. O sorteio será feito pelo site random.org e cada participante receberá o seu número no sorteio de acordo com a ordem em que os comentários forem chegando. O sorteio será finalizado na próxima quinta-feira, 23/01. Na  sexta, dia 24 divulgarei os(as) ganhadores(as).

Os prêmios serão esses:






Os dois kits são praticamente iguais, e todos os produtos são made in Suíça. Cada kit contém:

1 pacote de biscoitos finos com cobertura de chocolate no formato da montanha Matterhorn
1 tablete do Toblerone com amêndoas caramelizadas e tostadas
1 tablete de chocolate ao leite Lindt
1 tablete de chocolate meio-amargo da marca Frey sabor Laranja (delícia!!)
1 caixinha de pastilhas sabor laranja e menta da marca Ricola (muito consumida na Suíça)
1 creme para as mãos
3 sachezinhos de geléia (sabores variados)
1 vaquinha porta-recados
1 latinha no formato pote de leite com mini chocolates suíços OU
1 latinha com mini chocolates da marca Lindt

O que difere entre um kit e outro é que um kit irá com a latinha em forma de pote de leite e o outro irá com a latinha vermelha com mini chocolates Lindt. O primeiro sorteado poderá escolher qual deles quer levar.

O sorteio é aberto a todos (de qualquer lugar do mundo) leitores do blog. Vamos lá, participem e boa sorte!!!


Continue lendo ››

14.1.14

Brienz

Como há muito tempo não se via, o inverno começou com dias escandalosamente lindos! Claro que inverno é inverno, e também estamos tendo dias muitos nublados e chuvosos, mas não está tão frio como esperado para esta época do ano e tão pouco nevou como de costume.

Mas é bom não se empolgar muito, rs... ainda temos o resto do mês de janeiro, fevereiro e março, que costumam ser meses bem frios. Mas, depois do inverno difícil que tivemos ano passado, tenho mais é que agradecer por cada raio de sol deste ano!

E foi em um desses dias lindos de inverno, que corremos para as montanhas para aproveitar o dia. E quando podemos ter a combinação dos alpes com os lagos cor de turqueza refletido pelo sol, ai é mesmo um show a parte!

Lago de Brienz

Assim, fomos parar em Brienz, uma cidadezinha suíça que fica na região de Berna, (Bern Oberland, a parte alta de Berna) e bem próxima a Interlaken, que dá acesso para a montanha Jungfraujoch, um dos lugares mais visitados e conhecidos na Suíça. Eu já havia estado por lá, mas foi somente uma passada rápida, desta vez deu para aproveitar bem mais a cidade.


Da igrejinha que está encrustada em uma colina dá para ter uma vista panorâmica do lago e de parte da cidade.

Brienz é cortada pelo lago Brienzersee. A cidade fica no acesso para cidades como Grindelwald e Spiez (próximos posts), que estão cercadas pelos alpes.


A orla que cerca o lago é bem estruturada, com muitos hotéis, cafés, restaurantes, banquinhos e espreguiçadeiras para se esticar e curtir a linda paisagem.


Esculturas talhadas em madeira e estátuas estão posicionadas na promenade do lago, o que torna a caminhada ainda mais agradável. É impossível não dar uma paradinha para observar os detalhes das esculturas de madeira.




Deu até para eu treinar um cliques de fotografia :-), mas na boa, não precisa nem ser bom fotógrafo ou ter uma câmera super top para as fotos sairem bonitas em um lugar como esse e com esta vista. Eu posso morar aqui o resto da minha vida, que eu acho que eu nunca vou deixar de me admirar com paisagens como essas.


Além do lago, a outra atração de Brienz, é a Brunngasse, uma das ruas mais antigas da Suíça. Ela está localizada paralela a Hauptstrasse (rua principal) e bem perto do See Hotel Baren.


A rua já recebeu o título da "rua mais bonita da Europa", devido as lindíssimas casas de madeira que se encontram lá. A maioria das casas existem desde o século 18, algumas passaram por uma restauração e ainda mantém o charme :-).



Tivemos sorte, pois pegamos a rua vazia. Já nos disseram que no verão e na alta temporada é difícilimo encontrá-la vazia. Imagino que no verão, com todas aquelas flores nas sacadas as casas fiquem ainda mais lindas!



Olhando agora essas fotos, me lembrei daquelas casinhas que apareciam em contos infantis. Só faltavam ser cobertas de doces e chocolates, como as do João e Maria :-).



Mas sem bruxa má, por favor :-).

Continue lendo ››

13.1.14

52 Objetos - Semana 32

♥ Objeto 32

O que é: Caixinha de manicure

De onde vem: A caixinha comprei na Ikea e os esmaltes são um pouco daqui e um pouco do Brasil

Onde fica: Dentro de um armário



Porque foi escolhido: Esse é o meu kit manicure.  Como já escrevi em alguns posts, aqui na Suíça eu me transformei na minha própria manicure, depiladora e as vezes cabeleleira (quando resolvo tingir o cabelo, rs...).

Quando encontrei a minha amiga do Brasil ela me trouxe amolecedores de cutículas e tantos esmaltes lindos de presente, que acho que tenho estoque por um ano :-). Na caixinha estão meus esmaltes, bases, lixas, creme para cutículas e etc... Faz um tempinho que eu deixei de tirar as cutículas (de vez em quando tiro só por cima quando estão muito grossas) e só as empurro bem com um a espátula e hidrato sempre para não ficar com aquele aspecto feio. Acabou virando costume eu mesma fazer as minhas unhas. A prática vai levando a perfeição :-).

Continue lendo ››

10.1.14

Zurique cult

Quase sempre a cidade de Zurique é mais lembrada por ser a sede financeira da Suíça, pelos seus bancos, pela famosa rua de compras, a Banhofstrasse e pela atmosfera business da cidade. Até ai, nada de anormal, porque a cidade representa tudo isso mesmo. Mas por trás disso tudo, existe uma Zurique cult, uma parte moderninha da cidade, onde está, digamos assim, o lado mais alternativo dela.

A área da Neumarkt que fica localizada no centro antigo da cidade, próximo ao distrito da Niederdorf (Dörfli para os locais) guarda o lado mais vanguardista de Zurique. Você pode começar a explorar a área a pé mesmo, a partir da Central, entrando em uma das vielinhas que sem erro, você já vai estar nesta região.

Central, em Zurique

Os distritos de Dörfli e Neumarkt meio que se misturam, onde acaba um, começa o outro, a área é caracterizada por ruazinhas que começam e terminam entre um distrito e outro.
  



É no distrito de Neumarkt, na ruazinha chamada Spielgelgasse que está localizada a casa onde Lenin morou durante um ano e lá finalizou a obra "Imperialismo, fase superior do capitalismo". Neste período, Lenin utilizou muito a biblioteca de Zurique, que está localizada nas imediações. (fonte: zuerich.com)

No número 17 da  Spielgelgasse está localizada a casa onde
viveu Lenin.

Algumas outras fachadas ainda guardam referência a poetas e escritores que moraram nesta região, num prenúncio do que o bairro representaria nos dias de hoje: um reduto para os artistas contemporâneos.



Fachada de prédios onde viveram os poetas George Büchner e o Joh Caspar Lavater, que foi visitado por Goethe em 1775

Ainda nesta área podem ser encontradas lojas de design contemporâneo, cinemas com uma programação mais alternativa, como a Arthouse, com filmes menos comerciais, e até serviços especializados que resistem ao tempo, como o hospital de bonecas e ursinhos de pelúcia à lojas com produtos de design exclusivo.



Há poucos metros da casa do Lenin, na Spielgegasse número 1, está localizado, o que pode ser talvez o simbolo mais "cool" desta região: O Cabaret Voltaire.



O Cabaret Voltaire foi aberto em 1916 . Dizem que Albert Einstein foi frequentador do Cabaret à época em que ele estudou em Zurique. Pelo fato da Suíça ter sido (e ainda é) um país neutro, durante a primeira guerra mundial, muitos artistas se refugiaram no país dos queijos e dos chocolates :-).

Nesta casa em 05 de fevereiro de 1916 foi
inaugurado o Cabaret Voltaire e criado o Dadaismo.

Foi nesta ocasião que um grupo de artistas que frequentava o Cabaret Voltaire criou o movimento artístico denominado Dadaísmo, que protestava contra a guerra e era a favor da liberdade da criação artística. O movimento abrangia as áreas da arte, da música, e do teatro e se estendeu também por outros países da europa.
 
Com o correr dos anos, o prédio que abrigava o Cabaret Voltaire, ficou fechado mas, em meados de 2002, um grupo de artistas ocupou - ilegalmente - o local para protestar contra o seu encerramento. Ao longo deste período, que durou três meses, houve uma série de performances, festas e saraus com diversos artistas. A população de Zurique participou ativamente destas atividades, mas em abril de 2002 a polícia expulsou os ocupantes :-(.

Desde 2004 o Cabaret Voltaire voltou a funcionar como um café e um centro cultural, subsidiado pela prefeitura de Zurique e pela iniciativa privada.

             Parte do café-bar Voltaire


Lá é possível ver algumas exposições de arte e fotografias e tomar um café. Em um dos dias que eu estive por lá, estava sendo exibida a projeção que conta a história de como surgiu o Dadaísmo. Atualmente está sendo exposta a temática Dada x estatística, que é uma mostra dos últimos 100 anos da cidade de Zurique, com os dados estatísticos da população, assim como os dados da profissão mais antiga do mundo, que na Suíça é regulamentada.





Há ainda uma lojinha na entrada que vende cartões, gravuras, e outros pequenos objetos de designers. A entrada no Cabaret é grátis, e a programação (somente em alemão) pode ser conferida na webpage do Cabaret.




Em 2008 houve um referendo para saber se a cidade ainda deveria arcar com os custos para manter o Cabaret funcionando, isso porque o partido de extrema direita SVP propunha o fim do incentivo. A maioria da população de Zurique foi a favor, o que garantiu a permanência do Cabaret Voltaire na cidade.

Vale a pena sair um pouco dos arredores da Banhofstrasse e do lago de Zurique, que são as atrações turísticas mais conhecidas da cidade e descobrir um pouco mais desta área "cult" e moderninha de Zurique.


Continue lendo ››

6.1.14

52 Objetos - Semana 31


♥ Objeto 31

O que é: Telefone celular



De onde vem: O meu é da Samsung, mas não sei onde foi comprado, pois foi um presente do marido

Onde fica: Normalmente na minha bolsa

Porque foi escolhido: Nos dias de hoje não dá mais para viver sem um celular. Eu confesso que eu era até bem desligada com relação a telefone: demorava (e ainda demoro) pra ver quando recebo sms, as vezes esqueço no silencioso e não escuto quando me ligam, mas estou melhorando, rs... Agora com este monte de funções que a maioria dos telefones possuem como apps, internet, aplicativos para fotos e músicas e etc... ficou  bem divertido ter um "brinquedinho" para passar o tempo.

Continue lendo ››

2.1.14

Let's start 2014

Os últimos dias de 2013 e do começo de 2014, podem ser resumidos em uma única atividade: comer, comer e comer! Não adianta, nas festas de final de ano é impossível fugir do pecado da gula. Estou comendo sem parar desde a ceia do Natal, rs...  Também abusei muito do açúcar: panetone, amêndoas carameladas, amêndoas forradas com chocolate, bolachinhas de natal, mousse de chocolate e maracujá, chocolates, afff, melhor parar por aqui... isso é uma amostra do que rolou por aqui. E ainda tem resto do "banquete" pela casa. Deus me ajude!


Panetone e Chocotone, nesta época do ano, são meus fracos. Tínhamos três em casa. Dois já acabaram. Para me redimir, ontem eu e marido fizemos uma caminhada de mais ou menos duas horas. Quero muito começar a me exercitar regularmente este ano. Xô preguiça!!!

Uma das paisagens na caminhada de ontem

O Natal foi muito bonito por aqui, pena que não nevou. Já o ano novo, em país de clima frio, não é tão animado e festivo. Queima de fogos ao ar livre é só mesmo para passar frio, rs...  Aliás o final de ano por aqui foi com temperatura acima da média para esta época do ano. Os últimos dias deste começo de inverno foram lindíssimos, o último e o primeiro dia do ano foram deslumbrantes: friozinho, céu azul e sol brilhando. Uma maravilha!

Os suíços, sempre reticentes, já alertaram que o tempo vai piorar, é só esperar, rs... afinal, o inverno nunca desaponta!

Eu não sou de fazer planos e muito menos resoluções para o ano novo. Espero continuar tendo saúde e disposição para abraçar as oportunidades deste ano, porque elas virão!

Pombinha branca fotografada no penúltimo dia do ano.
Parece um bom sinal, não?

FELIZ 2014 pra todo mundo!!!

Paz, amor, fé e esperança.



Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...