28.10.12

Mudaram as estações....


Está nevando sem parar aqui na Suíça desde ontem, isso em pleno mês de outubro. Não é inacreditável?! Eu, que ainda estou estava na vibe do outono, de repente vi tudo ficar branquinho.

As árvores, que ainda estão com as cores de outono, foram cobertas pela neve. Que loucura :-(.


Em alguma rua de Zürich 

A meteorologia avisou que a neve chegaria, mas não deu tempo pra muita gente se prevenir, eu acho até que muita gente nem acreditou! Mas a meterologia não falhou e a neve veio!


 "Mudaram as estações, nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Tá tudo assim tão diferente"...


Tem gente "presa" nas montanhas porque foi pra lá de carro, mas sem os pneus de inverno! E agora pra voltar? O jeito será deixar o carro por lá e voltar de trem. Sem os pneus adequados é muiiiito perigoso dirigir na neve.

Espero que ainda sobre um pouquinho de neve para o Natal. Neve combina com Natal :-).

Foto feita no auge do inverno em Zurique



Continue lendo ››

23.10.12

Eu e o novo curso de alemão

Estou eu, de novo, às voltas com mais um curso de alemão! Estou fazendo o nível B2 para chegar ao estágio de Goethe, Nietzsche, Kant e outros filósofos alemães, melhorar a gramática, a escrita e para aumentar o meu vocabulário. E eu vou parar no B2 mesmo. Os níveis seguintes, C1 e C2, são para os interessados em cursarem uma Universidade aqui ou em outro país de lingua alemã, o que não é o meu caso.

Embora eu já fale razoavelmente bem (é o que dizem), ainda existem muiiitas palavras que eu não conheço e o idioma alemão não é como, por exemplo, o inglês, em que muitas vezes, uma palavra serve para vários contextos. As palavras em alemão são muito específicas e podem mudar todo o significado de uma frase, sem contar os artigos e as declinações dos adjetivos :-(.


Bom, não vou me estender nas explicações sobre o idioma alemão. O interessante de estar em um nível avançado (tô me achando) é que, em geral, a turma é mais interessada. Nas turmas para iniciantes, as vezes parece que algumas pessoas vão para o curso meio que "obrigadas" - aliás, eu estou pra conhecer gente auto motivada para aprender alemão - porque precisam aprender pelo menos o beabá para poder começar a se virarem :-(.

Este curso é semi intensivo e noturno (2 x por semana, 2horas e meia por dia) e a professora é alemã. Ela morou quatro (ou cinco?) anos no Brasil e lá fez intercâmbio e estudou português - ela fez curso de letras - na USP. Conversamos um pouquinho em português e eu me senti em casa com ela, rs...

Definitivamente, o melhor lugar para aprender alemão, é na Alemanha. A maioria dos suíços da parte alemã, não gostam de falar alemão (hoch deutsch - alemão clássico), o que acaba atrapalhando um pouco os estrangeiros a praticarem o idioma como deveria.

Mas, a parte disso, uma das coisas que eu mais gosto no curso, é o contato com outras culturas e o aprendizado que vem com elas. Neste curso tenho colegas da Eslovênia, Eslováquia, Itália, Espanha, Peru, Síria, Moldávia (nem lembrava que este país existia) e Ucrânia. Por enquanto o grupo está legal e nenhum mala, até o momento, foi identificado :-).

O curso dura até o final de março e até lá, terei muito Hausaufgaben (lição de casa) para fazer. Se eu sobreviver, volto aqui para contar :-). Bis bald (até logo)!

Continue lendo ››

16.10.12

Meus novos hábitos na Suíça

Não adianta, quando a gente vive em outro país, acabamos adquirindo alguns hábitos que, se no início, achavamos estranhos ou "demais" para a nossa cabeça e cultura, quando percebemos já os absorvemos. Esses dias me peguei pensando em alguns hábitos que adquiri vivendo aqui. Pra resumir o bla bla bla, seguem alguns deles:

 - Tratar todas as pessoas com formalidade, até que eles se tornem amigos ou conhecidos mais chegados. Na Suíça (e também na Alemanha), a forma respeitosa e cordial de se dirigir a alguém é o tratando pelo pronome "Sie", tanto faz se a pessoa em questão é homem ou mulher. Entre amigos e família o tratamento é pelo pronome "du". As pessoas costumam perguntar, quando o contato deixa de ser tão formal, se podem te tratar por "du". Percebi o quanto isto está ficando arraigado em  mim, quando dias atrás, em uma loja, uma vendedora me tratou por "du" e eu achei estranho e talvez tenha até me sentido incomodada, rs.... Fiquei até com vontade de perguntar para ela: "vem cá, te conheço", rs... Talvez seja a hora de eu passar uma temporada no Brasil, meu país, essa deliciosa terra da informalidade :-).




 - Agendar compromissos com uma certa antecedência. Marcar coisas de "última hora", meio que me deixa sem rumo, rs.... mesmo que eu não tenha muita coisa pra fazer. Compromissos devem ser marcados na Suíça com uma certa antecedência e deve-se confirmá-los. É considerado desrespeitoso se você não responder a um convite, ou pior ainda, se você confirma que vai a um evento e não aparece. E, vamos combinar que para quem vai receber é super importante saber quantas pessoas de fato irão para a festa, para o almoço ou seja lá para o que for. Quer coisa pior do que fazer aquele mundo de comida e metade dos convidados não comparecerem?

- Verificar a meterologia pelo jornal, pela internet e a noite pelo jornal na TV.  Não tem um dia sequer que eu passe sem checar a previsão do tempo. Aqui a "mulher ou o homem do tempo", que aparece na TV, são meteorologistas mesmo. A margem de acerto na previsão do tempo beira 98% de acerto. Sou viciada em previsão do tempo!

- Cumprimentar a todos, já está no piloto automático: "gruezi" (seria como um olá ou um oi em português) "gruezi miteinander", "guten morgen", "schönen abend" e etc... Suíço é meio que obcecado por cumprimentos. Caixas de lojas te cumprimentam, vendedores, funcionários de supermercados e por ai vai. É considerado uma grosseria se você não cumprimentar de volta. Alguns cumprimentos são automáticos, mas algumas pessoas são empolgadas mesmo e te cumprimentam com toda a alma! Sábado a caixa do supermercado disse para mim e para o marido, com todo o entusiasmo: Um maravilhoso final de semana pra vocês! Fiquei até feliz :-).

Grüezi - forma de cumprimento nos cantões suíços de lingua alemã


- Usar menos sapatos de salto alto. A praticidade e o conforto reinam nos sapatos daqui. Eu trouxe dois escarpins do Brasil que eu devo ter usado umas duas ou três vezes, e só. Sandálias e sapatos de salto ficam restritos a eventos especiais e olha lá, até por conta do clima e da neve. Quem se arrisca a se equilibrar na neve e no piso molhado com uma bota de salto agulha? Na verdade eu me acostumei com o jeito simples daqui. As pessoas são bem desencanadas quanto a roupas, marcas, a maioria não liga se o cabelo está escovado, se a unha está feita e por ai vai... Mesmo assim eu me cuido, sem exageros, continuo, eu mesma, fazendo minha unha, meu cabelo, e as vezes alguma coisinha a mais, porque eu sou brasileira e alguns hábitos estão arraigados em mim também. Eu tenho é medo de virar um bagulhão, rs...

Continue lendo ››

10.10.12

Eu, ele e a Ikea

Marido é super legal, tá quase sempre disposto a ir à alguns lugares comigo, desde que, um desses lugares não seja a Ikea. Convide ele para ir a Bagdá, mas não o convide para "passear" na Ikea.

Eu confesso que eu sempre subestimo o tamanho desta loja. E, consequentemente, depois de passar algumas horas nela, estou morta! Mas depois de alguns meses, esqueço o cansaço e lá estou eu de novo :-). Não sou uma Ikea adict, devo ir a esta loja umas três vezes por ano, no máximo.



Pra quem não conhece, a Ikea é uma das maiores lojas de móveis, decorações, artigos para cozinha, tecelagem e etc da Europa. Há quem diga que ela é a "prima pobre" da Tok&Stock. Pra mim, o incoveniente da Ikea é que para chegar até o caixa, você tem que caminhar por toda a loja - que é enorme - pois só há uma ilha de caixas, ou seja, você é praticamente obrigado a passar por todos os setores e consequentemente comprar alguma coisa pelo caminho.

Mas é na Ikea que eu acabo encontrando coisinhas super úteis, como por exemplo, um cabide de argolas para echarpes, que eu nunca havia visto antes em nenhuma outra loja. Lá também tem muitas opções daquelas caixinhas feitas em papel cartão, tecido ou em pvc que servem para organizar correspondências, cartões e outros trequinhos que a gente costuma guardar. Eu também já encontrei algumas louças bem bonitas por lá. Então para este tipo de coisas, eu acho que a Ikea compensa. Já dos móveis de lá eu não sou fã :-(.

Semana passada me deu um daqueles cinco minutos e eu resolvi que TINHA que ir na Ikea, porque vi no catálogo da loja umas vasilhinhas fofas, que há tempos eu queria comprar, especialmente porque eu ando em uma fase thai e queria fazer comidinha thai pra servir nestas vasilhinhas, porque eu gosto de comer com os olhos :-).



Dai lá fui eu no Ikea, enfrentei quilômetros de loja e comprei as minhas vasilhinhas, vasinhos e mais outras coisinhas. No final do dia encontrei o marido para pegar uma carona básica para casa. Ele pegou a sacola e ficou impressionado com o peso dela, rs.... Nada detém uma mulher quando ela quer ir as compras :-).

Agora é só preparar a minha comidinha thai e servir nas minhas "porcelanas" Ikea que custaram somente 3,95 e 4,95 francos ambas 3,95 francos cada - e nem são made in China!

Quem ai gosta do Ikea :-).?

Continue lendo ››

2.10.12

Será o Brasil a bola da vez?



Está todo mundo dizendo que o Brasil está vivendo um boom econômico, mas eu, aqui de longe, ainda tenho as minhas dúvidas quanto a isso.

Claro que muita coisa melhorou, o desemprego diminuiu, aparentemente houve redução da pobreza e da desigualdade social e mais gente está tendo acesso a produtos que antes seriam inimagináveis, isso porque ficou mais fácil obter crédito. Mas outras coisas ainda caminham a passos lentos, como a educação que precisa ser melhorada, a corrupção e a violência que precisam acabar, a carga tributária que precisa ser urgentemente revista e etc...

Tempos atrás, fui em uma pizzeria aqui em Zurique com o marido e uma amiga dele, e conversa vai, conversa vem, na hora de fazer o pedido da pizza, o garçom me pergunta: "você é brasileira né"? "Sim, sou. Como você soube?". "Reconheci o seu sotaque, porque conheço São Paulo". (meu celular tocou momentos antes e ele me ouviu falando em português).

E ele ainda completou: "Você sabia que em 2025 São Paulo estará entre as cinco cidades mais ricas do mundo? E eu estarei lá". risadas. O garçom era português. Bem informado o rapaz...

Juro que por um momento eu também pensei que eu poderia estar em SP lá em 2025, de repente imaginei que poderíamos sim viver em uma sociedade mais nivelada, em que a renda fosse mais bem distribuída. Não haveria mais quase nenhum mendigo (porque tem gente que mendiga porque quer), ninguém passando necessidade, sensação de segurança... ai eu sai do transe e percebi a minha utopia...

Muita gente está apostando no Brasil. Recentemente li essa reportagem no deutsche welle, um site alemão, sobre o aumento do número de casamentos entre brasileiras e estrangeiros no Brasil, e que muitos desses casamentos seriam de fachada, somente para que o estrangeiro pudesse conseguir o visto de permanência e viver legalmente no Brasil. O Ministério Público e a Polícia Federal estão investigando e averiguando e visitando casas quando há suspeita de que o casamento é de fachada.

Eu sei que o Brasil é altamente burocrático para conceder vistos para estrangeiros. Para aqueles que tem uma profissão e querem trabalhar no Brasil é super difícil conseguir um visto. Muitos acreditam que o caminho mais rápido seja casando e tendo um filho, rs... foi assim que o Ronald Biggs conseguiu a permanência dele no Brasil, mesmo sendo foragido da Inglaterra.

Vi no FB um vídeo, com uma reportagem do Fantástico, que mostrou que pessoas no Brasil estão mesmo vendendo casamento. As mulheres pedem de quatro a quarenta mil reais para se casarem com um estrangeiro que queira ganhar a permanência para viver no Brasil.

O link com o vídeo é este aqui.

Será o Brasil o novo Estados Unidos? A terra das oportunidades, o novo eldorado? Daqui há alguns anos saberemos.


Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...