26.6.12

Psicologia, alimentação e descobertas

Eu era uma pessoa limitada para comer. É verdade que eu nunca fui de comer bobagens, mas a minha alimentação era pouco variada. Na minha casa, sempre haviam legumes e verduras durante as refeições, mas eu só comia alface e, pra mim, estava bom. Também não eramos, eu e as minhas irmãs, estimuladas ou obrigadas a comer o que não queríamos, porém, em casa, haviam algumas regras: refrigerantes e doces só eram permitidos aos finais de semana – e, hoje, eu sou agradecida por isso! Lembro também, que durante o almoço, haviam sempre na mesa, duas laranjas para cada uma, pois elas eram a nossa "sobremesa" para depois do almoço. Nós consumíamos muitas laranjas e, com isso, a cota de vitamina C da família estava garantida :-).

A minha vida, (principalmente a alimentar), mudou quando eu fiz um estágio, enquanto estudante de psicologia, de um ano, no setor de Medicina Preventiva de uma grande rede de assistência médica em São Paulo. O programa de Medicina Preventiva, era composto por palestras, orientações e grupos de apoio, com profissionais nas áreas de Reeducação Postural, Atividade Física, Psiquiatria, Nutrição, Reeducação alimentar, Amamentação e cuidados no pré e pós parto e cuidados com o bebê. Foi um estágio pontual, mas que marcou a minha vida muito positivamente. Neste estágio, eu também assistia às palestras, porque eu era a responsável por organizar os grupos, ajudar na pesagem dos pacientes e etc…

Foi neste período, durante as palestras sobre reeducação alimentar, que eu percebi que havia algo muito errado com a minha alimentação…rs.. e então, foi ai, que eu comecei a inserir gradativamente alimentos novos na minha rotina: brócolis, vagem, couve, broto de feijão, couve flor e etc… tudo que eu já tinha visto em casa, mas que eu “não gostava”, sem nunca nem ter experimentado…rs…A partir dai eu aprendi a "comer bem".

Quando eu cheguei na Suíça para morar, fiquei um pouco perdida com a alimentação e as comidas daqui, ainda mais que, para alguém como eu, que não estava habituada com a cozinha, e que o máximo que cozinhava era uma massa pronta - que era só botar na água quente e voilá, o almoço estava garantido -  foi um "mundo novo".  O primeiro arroz, cozinhado por mim, foi feito aqui (vergonha!). Mas agora, modéstia a parte, eu cozinho bem, aprendi – por uma questão de sobrevivência – a cozinhar (e a gostar disso) e a experimentar ingredientes novos.


Foi durante esta experimentação, que eu passei a me acostumar e a entender a época certa de consumir algumas frutas e legumes. No Brasil, até tem a época certa para consumir algumas frutas, como por exemplo, o morango, e aqui não é diferente. Os morangos começam a chegar nos supermercados no final do inverno, e ai, eles enchem os meus olhos e eu acabo comprando uma caixinha. Marido me chama a atenção e diz que, com certeza, os morangos estarão azedos (ele acerta), pois a época certa é o finalzinho da primavera, e ai sim, os morangos "bons" começam a chegar. Então porque os supermercados enchem as prateleiras com as frutas que não são de época? Deve ser, para que, os estrangeiros, incautos como eu, não resistam e comprem, porque os suíços sabem esperar e esperam... O mesmo acontece com a cerejas e os melões, que agora é que estão bons e prontos para serem consumidos. 

 E ainda falando em descobertas, eu fiquei pasma ao saber que a Groselha existe!! hahaha, eu achava que a groselha era algo "sintético" ou algum corante feito para as balas juquinhas, ou que era só um xarope, mas não, ela é uma fruta. Descobri isso, quando comprei no supermercado uma bolachinha recheada com frutas vermelhas e na descrição, uma das frutas do recheio era a "Johannisbeere" (nome em alemão), que estava traduzida como "Groseille" no francês (na Suíça, a maioria dos rótulos dos produtos veem escritos em alemão, francês e italiano) e foi ai que eu me toquei, que aquela frutinha, que até então eu achava sem graça, (eu já tinha visto o pé da fruta na casa da sogra), era a groselha. Meu mundo mudou e eu passei a ver a groselha com outros olhos...rs... Como um nome pode mudar tudo...

Pé de groselha na casa da sogra


No detalhe, eu colhendo groselhas

Outro pé de groselhas negras, na casa da sogra.
Não parecem jabuticabas?

Outra "descoberta" aconteceu com o Succhini, que eu, quando provei, adorei e foi só aqui, com uma rápida olhada no dicionário, que eu descobri que o succhini, nada mais era, do que a nossa boa e velha abobrinha... Até então, eu não sabia a diferença entre abóbora e abobrinha. Agora eu sei, rs... Vivendo e aprendendo!!

11 comentários:

  1. Ai, salivei agora com essa foto das cerejas!!! E os morangos? Estão maravilhosos nessa época do ano, ne?

    Outro dia eu jantei apenas morangos e framboesas... Estavam taaaao doces!

    E eu também só fui ver a fruta groselha por aqui... no brasil eu detestava o suco de groselha, aqui aprendi que fica uma delicia como geleia, suco (de verdade) ou como molho por cima de uma carne beeem vermelha...

    beijo!

    ResponderExcluir
  2. Eu JURO que olhei pra 2a. foto e pensei que eram... PITANGAS!!!

    www.falagrasi.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. oi Sandra!
    adorei este post...
    menina este fim de semana vi esta frutinha (grosellha), bom se não for ela é idêntica...rsrs e ainda falei com Ivan que achava que era uma fruta, ele com medo falou para não provar... que legal!!!
    beijoss

    ResponderExcluir
  4. Sandra eu tbm passei a comer legumes e verduras tarde mas hoje em dia tbm faz parte do meu cardapio e eu adoro.Agora sobre a groselha eu tbm jurava que era sintético e tbm não sabia tinham dois tipos diferentes, mto legal vou tentar achar por aqui,bjkss

    ResponderExcluir
  5. Sandra ...nunca vi nunca comi eu só ou ouço falar....kkk..vou cantar a musica do zeca pagodinho pra gente! nunca vi ou comi groselha....vou procurar por aki.....sim...agora esta na época das cerejas ..morangos...marido fez geleia de cereja...mmmm..mas prefiro as frutas ao natural.....como marido e ingles...e eles comem mal...que só...tento fazer uma alimentaçao..brasileira..mas com muitos legumes ....e um pouqinho de sanduiches ingleses...pq oooo povinho que gosta de sanduba....isso pra mim é lanche nao e janta...ou almoço! Mas....por falar em abobrinha..sogro me deu uma abobrinha do quintal....fiz recheada ..com carne moida...to juntando fotos...para o meu post..ana maria braga parte II...kkkkkk bjao

    ResponderExcluir
  6. Hahahahahaha. Não sabia a diferença entre abóbora e abobrinha foi demais! Até esqueci o que estava pensando em comentar... Muito bom!
    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Mas então Suíça mudou sua vida pra melhor, heim!?!
    Eu sempre fui fã de frutas e de uns tempos pra eu compro frutas da estação e faço salada de fruta pra comer de café da manhã. Yummy...

    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  8. Aqui a abobrinha se chama courgette, do francês mesmo. Bom, eu aprendi a cozinhar em casa, mesmo quando pequena, fazia arroz, omelete, bifes à milanesa, macarronada, então aqui não passei aperto, não. Ir ao supermercado pra mim é prazeroso, adoro olhar e descobrir novas opções. Aqui em casa, a gente traça tudo hahaha

    ResponderExcluir
  9. Eu nuuuuuuuunca tinha visto groselha na vidaaaaa! B-) q tudooo!
    Adorei o post...
    Eu sempre tive uma alimentaçao bacana...mtas verduras, legumes e carnes sem muito oleo... Mas meu pecado sempre foi o doceeeee...q vilão esse tal de doce, vulgo guloseima! Hahaha
    Tenho evitado e muuuuito... Mas o problema aqui na Turquia eh o oleo...gente do ceu...ate uma simples saladinha eh lotaaaaaada de oleo! Resumindo... Emagrecer, soh no Brasil mesmohahaha!


    Bjooos

    ResponderExcluir
  10. Adorei saber que groselha existe, eu nunca pensava que era uma fruta de verdade, mas um gosto artificial pro xarope...rs. La em casa desde de pequena minha mae sempre nos obrigou a comer de tudo, entao em geral ate hoje nunca tive problemas com alimentacao e aqui consigo manter o padrao. Eu me sinto perdida com as estacoes das frutas, compro o que me chama atencao, agora lendo o seu post me toquei que preciso me atentar a isso.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  11. Oi Sandrinha!
    Que post interessante, suas descobertas aconteceram cada uma no seu momento, desde a inclusão de alimentos saudáveis no cardápio como o arroz que saiu aí na Suíça.
    Foi na Alemanha que eu aprendi a fazer macarrão... Hoje eu dou risada de tamanha demora, como é que eu vivi tanto tempo sem saber uma coisa tão elementar?
    Mas a vida é assim... vai revelando segredinhos tão gosotos como a groselha ao seu tempo :)
    Bjim
    Márcia

    ResponderExcluir

Seu comentário é bem vindo! Obrigada!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...