28.5.12

A chata



Hoje, feriado de Pentecostes na Europa, marido levantou uma hora de antes de mim, ajeitou algumas coisas em casa e começou a assar um bolo!! Eu levantei, senti  um cheirinho gostoso, fui até a cozinha e fiquei feliz ao ver o bolo assando no forno. Logo, abri a geladeira e me dei conta que ele usou a manteiga de "comer" e não a manteiga de "cozinhar" para fazer o bolo.

Eu, pra começar o dia bem, fui reclamar:

Eu: "Você não viu essa manteiga na geladeira". (mostrando a manteiga "correta")
Marido: "Não, não vi, usei a outra, que foi suficiente"...
Eu: "Mas é essa a manteiga de cozinhar e não a outra"...
Marido: "Ah, chataaaaaaaaa"

Eu cai na risada!!!

Porque eu não esperava que ele me respondesse em português e porque sim eu estava sendo MUITO CHATA, hahaha!!

Marido não fala português, então eu ensino algumas palavras pra ele e as vezes ele me surpreende quando usa as palavras em português corretamente no contexto de alguma situação. Quer palavra mais apropriada do que "chata" para esta situação?

Ele também usa corretamente a palavra tranqueira, principalmente quando eu paro para olhar alguma coisa em "lojinhas" e ele diz pra não comprar tranqueiras. As vezes ele diz "trancos".

Acho que vou parar de ensinar algumas palavras, pois elas estão se voltando contra mim!!

Bom feriado para quem está de feriado :-).

Continue lendo ››

24.5.12

O Pantanal em Zurique


Foto: Zoo Zürich/Edi Day

Desde o dia 21 de março está inaugurado no Zoológico de Zurique uma ala dedicada ao Pantanal brasileiro. Construíram uma réplica do nosso pantanal e até a placa de entrada para este espaço está escrita em português.

A iniciativa do Zoo de Zurique também pretende chamar a atenção para o problema do tráfico de animais silvestres, que acontece principalmente na Amazônia e no Pantanal. Um terço dos animais contrabandeados - segundo informações no site do Zoo de Zurique - são vendidos no mercado local e o restante no exterior, principalmente para os EUA, Suíça, Alemanha, Inglaterra e muitos outros países. Estima-se que 400 quadrilhas atuem no comércio ilegal de animais na América do Sul.

Foto: Zoo Zürich/Edi Day - Réplica do quiosque da Polícia Federal, no Zoo de Zurique,
representando a luta contra o contrabando de animais silvestres.


No mesmo zoológico também há uma réplica da floresta Masoala de Madagascar, que também vem sendo ameaçada e foi quase totalmente destruída. Eu já visitei este espaço e até a temperatura é parecida com a de uma floresta tropical: quente e úmida.

Pra gente que cresceu, praticamente com uma natureza exuberante aos nossos pés, réplicas de florestas, pantanal e etc... não chegam a ser uma novidade, mas os suíços curtem isso, sabe, de aprender sobre florestas, natureza, preservação e tal...  E eu acho que é super importante alertar sobre o contrabando de animais e a importância da preservação das espécies. Aposto que a visita no espaço "Pantanal" do Zoo já entrou até na grade curricular das escolas primárias de Zurique :-).

Do jeito que viajar dentro do Brasil está caro, ver o "Pantanal" no zoológico de Zurique parece ser uma boa sugestão..rs...
Continue lendo ››

21.5.12

O que vi da vida

Hoje, navegando pela internet, me deparei com uma notícia sobre um quadro do programa Fantástico chamado "O que vi da vida", com um depoimento da Xuxa, que confessou ter sido abusada sexualmente na infância.

Assisti e chorei. Não fui fã da Xuxa, mas achei o depoimento dela bem pessoal, onde ela contou muitas detalhes da sua vida, o que viu, o que viveu e etc...

A mídia muitas vezes faz com que as pessoas acreditem que ser famoso é sinônimo de glamour e felicidade plena. E quando, certas pessoas, como a Xuxa, abrem o coração publicamente é que percebe-se que todo o ser humano é igual, independente da fama e do estrelato, todos têm os mesmo problemas existenciais, vivem dramas, dúvidas, amores, frustações e etc...

Além do depoimento da Xuxa, que parece ser o mais longo de todos, outras personalidades outras pessoas conhecidas, como Amir Klink, Sandy, Zeca Pagodinho, Daniel Filho, Ivete Sangalo, Padre Marcelo Rossi, entre outros já participaram. Dá para assistir pelo youtube.




Continue lendo ››

14.5.12

Doar e jogar fora é preciso

De uns tempos pra cá, tem surgido uma porção de blogs e sites com dicas de como levar uma vida simples, desapego, doação, simplicidade e etc. Parece que muita gente resolveu aderir a esta nova onda e mudar o estilo de vida. Navegando pela internet a gente se depara com milhares de blogs sobre o tema. E esse assunto nunca fez tanto sentido pra mim, como agora, que estamos organizando a casa da sogra. Não vou escrever mais um mi mi mi aqui como fiz neste post, apesar de ter trabalhado muito por lá neste último final de semana. A cunhada foi (eeeeeeeeeee).

Entrada para o sótão

Fiquei imaginando quanto tempo a gente perde na vida pra se desfazer de coisas inúteis que acumulamos durante anos a fio. Os meus sogros guardavam de um tudo! No sótão da casa tinham brinquedos do tempo em que os filhos eram crianças, carrinho de bebê, roupinhas de criança, livros, caixas de papelão vazias e tantas tantas coisas que jamais foram reutilizadas e ficaram anos e anos no mesmo lugar só ocupando espaço e juntando poeira.


Parte do sótao da casa: objetos inúteis guardados por anos e anos...

Eu sei que é difícil se desfazer de certas coisas. Eu mudei de casa faz quase oito meses e estou firme no propósito de não acumular tranqueiras. Durante o processo de limpeza da casa da sogra, eu fiquei meio que obcecada em arrumação. Fiz uma limpa esses dias no meu guarda-roupas e se eu olhar de novo, tenho quase que certeza, que encontrarei algo mais para dar fim! Eu já fui muito consumista no passado, mas hoje em dia tenho mudado meus hábitos. E levar uma vida simples é um processo contínuo, na verdade acho que o difícil é mudar a nossa maneira de pensar. Porque se refletirmos bem a gente não precisa de tanta roupa, tanto sapato, tanta maquiagem, tanto perfume e outros tantos.

Parte dos objetos retirados do sótão e deixados em um dos quartos.
Quantas coisas desnecessárias guardamos na vida?



Pensando em tudo isso, eu cheguei a conclusão, que há algumas estratégias para que a gente viva bem, e leve, sem consumir muito, sem precisar de muito e sem juntar coisas desnecessárias. A doação é o melhor caminho! Quantas vezes enjoamos de determinada peça de roupa, a colocamos de lado, compramos outra, mas não doamos a peça "enjoada"? E ela fica lá, guardada em um canto do guarda-roupas, ocupando espaço e assim vamos juntando mais uma e mais uma. Uma idéia é juntar um grupo de amigas e fazer tipo um brechó de trocas. Cada uma leva o que não quer mais e ai pode-se tentar fazer um escambo.

Outro vilão é fazer compras quando se está "triste", pois acabamos comprando por impulso e provavelmente compraremos algo que não vamos usar e muitas vezes nos arrependemos da compra. E mais uma vez guardamos, na esperança de que um dia possamos usar ou precisar...

Outra coisa que aprendi: o que você tem em casa é para ser usado e não guardado. Segundo o Feng Shui, ter muitos objetos parados é energia estagnada, pois as coisas têm que estar sempre em movimento. A casa, para o Feng Shui, é considerada um corpo, um organismo vivo.

Eu sei que é legal, por exemplo, ter uma louça especial para quando você for receber visitas em casa, mas qual o sentido de comprar algo bonito e deixar guardado? Tem gente que recebe visita com frequência, infelizmente não é o meu caso. Pra quem, como eu, não recebe mais visitas como gostaria, porque não usar o que temos de bonito em casa com nós mesmos? Afinal, nós somos a pessoa mais importante da nossa vida :-).

Hoje eu penso bastante antes de comprar alguma coisa. As vezes a tentação é mais forte, como na épocas das "Sales", rs... mas já consigo me desapegar mais facilmente de coisas que antes eu mantinha guardadas, na esperança de um dia, quem sabe, voltar a usar.
Continue lendo ››

7.5.12

Que pena


Eu contei aqui que amigos do Brasil, viriam me visitar em junho e aproveitariam para dar um giro pela Europa. Eu conheci a minha amiga e o marido dela, quando trabalhavamos juntos, em uma empresa de software, nós mudamos de emprego, cada um seguiu por outros rumos, mas a amizade permaneceu até hoje. Aliás nesta mesma empresa, fizemos outras duas grandes amigas.

Há algumas semanas atrás invadiram o apto dos meus amigos e levaram muita coisa. Apesar do apto ter seguro, que cobre muita coisa, mas não tudo, as finanças ficaram abaladas e eles tiveram que cancelar a viagem. Felizmente eles não estavam em casa quando aconteceu a invasão, imaginem o trauma, se eles estivessem em casa! No final do ano passado, uma outra amiga minha também teve a casa invadida. Não roubaram muita coisa, mas você ter as suas coisas reviradas e remexidas, não é uma sensação boa.

A falta de segurança no Brasil está de tirar o sono de muita gente. Felizmente eu nunca fui assaltada. Posso me considerar uma sortuda (?).

E é essa falta de segurança no Brasil, uma das razões que me fazem querer ficar aqui ainda por um bom tempo. Não que aqui não aconteça roubos, mas são casos isolados, e não uma prática comum, como no nosso país. E viver sem ter a preocupação constante com a violência não tem preço.

Fiquei triste. E o mais triste é perceber que estamos de mãos atadas. O governo não faz nada para melhorar, o povo não sabe votar e por ai vai.

Onde vamos parar Brasil?
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...