29.6.12

As janelas toscanas

Uma das coisas que eu gostava de observar, andando pela Toscana, eram as janelas das casas de lá. Eu andava olhando pra cima para observar as janelas do caminho.



"Pela janela vejo fumaça, vejo pessoas
Na rua os carros no céu o sol e a chuva"


"Da janela lateral do quarto de dormir
Vejo uma igreja, um sinal de glória
Vejo um muro branco e um vôo pássaro
Vejo uma grade, um velho sinal"


Sempre repletas de flores....


"Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela
Quem é ela? Quem é ela?
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle..."





com muitos vasinhos...




e com roupas no varal...
pois roupa suja,



se lava em casa!



Por aqui, nesta época do ano, as janelas também ficam lindas de se ver. Com muitas flores colorindo os dias de verão. Aqui em casa, eu também andei dando uma enfeitadinha na janela.


Janela aqui de casa



E você, gosta de flores na janela?


Continue lendo ››

28.6.12

Gente amargurada

Quis escrever este post, que pode parecer baixo astral, pra falar dos tipos de amargura e amargurados que ando vendo - ou não - por ai.  Não vemos, quando esses se fazem passar por anônimos e saem atacando blogs com comentários ofensivos e maldosos. Não, não passei por isto no meu blog, mas essa semana, um blog que eu lia foi fechado, vítima de gente maldosa, e, vira e mexe, outros blogs amigos reclamam deste tipo de ataque que sofrem através de comentários de "anônimos".

Semanas atrás li uma reportagem sobre a amargura - se eu achar o link coloco aqui - e deu pra entender muitas coisas. Um dos parágrafos da reportagem mencionava que todos nós devemos saber que nem sempre vamos alcançar os nossos objetivos e realizar os nossos sonhos e é preciso estar disposto a aceitar isso, senão correremos o risco de nos tornarmos, na velhice, ou antes dela, uma pessoa ranzinza, azedaamargurada.

É díficil, mas é preciso ser racional e equilibrado para não ceder a essas agressões, e nós sabemos que elas machucam. As pessoas, neste mundo cibernético, muitas vezes se valem de sua condição de "anônimo" para atacar os outros e descontar sua amargura. É gente que não consegue realizar os seus sonhos, pois não tem tempo de correr atrás deles, pois ficam vivendo a vida dos outros, querendo azedar as conquistas deles e os atacando por trás de um anonimato.

Isso também acontece com algumas pessoas depois que se elas se tornam idosas. Algumas se valhem dessa condição e saem praguejando pra Deus e todo mundo a sua infelicidade. Elas são mal educadas com caixas de supermercados, com enfermeiros, com todo mundo...  e ai, se algum de nós, revidar... A lógica é simples: se você foi uma pessoa boa, legal e serena a vida toda, será um velhinho(a) fofo(a), daqueles que a gente tem vontade de papear por horas e horas e até levar pra casa, rs..., mas se você foi um boçal toda vida, se tornará um daqueles insuportáveis que ninguém quer ter por perto. Como sabiamente disse Ruy Barbosa: "Os canalhas também envelhecem".

Eu, graças a Deus, não nasci com o "gene" da amargura, rs... Digo gene, porque em algumas pessoas essa característica é tão marcada que parece algo patológico! Conheci gente que tinha uma vida tão boa (mas vida boa e felicidade são conceitos tão relativos né?) mas que era tão amargurada, que eu nem tinha vontade de ficar perto.

Uma vez, no metrô, em SP, eu estava sentada em um dos bancos, que não era o preferencial para idosos, e quando o metrô parou em uma das estações, de repente, uma senhora entrou com tudo e praticamente me enxotou do banco pedindo o lugar! Eu fiquei tão passada, porque foi tão rápido e inesperado, que nem deu tempo de eu ter oferecido a ela o lugar!  Eu, que tenho muito respeito por pessoas idosas, fiquei até sem reação perante essa atitude.


E educação não tem nada a ver com idade. Algumas pessoas acham que com a idade, ganham o direito de se comportarem como bem entenderem e o mundo que os aceite como são. Recentemente estávamos visitando um museu durante uma viagem e uma senhora idosa, muito elegante por sinal, sentou-se em uma das cadeiras do museu que estava protegida por uma corda, imediatamente a funcionária percebeu e pediu para a senhora se levantar, pois o móvel era uma peça de museu etc e tal, a mulher praguejou, disse que estava cansada e que precisava se sentar...a funcionária não cedeu e pediu então que a mulher fosse para fora, descansasse e depois voltasse, a funcionária estava quase puxando a senhora pelo braço, pois ela não queria sair e a situação foi bem constrangedora.

Tem gente que durante a vida toda não cultivou a simpatia e nem o amor dos seus, e depois exigem que na velhice as pessoas os "aturem". Não estou nem me referindo as pessoas que são acometidas por doenças, como por exemplo, o mal de Alzheimer, que torna, até a mais dócil das criaturas, uma pessoa agressiva, mas sim àqueles que sempre foram pessoas "difíceis" e que  na velhice continuarão sendo... Eu prefiro me retirar antes, a me tornar uma dessas velhinhas insuportáveis, das quais ninguém mais quer a companhia, rs...

Mas, ainda bem que no mundo e aqui na blogosfera, que também é um mundo, ainda tem muita gente do bem e que tem a capacidade de se compadecer destes, porque compaixão é o que eles mais precisam.

Continue lendo ››

26.6.12

Psicologia, alimentação e descobertas

Eu era uma pessoa limitada para comer. É verdade que eu nunca fui de comer bobagens, mas a minha alimentação era pouco variada. Na minha casa, sempre haviam legumes e verduras durante as refeições, mas eu só comia alface e, pra mim, estava bom. Também não eramos, eu e as minhas irmãs, estimuladas ou obrigadas a comer o que não queríamos, porém, em casa, haviam algumas regras: refrigerantes e doces só eram permitidos aos finais de semana – e, hoje, eu sou agradecida por isso! Lembro também, que durante o almoço, haviam sempre na mesa, duas laranjas para cada uma, pois elas eram a nossa "sobremesa" para depois do almoço. Nós consumíamos muitas laranjas e, com isso, a cota de vitamina C da família estava garantida :-).

A minha vida, (principalmente a alimentar), mudou quando eu fiz um estágio, enquanto estudante de psicologia, de um ano, no setor de Medicina Preventiva de uma grande rede de assistência médica em São Paulo. O programa de Medicina Preventiva, era composto por palestras, orientações e grupos de apoio, com profissionais nas áreas de Reeducação Postural, Atividade Física, Psiquiatria, Nutrição, Reeducação alimentar, Amamentação e cuidados no pré e pós parto e cuidados com o bebê. Foi um estágio pontual, mas que marcou a minha vida muito positivamente. Neste estágio, eu também assistia às palestras, porque eu era a responsável por organizar os grupos, ajudar na pesagem dos pacientes e etc…

Foi neste período, durante as palestras sobre reeducação alimentar, que eu percebi que havia algo muito errado com a minha alimentação…rs.. e então, foi ai, que eu comecei a inserir gradativamente alimentos novos na minha rotina: brócolis, vagem, couve, broto de feijão, couve flor e etc… tudo que eu já tinha visto em casa, mas que eu “não gostava”, sem nunca nem ter experimentado…rs…A partir dai eu aprendi a "comer bem".

Quando eu cheguei na Suíça para morar, fiquei um pouco perdida com a alimentação e as comidas daqui, ainda mais que, para alguém como eu, que não estava habituada com a cozinha, e que o máximo que cozinhava era uma massa pronta - que era só botar na água quente e voilá, o almoço estava garantido -  foi um "mundo novo".  O primeiro arroz, cozinhado por mim, foi feito aqui (vergonha!). Mas agora, modéstia a parte, eu cozinho bem, aprendi – por uma questão de sobrevivência – a cozinhar (e a gostar disso) e a experimentar ingredientes novos.


Foi durante esta experimentação, que eu passei a me acostumar e a entender a época certa de consumir algumas frutas e legumes. No Brasil, até tem a época certa para consumir algumas frutas, como por exemplo, o morango, e aqui não é diferente. Os morangos começam a chegar nos supermercados no final do inverno, e ai, eles enchem os meus olhos e eu acabo comprando uma caixinha. Marido me chama a atenção e diz que, com certeza, os morangos estarão azedos (ele acerta), pois a época certa é o finalzinho da primavera, e ai sim, os morangos "bons" começam a chegar. Então porque os supermercados enchem as prateleiras com as frutas que não são de época? Deve ser, para que, os estrangeiros, incautos como eu, não resistam e comprem, porque os suíços sabem esperar e esperam... O mesmo acontece com a cerejas e os melões, que agora é que estão bons e prontos para serem consumidos. 

 E ainda falando em descobertas, eu fiquei pasma ao saber que a Groselha existe!! hahaha, eu achava que a groselha era algo "sintético" ou algum corante feito para as balas juquinhas, ou que era só um xarope, mas não, ela é uma fruta. Descobri isso, quando comprei no supermercado uma bolachinha recheada com frutas vermelhas e na descrição, uma das frutas do recheio era a "Johannisbeere" (nome em alemão), que estava traduzida como "Groseille" no francês (na Suíça, a maioria dos rótulos dos produtos veem escritos em alemão, francês e italiano) e foi ai que eu me toquei, que aquela frutinha, que até então eu achava sem graça, (eu já tinha visto o pé da fruta na casa da sogra), era a groselha. Meu mundo mudou e eu passei a ver a groselha com outros olhos...rs... Como um nome pode mudar tudo...

Pé de groselha na casa da sogra


No detalhe, eu colhendo groselhas

Outro pé de groselhas negras, na casa da sogra.
Não parecem jabuticabas?

Outra "descoberta" aconteceu com o Succhini, que eu, quando provei, adorei e foi só aqui, com uma rápida olhada no dicionário, que eu descobri que o succhini, nada mais era, do que a nossa boa e velha abobrinha... Até então, eu não sabia a diferença entre abóbora e abobrinha. Agora eu sei, rs... Vivendo e aprendendo!!

Continue lendo ››

25.6.12

Um giro pela Suíça francesa: Montreux




Eu adoro a parte francesa da Suíça. Adoro! Ela tem todo um charme especial, a atmosfera de lá é diferente daqui, da parte alemã, e hoje eu fiquei ainda com mais saudade de lá, especialmente de Montreux, uma cidade que eu adorei visitar. Ainda mais porque eu vi que o Montreux Jazz Festival, que começará no dia 29 de junho, terá no dia dedicado ao Brasil, Luiz Melodia, Adriana Calcanhoto e Cidade Negra, além do Jorge Ben Jor, que se apresentará em outro dia.



E eu não vou!! Temos compromisso de manhã, no dia seguinte ao show e como Montreux fica um pouquinho longe e o show terminará tarde, não tem como ir e voltar no mesmo dia. Uma pena, pois eu adoraria assistir a estes shows. E, seu fosse, provavelmente teria que ir só, ou encontrar alguém que tivesse disponibilidade de ir comigo, além de ter o mesmo gosto musical que eu, pois eu tenho um marido que gosta de heavy metal, punk e rock, então nem dá pra imaginar ele indo nestes shows comigo né, rs...



Montreux é super charmosa e badalada, mas sem ser pretenciosa. Ela é banhada pelo Lago de Genebra - também conhecido como Lago Léman e está aos pés dos alpes suíços. A praça principal da cidade, a Place du Marché, tem uma estátua em homenagem ao Freddie Mercury, que foi um dos ilustres moradores de lá.


Montreux é uma cidade musical, que durante o ano conta com diversos festivais nesta área, sendo o Montreux Jazz Festival, o mais famoso. A famosa canção do Deep Purple "Smoke on the Whater", foi inspirada em Montreux, quando em meados dos anos 70 um incêndio destruiu o casino de Montreux e a fumaça, que se espalhou pelo lago de Genebra, deu origem a letra e ao nome da música.




Um outro atrativo, que está bem próximo à cidade de Montreux, é o Chateau de Chillon (Castelo de Chillon) que serviu de prisão durante o século 19, e hoje é o castelo mais visitado de toda a Suíça. Através dele se tem uma vista maravilhosa de todo o lago de Genebra. De Montreux, pode se chegar facilmente ao castelo através de caminhada, ônibus ou barco. É um passeio super legal e dá pra incluir Montreux e o Castelo de Chillon em um único dia.

SweetZerland

Continue lendo ››

22.6.12

Konstanz




Já citei a cidade de Konstanz, na Alemanha, neste post aqui. Ela é uma das principais cidades alemãs, próxima à fronteira com a Suíça, onde muitos moradores da Suíça vão para fazer compras. Atualmente a cidade vive lotada, principalmente de suíços.

A cidade de Konstanz fica localizada há mais ou menos 70 km de distância de Zurique: aproximadamente 1 hora de carro ou 1:20 min. de trem e pertence ao estado de Baden-Württemberg.





O atrativo principal da cidade, além das compras, é a linda paisagem do Bodensee, o maior lago alemão, que corta também a Aústria e a Suíça, e os passeios de barco que podem ser feitos através dele. Além disso a cidade conta com um aquário da rede Sea Life.






Konstanz é cheia de lojas, cafés e restaurantes com preços muito mais amigos do que na vizinha Suíça, e além disso, para os moradores de fora da Alemanha, é possível receber de volta uma parte do valor das compras, já que na Alemanha o imposto é maior. É só não esquecer de pedir na loja, no momento do pagamento no caixa, o formulário Ausfurh, preencher, passar na alfândega na fronteira, carimbar e quando você voltar em Konstanz poderá receber de volta, na loja, o valor do imposto descontado, que já é previamente calculado na nota.

Quem puder, é melhor ir para Konstanz durante a semana, pois aos sábados, a fila para passar na fronteira é muito grande. Ou se for ao sábado vá BEM cedo, pois o tumulto é grande...rs..


Nesta semana fui até Konstanz com três amigas, com o mesmo objetivo: fazer compras e passear um pouquinho. Comprar na Alemanha, significa uma economia de no mínimo 30% (em muitos artigos até mais), sem contar que compras de supermercado são bem vantajosas!!

Fizemos as compras, o dia estava muito quente e foi ai que resolvemos fazer um passeio de pedalinho e foi muito divertido!!!







Acho que eu não andava de pedalinho desde os meus sete ou oito anos de idade...rs... Valeu a pena e o dia foi ótimo.

Continue lendo ››

21.6.12

Bella Toscana


 Passear pela Toscana é surpreendente!! A cada curva de estrada surge uma imagem encantadora!! Viajar de carro tem as suas vantagens - a gente pode ir parando onde bem entender, simplesmente para fotografar a paisagem ou descobrir algum "pueblito", o que aconteceu conosco algumas vezes.

Em Castigliano D' Orcia

Da esquerda para direita: Vista de Pienza da estrada, hotelzinho perdido em um vilarejo,
Fotos de baixo: Ruas de Castigliano D'orcia


Uma das surpresas foi conhecer cidadezinhas como Castigliano D' Orcia, San Giovanni d' Asso e o Mosteiro Beneditino do Monte Oliveto Maggiore, que estavam no nosso caminho. Pena que neste último, chegamos durante o intervalo do horário de visitas e não queríamos esperar lá quase duas horas para conhecer o mosteiro por dentro, mas mesmo assim valeu a visita!!



Nós montamos a nossa "base" em Pienza, e de lá fazíamos nossos bate-volta pelas cidades, com exceção de Florença, que por ser muito grande e estar mais distante de Pienza, preferimos nos hospedar por lá mesmo. Post em breve.


Pienza é uma cidadezinha linda, como todas as outras da Toscana!! Ela é considerada patrimônio da Unesco e foi toda remodelada por Pio II e por isso é considerada berço do urbanismo renascentista. A Abadia de lá serviu para a gravação do filme "O paciente inglês".











Era uma delícia passear pelas ruazinhas de Pienza, apreciar a arquitetura, as lojinhas de queijo pecorino, de vinhos, de artigos em couro e conhecer os restaurantes da região que tinham como carro chefe o Picci - um tipo de macarrão bem consumido na região - ao molho de queijo pecorino, que é um queijo feito com leite de ovelha. Pecora em italiano significa ovelha.

Já estava quase na metade do prato quando lembrei de fazer a foto...rs...
E por falar em massa, nossa como eu comi nestas férias. Madonna mia!! Como se come bem na Itália!


 Pizzas maravilhosas, paninis com presunto de parma e mussarela bufala... Ainda bem que eu andava em uma proporção muito maior do que as calorias que eu ingeri, mas acho que não escapei de ganhar alguns kilos...
Continue lendo ››

17.6.12

Voltando aos poucos...

Oi gente!! As férias foram ótimas. Adoramos a região da Toscana e quem sabe daqui há alguns anos não voltamos lá de novo!?

Na Toscana, região de Pienza

Tiramos muitas fotos (mais de mil) e fica difícil escrever sobre tudo o que vimos e sentimos. Vou escrever alguns posts sobre a Toscana aos poucos, também para não entediar muito quem passa por aqui, pois blog com monotema, na minha opinião, vai ficando muito chato! :-)

Nós em Montalcino

Tivemos sorte durante a viagem pois só choveu um dia, enquanto que na Suíça soubemos que choveu e ventou o tempo todo. Neste final de semana, por aqui, o tempo "firmou" e ficou bem quente.

Monticchello na Toscana. Uma cidadezinha que parece
que parou no tempo...

Quando chegamos em casa da viagem da Toscana, havia um aviso do correio, sobre um pacotinho vindo da Bélgica, que estava lá, esperando para ser retirado. É que eu participei de um sorteio no Blog da Luana, fui sorteada e ganhei waffle e chocolates belga. Uma delícia! Obrigada mais uma vez Luana  :-). Estou amando fazer parte deste mundo de blogs!!


No dia seguinte da nossa volta da Toscana, fomos direto para St. Gallen, para a casa dos meus sogros, e de onde sairam dois containers lotados (um container só com móveis desmontados e outro só com coisas velhas que foram jogadas fora). E lixo custa caro viu gente. O melhor mesmo é viver sem juntar tralhas!!

Sábado aproveitamos para fazer uma caminhada pelos alpes. Fomos para Elm, que fica no cantão de Glarus. Marido é bem desanimado para viajar/sair no inverno, mas em compensação no verão ele quer aproveitar o máximo, rs.. Eu odeio calor, mas enfim, o verão é tão curto que deve ser aproveitado.

Eu, em Elm, com o "uniforme" de montanha.

Volto em breve com mais notícias :-).

Continue lendo ››

2.6.12

Blog em férias

Foto: http://www.entertainmentwallpaper.com


Blog de férias
sob o sol da Toscana.



Amanhã estaremos indo para a Itália. Vamos passear pela região da Toscana. Passaremos por Siena, Florença, Pienza, Montalcino, Cortona, San Gimignano e outros lugarzinhos que estiverem em nosso caminho, já que pelo que pesquisamos lugares bonitos é que não faltam por lá. Ficarei sem aparecer por aqui até o dia 13 de junho, já que durante as férias eu não pretendo acessar a internet. Veremos.... rs....

Assisti esses dias pela internet o filme Sob o sol da Toscana, que além de ter uma bonita história, mostra algumas paisagens da região que vamos visitar, com destaque para Cortona, que é a cidade, onde a protagonista, que sai dos EUA, compra uma casa e passa a viver.

Até breve!!!

Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...