29.8.13

A linda Lindau

O título do post não poderia ser mais apropriado para esta cidade alemã e até combinou bem: Lindau = linda! Em alemão a combinação dos nomes, não ficaria tão interessante quanto em português, pois seria "Schöne Lindau", porém em ambos os idiomas Lindau é linda de qualquer jeito!


Foi no início do mês de agosto, que fizemos por lá um passeio, em um dia super ensolarado. A cidade está localizada ao sul da Baviera e faz fronteira com a Alemanha, Suíça e Austria. 

A cidade é na verdade uma ilha que está situada às margens do Bodensee, pertinho de Konstanz e de outras cidades, como Meesburg, Unteruhldingen e Friedrichshafen que margeiam esse lago e que podem rapidamente serem alcançadas através dos barcos que aportam por lá durante todo o verão.

Linda vista: Lago Bodensee com os alpes suíços ao fundo

Segundo informações no site de turismo da cidade, o nome Lindau foi dado à cidade lá por volta do ano de 882 e provém de Linden Au, que significa algo como várzea onde nascem as tílias.


Lindau é destino certo de alemães, suíços e austríacos, principalmente no verão, onde a cidade "bomba". Neste dia, (que foi inclusive feriado na Suíça) haviam muitos turistas, um clima praiano e uma atmosfera muito especial no ar. Vimos músicos, gente fazendo malabarismos e inúmeros quiosques, vendendo artesanato, bijouterias, oferecendo caricaturas e por ai vai...


Um dos pontos mais visitados da ilha é mesmo o porto (Hafen), que foi decorado com a estátua de seis metros de um leão, o " Der Bayerische Löwe" (o leão bávaro), que é o símbolo da região da Bavária.



A Diebesturm (Torre do ladrão), que pode ser avistada de todos os pontos do porto, funcionava como prisão e por isso recebeu o nome de Torre do Ladrão. Hoje ela é uma atração turística e fizeram até uma brincadeira jogando as tranças da Rapunzel pela janela. O ingresso para subir na torre custa 8 euros.


Além do porto e da linda paisagem, a ilha tem um centro lindíssimo e que realmente me impressionou!





Muitos cafés, restaurantes, lojas e hotéis, que oferecem aos visitantes toda a infraestrutura para férias ou mesmo para passar só um dia, como foi o nosso caso.

Biergarten - tipicamente alemão. Tipicamente Bavária


Outra atração a parte é o prédio da Rathaus (prefeitura), cuja fachada foi totalmente decorada com cenas que retratam o Parlamento Imperial (Reichstag) de 1496. O prédio foi construído entre 1422 e 1436 em estilo gótico e adaptado de 1536 a 1578 ao gosto renascentista. (fonte lindau.de).




Lado oposto do prédio. Fachada linda demais!


O museu da cidade também tem uma fachada lindíssima e estava recebendo a exposição do Miró, mas o dia estava tão incrivelmente lindo, que resolvemos deixar o museu para outro dia. Museus podem ser visitados em dias frios. Dias bonitos pelos lá de cá, temos que aproveitar ao ar livre :-).


Lindau já deixou saudades... voltarei lá de novo qualquer dia desses...

Continue lendo ››

27.8.13

Brasileiros depreciando brasileiros

Eu fico passada cada vez que eu cruzo com certos brasileiros por aqui, que vivem depreciando outros brasileiros.

Tempos atrás, estava acontecendo um evento em uma escola perto de casa. Eu e marido estávamos passando por lá e resolvemos parar para ver a apresentação das crianças na quadra da escola.

Tinha uma moça ali fotografando a apresentação. Nisso ela começou a dizer algumas palavras em português, algo como "ah, que linda", "filha, olha aqui" e etc... Normalmente eu fico na minha, mas desta vez comentei algo, que não me lembro mais, super espontâneamente e ai a moça me olhou e acenou.

Quase no mesmo instante ela veio conversar comigo, nós trocamos algumas palavras e ai ela começou a me dizer que detestava contato com brasileiros, que todos os brasileiros que ela encontrou fora do Brasil eram isso e aquilo, que com a filha dela, ela conversava muitas vezes em outro um outro idioma, (de um outro lugar onde ela havia vivido) para que ninguém identicasse que ela era brasileira, pois ela não queria aproximação com brasileiros e por ai vai... isso tudo assim, na lata, sem nem mesmo me conhecer, rs...  O marido dela, que não era brasileiro, mas que falava português e estava ao lado, ouviu toda aquela lenga lenga. Pra finalizar, ela disse que pelo menos eu era uma brasileira "normal" (como ela sabe???, rs...). Depois disso, quem não quer contato com uma brasileira como ela, sou eu :-).

Eu fiquei quase sem reação, ouvindo tudo aquilo e achando um absurdo. Tratei logo de finalizar o papo, porque o grupo de brasileiros a que ela se refere, não representa toda uma nação. Brasileiro "bom" ou "ruim" há em todos os lugares, inclusive no Brasil, não dá para generalizar.

Além dessa brasileira, já vi outros brasileiros por aqui, que fizeram questão de estufar o peito para dizerem que não andam com brasileiros,  que quase não conhecem brasileiros e que não querem contato com eles, como se isso os colocasse em um patamar superior. Só faltaram dizer: "você é sortuda por ser brasileira e eu estar aqui agora conversando com você". Ah, me poupe!!!

Eu tenho sim, amigas BRASILEIRAS que aqui encontrei e que sou feliz por tê-las conhecido. São pessoas que eu gosto da companhia e que eu sei que posso contar e elas também sabem que podem contar comigo. Não que a gente tenha que andar só com brasileiros, eu também aprecio e tenho contato e amizade com estrangeiros, mas não vai dizer que com brasileiro o contato não é diferente?

A comunidade brasileira aqui na Suíça não é integrada, isso a gente percebe quando conhece outros grupos de estrangeiros e vê como eles interagem na prática. Também não é por ser brasileira que eu vou ter que ser amiga de tudo que é brasileiro que aparece na minha frente. Mas ficar descendo a lenha em brasileiro ou em quem quer que seja, para quem você nem conhece, é muito feio :-(.
Continue lendo ››

26.8.13

52 Objetos - Semana 14


♥ Objeto 14



O que é: Chaleira elétrica (conhecida aqui como Wasserkocher)

De onde vem: Foi comprada em uma loja de eletrodomésticos

Onde fica: Na bancada da cozinha

Porque foi escolhido: Olhando os objetos postados, percebi que até agora eu só postei objetos "decorativos", rs... porém a vida também é feita de objetos "úteis" que precisamos usar no dia a dia :-). E esta chaleira é um utensílio doméstico que eu não vivo mais sem. Uso praticamente todos os dias, porque é muito prática. A água é fervida/esquentada em poucos segundos e é bem melhor do que ligar o fogão só para isso. Essa chaleira tem um medidor ao lado do cabo, que indica a quantidade certa de água que você vai precisar. Tem gente que acha que gasta muita energia, mas eu acho que pela rapidez com que a água é fervida, o custo dá na mesma.


Continue lendo ››

23.8.13

Churrasco suíço

Há algumas semanas atrás fomos convidados para um churrasco na casa dos nossos vizinhos da frente. O convite também foi estendido para os outros vizinhos mais próximos e amigos e família dos anfitriões. Verão é a época de "grilliere" pelos lados de cá, e vira e mexe, as pessoas estão organizando churrascos, seja em parques, seja na varanda de casa, seja no quintal, à beira dos rios ou lagos, e por ai vai...



Fiquei pensando se aceitava ou não o convite, afinal até então, tinhamos tido pouco contato, mas por outro lado, se não aceitasse, o contato se tornaria cada vez mais e mais escasso. 

Para quem não sabe, aqui na Suíça, quando se é convidado para um churrasco, você deve levar a sua própria carne para assar. O dono da festa oferece a casa, o grill, as bebidas, as saladas, os pães e etc... mas cada um é o responsável pela sua picanha, carne. Além da carne, e para não chegar de mãos abanando, eu fiz um bolo de laranja e levei :-).


Eu já havia ido a outros churrascos por aqui, mas sempre haviam muitos estrangeiros (bastante brasileiros, para ser mais exata), mas desta vez o churrasco foi quase 100% suíço, rs... de estrangeiros, até onde eu soube, só haviam eu, a minha vizinha da Eslováquia e o outro vizinho da Escócia. As fotos não estão muito boas, porque fiquei com vergonha de ficar fazendo fotos e fiz estas pelo celular, meio que "escondida", rs...



Eu achei que o churrasco fosse ser meio "morno", mas para a minha surpresa, durou até altas horas e ia chegando cada vez mais gente. Teve vizinha bêbada contando piada, teve Schnapps (um tipo de aguardente), teve Schlager Musik (o equivalente a nossa música sertaneja), teve vizinho, que não foi convidado, ligando e pedindo para abaixar o som e por ai vai...rs...

Jetzt chame grilliere :-)



Eu adorei ter ido, porque pude "conhecer" um pouco mais de perto gente que eu só tinha contato através de um "Gruessi", ou de um "hallo", e eu pude constatar que teve mais gente simpática do que eu imaginei.


Eu já ouvi e li muitas críticas sobre a Suíça: que é chata, que é monótona, que não tem muita coisa pra fazer, que o povo é isso e aquilo e por ai vai... Eu não concordo. A Suíça pode não ser uma Las Vegas ou uma Nova Iorque, em termos de baladas e diversões até altas horas ... mas posso dizer, com toda a certeza, que aqui é um país lindo e com uma excelente qualidade de vida! Os suíços podem até demorar um pouco para estreitar um contato com você, mas quando isso acontece, você descobre pessoas inteligentíssimas e interessantíssimas, que já viveram experiências incríveis.

À primeira vista, os suíços podem até parecerem "monótonos" (e alguns são mesmo, rs...), mas a verdade é que aqui as pessoas são menos deslumbradas e mais difíceis de se deixarem impressionar com pouca coisa.  Aqui a gente aprende a ver além das aparências, pois as pessoas não ostentam o que tem. Elas preferem muito mais investir em um curso, em um instrumento musical, em uma viagem, em um hobby, do que, por exemplo, ter o carro do ano ou andar na última moda.

Claro que a Suíça não é um país perfeito, como qualquer outro. Mas no momento, é aqui que eu me sinto feliz.

E que venham outros churrascos :-).


Continue lendo ››

19.8.13

52 Objetos - Semana 13

♥ Objeto 13



O que é: Minha bicicleta (ou Velo como dizem os suíços, rs...)

De onde vem: Foi comprada em uma loja de esportes aqui da Suíça

Onde fica: Na garagem

Porque foi escolhido: Como contei neste post, ganhei a bicicleta há quase um ano, o modelo dela é bem simples, até porque eu sou principiante e tenho que começar com algo fácil. Agora no verão, venho curtindo pedalar por ai. Bicicleta pra mim, sempre foi coisa de criança, mas aqui, ela é levada a sério e muita gente, inclusive, usa a bike como meio de transporte para o trabalho, para a escola, para a universidade e por ai vai. É muito comum ver estacionamentos de bicicletas em vários pontos da cidade. Estou adorando pedalar e a bike já faz parte da minha vida.


Continue lendo ››

18.8.13

O garoto que dança

Eu moro ao lado de uma pracinha, conhecida aqui por Sternplatz, por causa do desenho de uma estrela que tem no chão da praça.


Vira e mexe, aparece um adolescente nesta pracinha. Ele vem sozinho, com um fone de ouvido, daqueles bem grandes e começa a dançar no meio da pracinha.

Ele dança, roda, dá piruetas, faz coreografias, tudo isso sozinho com a sua música que eu não sei qual é. Alguns vizinhos já até comentaram sobre o garoto, mas todos, igual a mim, só ficam mesmo o observando de longe, rs... ninguém pergunta nada, mas todos ficam curiosos sobre ele.

Quando eu o vejo, pela janela, fico pensando: taí um garoto feliz!! Dá próxima vez vou tentar fazer uma foto dele dançando :-).

Continue lendo ››

12.8.13

52 Objetos - Semana 12

♥ Objeto 12



O que é: Blazer

De onde vem: Foi comprado na loja Cori de São Paulo

Onde fica: No meu guarda roupas

Porque foi escolhido: Esse blazer deve ter por baixo uns 12,13 anos. A modelagem e o caimento são tão perfeitos, que eu não tenho coragem de me desfazer dele (apegada!!!). Ainda mais, depois que eu li no bloguinho da Madi, sobre o blazer nude curingão, então é que fiquei ainda mais apegada a ele, rs... Ele já foi chamado de bege, pastel, e hoje, segundo a tendência da moda, é nude! A cor pode parecer até meio "morta" para quem gosta de cores vibrantes, mas ela também é uma cor coringa, que combina com quase tudo.

Tem gente que não entende o porque de uma loja ser mais cara que a outra, muitos acham que é só por causa da marca e pronto! Isso também existe e temos que observar quando é o caso, mas a verdade, é que uma boa marca, na maioria das vezes, significa qualidade e, sempre que eu posso, gosto de comprar roupas de qualidade. Eu até deixo me influenciar pelas tendências, mas eu gosto de roupas que vão durar e pronto :-). Uma vez, uma costureira, que trabalhou para marcas de roupas bam bam bam, lá de São Paulo, disse pra mim que roupa a gente compra de dentro para fora. E eu sempre lembro disso quando vou comprar roupas, rs... pois fico lá na loja, observando as costuras e o acabamento.

Continue lendo ››

11.8.13

Pai

"Não me lembro de nenhuma necessidade da infância tão grande quando a necessidade da proteção de um PAI".
Freud em O Mal estar na civilização
 
  
Meu pai já passou para o outro plano. Ele era um sujeito simples, que deu um duro danado para cuidar da gente. Ele era autoritário, mas ao mesmo tempo doce. Ele fazia questão de saber com quem a gente andava, quem eram os nossos amigos, onde eles moravam, quem eram os pais deles e por ai vai. Na época eu achava tudo isso um exagero, mas hoje eu vejo que tudo foi proteção e cuidado.
 
As vezes, durante a minha adolescência, meu pai me fazia passar vergonha, quando ele ia me buscar nas festinhas na casa dos amigos, rs...  Mas foi com o papai que eu fui a primeira vez ao cinema assistir os Trapalhões e foi com ele que eu andei pela primeira vez de metrô, porque ele queria mostrar para a gente (eu as minhas irmãs) como funcionava tudo aquilo.
 
Nós tivemos muitas divergências, mas eu nunca duvidei do amor que ele sentia por mim.
 
Pai, que saudade de você...
 


Música do grupo alemão Die Toten Hosen, que eu adoro, e que o Campino (vocalista) fez para o seu pai.
Draussen vor der Tür - Do lado de fora da porta
Tradução (minha) livre

 

Haben uns lang ignoriert und kaum noch akzeptiert
In dieser Zeit die für uns beide schwierig war
Warst so voll Gewalt,
und ich so voller Hass
Wir kamen jahrelang überhaupt nicht klar


Nós nos ignoramos durante muito tempo
Nesta época era difícil para ambos
Estavamos brigando tanto, e tão cheios de ódio,
que passamos um ano inteiro sem nos entendermos


Ich wollte nie so sein wie du und wie du denkst
Heute merke ich immer wieder wie ähnlich ich dir bin
Zum Glück war's damals nicht zu spät
Wir haben uns verziehen, der Wind hat sich gelegt


Eu nunca quis ser como você e como você pensa
Mas hoje eu percebo o quanto sou parecido com você
Felizmente não foi tarde demais.
Nós nos perdoamos, e a tempestade passou...


Das ist alles so lange her, so unendlich weit weg
Doch es fällt mir nicht schwer, mich zu erinnern
Wie's beim letzten Mal war, als wir uns versahen
Da draussen vor der Tür


Isso foi há muito tempo atrás, infinitamente longe...
Mas não é difícil para eu lembrar
Como foi a última vez quando nos vimos
Do lado de fora da porta


Man sagt- und ich weiss jetzt dass es stimmt -
Dass es viele Freunde doch nur einen Vater gibt
Und heute wo du weit weg bist
Kann ich dich langsam so viel besser sehen


Dizem - e eu agora sei que é verdade -
Que podem haver muitos amigos, mas há apenas um pai
E hoje que você não está mais aqui
Eu posso lentamente enxergá-lo muito melhor


So wie jetzt habe ich dich früher nie vermisst
Schritt für Schritt komm' ich zu dir zurück


Eu nunca havia sentido antes a sua falta, como agora
Mas passo a passo eu vou voltando para você


Das ist alles so lange vorbei
Doch die Bilder dieser Zeit, sie sind alle noch hier
Ein ganzes Jahr ist eine halbe Ewigkeit
Und es ist Ewigkeiten her, da draussen vor der Tür


Isso foi há muito tempo
Mas as lembranças desta época ainda estão aqui
Um ano inteiro é quase como uma eternidade
E é uma eternidade, aqui do lado de fora da porta


Das ist alles so lange her, so unendlich weit weg
Und ich habe kapiert, dass ich dich nie, niemals verliere
Doch obwohl du mir bleibst, fehlst du mir sehr


Isso tudo foi há muito tempo atrás, tão infinitivamente longe...
E eu entendi que eu nunca, nunca te perdi
Embora você esteja comigo, eu sinto a sua falta.





Continue lendo ››

4.8.13

52 Objetos - Semana 11


♥ Objeto 11

O que é: Peça de vidro de Murano

De onde vem: Foi comprada em Murano, Itália

Onde fica: Essa peça ficou por um tempo guardada, pois no início não sabia ao certo onde deixá-la. Um dia decidi colocá-la na mesa de jantar e achei que combinou.


Porque foi escolhido: Comprei essa peça quando visitamos Murano, a famosa cidade dos vidros e cristais italianos. Desde o início eu sabia que queria comprar algum objeto em vidro de Murano, então quando vi esta peça, gostei logo de cara. A cidade de Murano é vizinha de Veneza. Eu gostei muito de Murano, talvez até mais do que de Veneza. Ambas cidades têm lojas de objetos em vidros de Murano em cada esquina e as lojas são de cair o queixo! Estando lá, a tentação na hora das compras é grande. Dá vontade de comprar tudo!

 
Murano em uma tarde ensolarada de outono

Quer saber mais sobre o projeto 52 Objetos? Clique aqui

Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...