9.4.13

Vermisst

** Vermisst palavra em alemão que significa desaparecido.**

Vermisst é também um programa do canal  de TV alemã, RTL,  que eu assisto sempre quando há temporada dele. Nos domingos, que é o dia em que o programa vai ao ar, começa a minha choradeira, pois é cada história de partir o coração. Quem diz que alemão é frio, eu sugiro que assista a este programa. Pena que a RTL nunca avisa quando vai terminar a temporada. Que raiva disso :-(.

É todo tipo de gente procurando todo tipo de desaparecido: filho procurando mãe, irmã procurando irmão, filha procurado pai, família procurando gente que desapareceu quando a Alemanha estava dividida, e por ai vai...O programa já encontrou muita gente!

Felizmente não tenho ninguém na família ou próximo a mim desaparecido e tento imaginar a angústia de quem convive com a dor de não saber o que se passou com quem de repente some, assim do nada, sem deixar vestígios.

No Brasil familiares de presos políticos lutam até hoje para que tenham o direito de saber o que aconteceu com os presos políticos desaparecidos durante a ditadura militar. O livro Brasil nunca mais, que eu li há muito tempo atrás, é um retrato cruel do que foi o tempo da ditadura no país.



 
 Trailler do filme 3096 Tage

Há algumas semanas atrás assisti ao filme 3096 Tage, que conta a história da Natascha Kampusch, a garota austríaca que foi raptada ainda criança e viveu com o seu algoz durante oito anos quando conseguiu escapar.

O filme é super pesado e te deixa com os nervos à flor da pele, mesmo assim vale a pena ser visto, A menina que faz o papel da Natascha Kampusch quando criança, é sensacional!!

Em uma entrevista, Natascha Kampusch pediu aos pais de crianças desaparecidas que nunca percam a esperança. Ela voltou, mas não sem sequelas que carregará durante toda a vida.

Ter uma pessoa desaparecida é um luto que não acaba nunca. A morte de alguém querido é dolorosa, mas depois de um tempo a dor da perda vai se transformando em uma grande saudade. Mas com quem está desaparecido sempre restará uma lacuna, é uma dor que não finda nunca. É viver sempre com a esperança de que quem é vivo sempre aparece.



23 comentários:

  1. Nossa, mas é seriado ou documentário? Eu assisti um seriado americano chamado "Cold Case". Vc sabe? É de desaparecimentos... alguns episódios são bons, dá vontade de chorar rs.

    Esse que vc viu, nunca ouvi falar.

    Kisu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é seriado e nem documentário. É um programa de TV comum que conta casos de gente desaparecida. "Cold case" eu não conheço não...

      Excluir
  2. Sandrocaaa

    Pelo post.
    Como estão as coisas por ai?
    Muitos chocolates na páscoa?

    sdd Gigante de vc

    bjokas =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem por aqui e por ai??
      A Páscoa não foi de muito chocolate não...rs... Bjs

      Excluir
  3. Temos uma amiga da familia que perdeu seu filho há mais de 20 anos(ele desapareceu na França,sumiu,sem deixar vestigios,ninguém sabe explicar o que aconteceu), e ela mantém o quarto dele arrumado do jeito que ele deixou,pois acha que algum dia ele vai voltar..que coisa triste!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Triste mesmo! E quem procura vive sempre na esperança... o que não é exatamente ruim, mas é doloroso. Bjs

      Excluir
  4. Sandra, sabe que eu nunca tinha refletido sobre isso? Ouço falar, vejo depoimentos, filmes,..., mas nunca sentei num canto e me coloquei como alguém procurando alguém, a vida inteira. De fato é meio desesperante e achei legal você dizer que quem está vivo sempre aparece. Então fica aquela expectativa danada.
    Um abraço grande
    Manoel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois que eu comecei a assistir a esse programa me peguei pensando nisso, mas já havia claro visto filmes, reportagens e etc... sobre isso.
      É angustiante a espera, mas a esperança é a última que morre! Abraços Manoel

      Excluir
  5. Ola ola, eu tambem assisto esse programa, é realmente emocionante e logo seus olhos estao cheios pra prontos pra derramar um balde de lágrimas. Agora esse filme é deve ser realmente sinistro, pela história, sofrimento e o tempo, que demoram tanto a passar pra essa garotinha. Mas gracas ao bom Deus ela agora esta entre nós e nao mais neste pesadelo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O filme é bem pesado mesmo! Você sente o clima tenso no cinema, pelo menos aqui os cinemas fazem uma pausa no meio do filme, então dá pra dar uma respirada.

      Excluir
  6. Essa situacao de ter alguem sumido sem deixar vestigios e muito triste mesmo, e angustiante e pesaroso porque voce nao sabe se a pessoa morreu, perdeu a memoria, foi sequestrado, voce nao sabe se a pessoa ta bem ou nao, voce nao sabe nada mas fica com a esperanca de um dia ela aparecer. Eu ja li um livro sobre o tempo da ditadura militar no Brasil, e tao triste, eu chorei varias vezes lendo os relatos das familias e ate quando eles contavam como descobriram e o que tinha acontecido com esses desaparecidos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso, viver na angústia, na dúvida, não é nada fácil. Já pensou quanta gente está nesta situação pelo mundo a fora? As vezes é bom nem pensar... Bjs

      Excluir
  7. Bom saber. Se a série passar por aqui, vou fugir dela como o diabo da Cruz.

    :)

    ResponderExcluir
  8. Sandra, este programa Vermist tem aqui na Holanda também. É cada história doida, maluca e triste. Agora há muitas histórias com brasileiros procurando seus familiares no Brasil...acho que quase toda semana tem algum relato, e, claro, se não é no Brasil são também dos países vizinhos. Aqui acabou a temporada, mas é super emocionante. Sempre passa de sexta-feira e nós sempre assistimos. Sobre a ditadura, você já viu Zuzu Angel? É bem impactante também. E é assustador o tanto de gente desaparecida neste mundo. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem umas histórias doidas mesmo, mas outras bem comoventes! Aqui nunca vi ninguém indo ao Brasil, mas em outras partes da América Latina como o Peru e o Equador teve algumas histórias.
      Não vi Zuzu Angel, boa dica! Vou tentar ver pela internet qq dia desses. Bjs

      Excluir
  9. Sandra, estas histórias são tão tristes né? Eu acompanho um por aqui que é mto parecido, e choro mtas vezes!! Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem em todo lugar gente desaparecida. Até no FB começou uma onda de fotos de gente perdida, mas eu só compartilho se vier de alguem conhecido! Do jeito que algumas coisas são banalizadas no FB o jeito é filtrar o máximo o que vc compartilha!!

      Excluir
  10. Oi Sandra.. eu vi uma entrevista com essa menina, essa do filme.. que historia terrivel, ne? E o cafajeste que fez isso com ela nao teve coragem de encarar seus atos.. tirou a própria vida... um bocal!
    A palavra em holandes eh a mesma... Vermisst...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luana, o cara era um psicopata!! Nossa, só de lembrar dele no filme me dá raiva! Um covarde!!!
      Não sabia que a palavra em holandes é igual em alemão :-).

      Excluir
  11. Só pelo trailer, eu acho que não tenho coragem de assistir, muito pesado.
    Sandra, tenho nem coragem de imaginar perder meu filho, ele sumir, acontecer alguma coisa ruim. Já me dá dor no coracão só de pensar.
    Imagino como é o sofrimento para entes queridos quando perdem, desaparece alguém. Deve ser um sofrimento que nunca tem fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Débora só de pensar a gente já fica em uma angústia, imagina... se você estiver muito sensível é bom nem assistir mesmo ao filme :-). Bjs

      Excluir
  12. O meu programa de choradeira de estimação é o Extreme Makeover Home Edition, que faz chorar de felicidade :) Adoro, embora o viking não entenda porque me emociono tanto com um simples programa. Às vezes prefiro passar longe de programas pesados, pois sei que me vão "perseguir" durante muito tempo. Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo! Obrigada!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...