29.3.13

Faxinão

Lendo hoje os sites suíços de notícias, uma reportagem em específico chamou bastante a minha atenção. A matéria intitulada "Zweites Ender der Sklaverei in Brasilien", (traduzido seria algo como "O final da segunda escravidão no Brasil"), no jornal NZZ, destaca a aprovação pelo Senado Brasileiro da ampliaçãõ dos direitos para os trabalhadores domésticos. Isso significa que agora quem quiser ter uma empregada doméstica, babá ou qualquer outro empregado em residência privada terá que arcar com todos os direitos previstos em lei que a maioria dos outros trabalhadores tem.

Aqui na Suíça uma faxineira custa 25 francos/hora (aproximadamente 53 reais) e você precisa contratar uma empresa para isso. Caso você contrate alguém "avulso" (que não tenha empresa aberta) será considerado trabalho negro e se te denunciarem por contratar esse tipo de trabalho você vai ter um problemão. Eu nunca conheci uma família aqui que tivesse empregada e/ou faxineira, isso é para os muito ricos ou os que estão dispostos a pagar por este luxo.



No Brasil algumas amigas me perguntavam como é que eu consigo viver aqui sem faxineira, rs... Quando eu explico como funciona, quanto custa, e etc... normalmente ouço "nossa eu não vivo sem faxineira", ou "nossa eu não aguentaria", como se a limpeza e o cuidado da sua casa fossem coisas impossíveis de serem feitas pelos próprios moradores dela.

Ter uma faxineira ou empregada no Brasil é (era) muito fácil, muitas pessoas optavam por ter uma porque não pesava no orçamento, ou mesmo por status. Eu achava o fim quando ouvia certas pessoas reclamarem que a faxineira estava cara, que tinham que pagar além da diária, a condução dela, mas as mesmas pessoas entravam no shopping e pagavam 300 reais por um jeans de marca!!!!

Pelo que acompanho, está cada dia mais difícil (pelo menos em São Paulo) conseguir uma faxineira. As pessoas reclamam, reclamam mas não querem enxergar que as coisas estão mudando. Hoje em dia não dá mais para contratar uma trabalhadora doméstica nos mesmos moldes que há dez anos atrás. As pessoas estão conseguindo estudar mais e buscando outras possibilidades, assim quem optar por trabalhar nesta área terá que ser melhor remunerada e nada mais justo quanto a isso. Agora quem quiser empregada em tempo integral terá que arcar com os custos, que serão altos. Por um lado isso protegerá o trabalhador, por outro lado eu acho que muitos postos de trabalhos serão perdidos com a nova lei.

No Brasil ainda existe a questão cultural, pois sabemos que a maioria dos homens não ajudam em casa, afinal eles foram criados assim pelas mães e as mulheres acabam tendo jornada dupla: trabalham fora e em casa pois os maridos não ajudam - cuidar de casa é coisa de mulher.

Quando eu disse para uma amiga, que reclamou sobre a dificuldade de conseguir alguém para ajudar em casa, que ela teria que começar a ensinar desde cedo o filho a ajudá-la pois em alguns anos não mais será possível ou será muito caro ter ajuda terceirizada, ela me olhou como se eu fosse um ET, ou como se eu tivesse virado uma socialista depois que vim morar na Suíça, rs... É verdade que os suíços são menos obcecados preocupados com limpeza do que os brasileiros, mas a casa se mantém limpa por mais tempo e não pesa só para uma pessoa, quando todo mundo ajuda.

No mais, eu aprendi que ninguém cuida da minha casa melhor do que eu! Na minha casa no Brasil,  aprendemos a fazer os serviços domésticos, independente de ser ou não o dia da faxineira, quando tinha faxineira. Todas nós, eu as minhas irmãs éramos responsáveis por ajudar em casa e isso não deixou nenhum "trauma" na gente, rs.... e assim que eu aprendi que não há nada melhor do que conseguir se adaptar a qualquer situação na vida, até a de ter que limpar, veja só, a sua própria casa :-).


Continue lendo ››

19.3.13

Unhas e esmaltes

Desde que vim morar na Suíça tive que aprender a fazer eu mesma as minhas unhas, pois manicure aqui custa caro :-(.

Na Suíça, a moda agora são as unhas de gel, a mulherada pira gosta muito. Uma vez até as coloquei mas não me adaptei, além do que para tirá-las foi um parto! Pra mim não funcionou!!!


Foto daqui

No início eu fazia a manicure tradicional, tirando bife cutícula, lixando e pintando as unhas, mas já faz alguns meses que abandonei o hábito de tirar totalmente a cutícula. Eu já estava cansada de saber que tirar a cutícula não era bom, que ela é a proteção natural das unhas e etc.... mas eu não conseguia pintar as unhas sem tirar a cutícula e achava feio demais aquele monte de cutículas, rs...

Como tudo na vida é uma questão de hábito e adaptação, eu me livrei do (mau) hábito de tirar as cutículas, agora só as empurro com um palitinho e voilá. Sem contar no tempão que eu gastava tirando as cutículas... Eu ainda tenho os meus alicates para tirar só aquelas sobrinhas, mas agora eles são mero coadjuvantes na minha vida. O segredo é hidratar sempre as mãos para as que as cutículas não ressequem e fiquem com aquele aspecto feio.

Uma marca de esmaltes e cuidado com as unhas que eu ADORO é a MAVALA, sou fã. As cores dos esmaltes são lindas e duram no mínimo por uma semana nas unhas. A Mavala tem também um produto que promete ajudar a remover as cutículas, mas sinceramente eu não vi diferença nenhuma, talvez ele ajude mais a hidratar as cutículas do que propriamente na remoção delas.




Estou entrando na fase de esmaltes mais clarinhos, até preciso comprar alguns novos :-). Uma cor linda, pra quem quiser fugir do branquinho básico é a cor Velvet, ela é discreta e elegante, puxando para o rosado, linda!





Outra marca suíça excelente para o cuidado das unhas é a DIKLA. Eles tem uma gama de produtos, desde creme para as mãos a fortalecedores de unhas. Minhas unhas estavam descamando e o fortalecedor de unhas desta linha ajudou muito!!! Claro que o produto atua como um paliativo, pois é preciso saber qual é a real causa do enfraquecimento da unha, mas que ele ajudou a melhorar a descamação e o aspecto das unhas, ajudou!!



Ficar tirando cutícula agora é coisa do passado :-). Quando mais você tirar as cutículas mais rápido elas crescerão, pois elas são um mecanismo natural de defesa contra fungos, bactérias e etc. Depois de um tempo sem tirar as cutículas elas estabilizam e você só vai precisar de, literalmente, um empurrãozinho na hora de fazer as suas unhas. Experimente :-).


Continue lendo ››

15.3.13

Primavera, Páscoa, Flores e afins...

A Páscoa vem chegando junto com a primavera aqui no hemisfério norte. É bem verdade que a primavera ainda não chegou e até neve, que ninguém mais esperava, caiu por aqui esta semana, mas o bom é o que o inverno está no finalzinho (será?).


Cestinha de páscoa que ganhamos ano passado
com coelhinhos, ovos e Narcisos, típica flor da Primavera

A primavera, assim como a Páscoa representa renovação e renascimento. Tulipas, narcisos, krokus, que são florzinhas típicas da primavera, já começam a surgir e outras plantas também já começam a brotar.

Ano passado em plena empolgação outonal eu plantei em um canto do jardim aproximadamente cem novas tulipas, que é uma flor que eu adoro, e agora os primeiros brotos já começaram a surgir.

Tulipas que plantei ano passado e os primeiros brotos deste ano


No início eu não entendia muito esse gosto dos suíços por jardins, terraços, plantas e varandas, rs..., mas quando você passa quase seis meses do ano praticamente "fechada", dentro de casa, do trabalho, dentro, dentro... o que você mais quer na primavera-verão é um lugarzinho verde pra chamar de seu.

Plantas, jardinagem, flores e afins, que eram coisas tão distantes pra mim, veem agora me conquistando cada vez mais. Não vejo a hora de ver tudo florido e já elegi as flores que estarão na varanda de casa no verão: gerânios. São lindas e combinam com varandas :-).

Inspiração



Fotos daqui

Um outro desejo de primavera-verão é esse móvel de rattan, conhecido aqui como Sonneninsel. Imagina a delícia que é se esparramar nele para ler um livro :-).



Falando em Páscoa ficaremos por aqui mesmo no feriado, pois já prevemos tudo lotado, congestionamentos, caos e etc...

As lojas e supermercados já estão preparados para a Páscoa. Por aqui se vê mais coelhinhos de chocolate do que ovos.

Fofurinhas de Páscoa que vi na vitrine de uma confeitaria em Zurique


Chocolate, feriado, comilança, tudo isso também faz parte da Páscoa, mas o verdadeiro sentido da comemoração da Páscoa não é só esse. Celebre Deus (se você acredita nele)! Celebre a Páscoa! Celebre a vida! Renove-se!


ps: vou procurar ser mais assídua por aqui e visitar mais os blogs amigos. Tenho estudado bastante e dedicado algum tempo para outras coisas de casa, mas já já entro de novo no ritmo das postagens :-).

Continue lendo ››

5.3.13

Basel

Aproveitando que domingo o solzinho finalmente deu as caras, fomos mais uma vez para Basel, mas desta vez tendo como objetivo principal visitar o museu Tinguely e ver suas telas e também algumas das suas esculturas.



"As esculturas, numa espécie de celebração da ciência e do progresso tecnológico que marcou o pós-guerra, são máquinas satíricas com funções e formas diversas, normalmente inúteis e absurdas, com movimentos descoordenados".
Fonte: Wikipédia. 


E assim são as esculturas: engraçadíssimas, barulhentas e desengonçadas, e são interessantes também tanto pela criatividade quanto pelo conhecimento em eletrônica e mecânica que o artista possuia.


O café do museu é cercado por telas de Jean Tinguely e outros artistas, e o ambiente é super cool.



As esculturas de Tinguely também são representadas em formas de fontes e estão situadas em alguns pontos de Basel.




Basel tem reputação de ser uma das mais culturais e importantes cidades da Suíça, é lá também que é realizado o maior carnaval da Suíça. Basel também é a sede de grandes empresas químicas e farmacêuticas.
A cidade  faz fronteira com a Alemanha e com a França e é cortada pelo rio Reno. Para quem tem a intenção de deixar a Suíça, principalmente através de vôos low cost, é do aeroporto de Basel que partem a maioria dos vôos deste segmento.
Parte do centro de Basel

O aeroporto que atende a cidade é o Euro Airport Basel-Mulhouse-Freiburg, que devido a sua localização central atende a três países: Suíça, França e Alemanha. O aeroporto é administrado pela Suíça e pela França, sendo assim os passageiros podem ser submetidos tanto ao controle de imigração suíço quanto ao francês.

Basel vista através do rio Reno
O primeiro dia de sol depois de um longo e tenebroso inverno levou algumas pessoas a darem uma lagartixada aproveitando o solzinho ainda tímido de março.


Basel é uma cidade bonita, e o interessante é caminhar por ela descobrindo seus monumentos, visitando a Catedral da cidade, chegando até o St.Alban Tor (torre), ou, se for do seu interesse, museus e exposições não faltam na cidade.

Torre de St.Alban

Basel - centro velho

Catedral de Basel
Basel possui um dos prédios de prefeitura (Rathaus) mais bonitos da Suíça.
Prédio da Rathaus

Rathaus no detalhe

Quem quiser prolongar um pouco mais a visita na cidade, poderá ir até as ruínas de Augusta Raurica que é um sítio arqueológico romano, a céu aberto, onde está localizado o teatro romano. O Sítio arqueológico está localizado na cidade de Kaiseraugust, que está há aproximadamente há 11 minutos de trem a partir de Basel. Da estação será preciso caminhar uns 15 minutos para chegar até lá.


Basel vale a visita!

Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...