26.3.12

Controle e filosofias



Se tem uma palavra que define bem o povo suíço, essa palavra é Controle, do verbo controlar e todas a suas variantes. Não é a toa que o país é tão organizado pois quase tudo é minimamente controlado.

Agora mesmo acabou de sair aqui de casa uma empresa que veio fazer o controle de toda a parte elétrica. Detalhe que a casa é nova, toda parte elétrica foi feita há menos de um ano, mas mesmo assim o controle não escapa. Segundo a empresa um novo controle só será feito daqui há 20 anos... ufa... melhor não reclamar pois o seguro morreu de velho. E por falar em seguro outra "mania suíça" é fazer seguro pra tudo: acidentes, casa, vida, cachorro, danos a terceiros, porque o ditado popular "é melhor prevenir do que remediar" é levado ao pé da letra.

Aqui parece que a ordem é se preparar para o pior! Eu não sei se isso é pessimismo ou precaução. Eu admiro esse jeito dos suíços de estarem quase sempre preparados para o pior! Mas sabe quando você percebe que eles costumam sempre fazer uma tempestade em um copo d'água? E no final muitas vezes não é assim tão grave? Ou não se tornou grave porque eles estavam prevenidos? :-). Acho que é mais por ai...

Falando em prevenção, marido e um amigo dele já comentaram comigo que acham que o povo da América Latina e de Portugal tendem a serem fatalistas. Que é quase cultural aceitar que existe um poder superior e que ninguém pode fugir dele, isso faz com que muita gente acredite que o destino está ali, escrito, e muitas vezes não pode ser mudado, dando nos a certeza de que não podemos ser agentes de uma mudança.

Eu concordo em partes, pois isso tem muito a ver com a religiosidade e no Brasil acreditamos, e muito, em um poder superior. O problema disso é viver ao Deus dará e não fazer "nada" só esperando que Deus faça alguma coisa. Nesse aspecto acredito que os indianos são muito mais fatalistas que os sulamericanos!!

Sei lá... eu acredito em destino, mas não me considero fatalista, acredito que EU sou o maior agente de uma mudança na minha vida, mas também creio que "há mais coisas entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia".

Nossa, comecei com alhos e terminei com bugalhos :-).

Horário de verão na Europa. Boa semana a todos!!!! :-)

Continue lendo ››

23.3.12

Mont Blanc

Mont Blanc

A primeira lembrança que eu tenho do nome Mont Blanc vem de um tempo que eu via pelos shoppings de São Paulo as lojas desta grife, com relógios, jóias e principalmente a caneta com o topo branco que faz alusão à montanha nevada.

Naquele tempo eu pouco sabia sobre esta montanha da França, porque França era Paris. Sempre que eu ia ao Shopping Iguatemi, que era praticamente ao lado de um escritório em que eu trabalhei e eu via nas lojas Mont Blanc todo o "glamour" dos relógios, canetas, e etc... eu imaginava que o lugar onde estava localizada esta montanha deveria ser mesmo muito muito chique e exclusivo!! Lembro ainda que neste tempo muitos camelôs estavam vendendo a caneta Mont Blanc "made in Paraguai"..rs, que fez com que marca fosse ficando bem conhecida no Brasil.

Muitos anos depois, já morando aqui na Suíça, um dia meu marido inventa de ir para Mont Blanc e olha como algumas coisas ficam arraigadas no nosso imaginário... a primeira lembrança que tive foi daquela caneta chique e da loja cara do Iguatemi...rs..

Quase pronta para subir até as montanhas :-)
Qual não foi a minha surpresa ao chegar em Chamonix Mont Blanc e me deparar com uma village simples, voltada para as pessoas que curtem esportes de montanha e contato com a natureza. Realmente os especialistas em marketing sabem transformar algo tão "simples" em glamouroso!!


Charmonix Mont Blanc foi uma das cidades de montanhas mais agradáveis que eu conhecei. Famosa pela montanha Mont Blanc - que é a mais alta da europa - mas sem ser luxuosa como St.Moritz, ela atrai muitos turistas, porém eu creio que a maioria dos turistas sejam franceses mesmo porque foi o idioma que mais ouvimos por lá. Hospedagem com preço honesto, cidade tranquila que dorme cedo, porque como eu disse é uma cidade voltada para o esporte de montanha e esportista que é esportista dorme cedo e acorda cedo :-). Não é o meu caso, mas algumas vezes por ano abro uma exceção e me "aventuro" em uma montanha...rs..


Para avistar a Mont Blanc subimos com o teleférico até o Mont Aiguili du Mind com altura de 3842 mts e para quem não está acostumado com o ar rarefeito fica difícil respirar. Eu passei um pouco mal como vocês podem conferir na foto abaixo.

Passei mal... tontura por causa da altitute.. argh..
Um outro passeio interessante em Mont Blanc, é subir de trenzinho até Montervers para visitar a geleira e ver o Mar Glacial.


Partindo da village de Chamonix Mont Blanc em 20 minutos é possível chegar ao Mer de Glace, que está há uns 1900 mts e é a maior geleira da França, pena que com o aquecimento global uma parte já se encontra quase sem gelo.

Mar glacial em Mont Blanc
A caverna de gelo, que descreve a história do povo da montanha no início do século 19
Para voltar a vila de Mont Blanc resolvemos fazer a trilha a pé e como era só descida não foi cansativo e não nos arrependemos pois o caminho de volta pela trilha é lindo!!!


No meio do caminho tinha um "chalezinho".


Village de Mont Blanc vista do alto

Mont Blanc é muito mais do que grife: natureza, gente de bem com a vida, ar puro, relax e beleza natural. É tudo isso que essa pequena vila tem para oferecer :-). Vontade de voltar lá de novo...

Continue lendo ››

17.3.12

Que vergonha Embratur !


Quando eu digo que o Brasil é um país difícil de ser visitado por estrangeiros - e muitas vezes pelos próprios brasileiros quando fazem turismo dentro do país - não apenas pela falta de estrutura (metrô, ônibus, linhas integradas, estradas sinalizadas e etc) e outras informações turísticas que facilitem a vida do turista eu não estou exagerando. Pra gente que fala português dá sempre pra se virar, mas imaginem para um gringo?

Eu gosto de ler blogs e colunas de estrangeiros que vivem no Brasil porque eu acho super interessante ler a visão de um "gringo" sobre o nosso país e um colunista que eu gosto muito de ler é o " Seth Kugel", que escreve para o IG. Ele é um americano que fala português, é apaixonado pelo Brasil e vive entre São Paulo e New York e que esta semana escreveu um artigo chamado "Para inglês entender", onde apontou vários erros de tradução do português para o inglês no site OFICIAL da EMBRATUR, que é a página que divulga o Brasil pelo mundo e que será muito acessada até 2014 principalmente por causa da copa do mundo. O artigo é bem interessante, vale a pena ler... ele deu exemplos de algumas frases que estavam no site da Embratur e que foram traduzidas do português para o inglês e ficaram totalmente sem sentido.

Como não ficar indignada? O Brasil está cheio de tradutores competentes e empresas sérias de tradução que poderiam fazer um trabalho perfeito, mas aposto que a verba da Embratur para o serviço de tradução ou foi para alguma empresa que já estava "na fita", que entregou o trabalho nas coxas ou foi a falta de verba que fez com que não fosse viável contratar um tradutor qualificado. Agora imaginem a página oficial de turismo do Brasil com todos esses erros? Eu que não sou nenhuma expert em inglês acho vergonhoso, que dirá os que consultam o site como uma referência para uma futura viagem ao nosso país. No artigo o Seth Kugel finaliza dizendo que "obviamente ninguém vai desistir de visitar o país por um erro de vocabulário. Mas desistir de um país porque não tem informação legível em seu site oficial? Com tantos outros países de olho nos bilhões de dólares do turista internacional? Isso não só é possível, é provável.". Eu concordo!

Eu já escrevi aqui sobre a falta de profissionalismo dos brasileiros de uma forma geral e eu gostaria muito de ser otimista e acreditar que a Copa vai ser um sucesso, mas a cada dia que eu leio notícias sobre atraso nas obras, aeroportos sem infra estrutura, erros de tradução e etc, eu perco as esperanças.

Pode ser que alguém do Brasil que leia o blog pense que eu critico porque não vivo mais no Brasil então não tenho o "direito de falar, mas não, eu sai do Brasil há pouco tempo e ainda está bem claro pra mim como as coisas funcionam por lá. Eu sou patriota mas não sou cega. Ainda assim eu torço, e muito, pelo meu país!
Continue lendo ››

15.3.12

E ai, tudo beleza?

Um pouco de papo mulherzinha...

Eu me viro: faço as unhas, limpo a casa, cozinho, tinjo o cabelo, mas se tem uma coisa que pra mim é complicado fazer, é a depilação! Que sufoco!! Só depois de quase dois anos fazendo minha própria depilação, posso dizer que estou mais acostumada com o processo, afinal a prática vai levando a perfeição - ou quase.

Meus parentes no Brasil que me desculpem, mas as vezes eu sinto mais saudade de uma depiladora do que de alguns deles :-).

Na Europa esse tipo de serviço é bem caro, e ai você tem duas três opções: larga de vez, aprende a fazer ou paga. Eu escolhi a segunda :-). Eu nunca fui "rata de salão" e embora aqui não exista a cobrança de estar sempre de unha feita, bem arrumada, cabelo escovado, salto alto, como no Brasil, eu não consigo ficar sem fazer unha e sem depilação. É uma "liberdade" que eu ainda não conquistei...rs..


Eu uso a cera Veet, que eu acho ótima. No começo eu me atrapalhava um pouco, pois as folhinhas pra depilação acabavam e eu ainda não tinha terminado de me depilar...rs... mas depois com o tempo e o jeito a coisa funciona!!! O processo todo não é tão trabalhoso, é que as vezes me dá aquela preguiça aquele cansaço... Eu só faço axila e biquini, a perna vai na gilette mesmo. O melhor dessa cera é que se ela cair na pia ou no chão é facílima de limpar pois sai com água e as folhinhas podem ser reaproveitadas, lavou tá nova!

Meu kit manicure. Os esmaltes do lado de fora da caixinha foram
enviados de presente por uma amiga do Brasil

Sou louca por esmaltes, vou vendo e vou comprando. Uma marca suíça que eu adoro é a Mavala. Os esmaltes não são baratinhos, mas são ótimos tanto em brilho como em durabilidade. Pra fazer pé e mão com manicure brasileira aqui na Suíça o preço começa em 60,70 francos (mais ou menos 57 euros ou 135 reais), e eu prefiro usar esse dinheiro para outros fins, então eu mesma faço as minhas unhas. O pé eu faço só no verão mesmo, porque vamos combinar que para usar bota todos os dias eu não preciso estar com as unhas feitas. Eu ainda não evolui ao ponto de ficar sem tirar as cutículas, eu até comprei uma canetinha que "tira" a cutícula, mas usei só uma vez e voltei ao método tradicional. Mandei dois alicates através de uma amiga para amolar no Brasil e assim garanto minhas unhas feitas por mais um tempão.

E vocês, se viram nos trinta também? Fazem as unhas? Depilação? Pagam pra fazer? Conta pra mim vai! Beijos!!
Continue lendo ››

12.3.12

Thun

Cidade de Thun, banhada pelo rio Aare

Saindo de  Berna é muito fácil chegar a Thun, seja de trem (20 minutos) ou de carro. A cidadezinha é super linda e pequena e dá pra ser visitada em uma tarde. Vale o passeio!


Thun existe desde o século 12 e o nome provém da linguagem celta que significa "cidade fortificada. As informações são daqui. Dentre as atrações da cidade estão o castelo, as ruazinhas com os pavimentos altos e a arquitetura em estilo medieval. No dia em que fomos o castelo estava fechado, mesmo assim valeu a pena, pois a área ao redor dele é bem bonita.

Casas típicas ao redor do castelo

Ruas do centro com pavimentos altos



Por causa da proximidade com os Alpes de Berna, Thun atrai muitos turistas, a vista para os alpes  é de tirar o fôlego de tão linda!


Alpes ao fundo: para se admirar!!

O dia de sol fez com que muita gente saisse de casa e foi difícil conseguir um lugarzinho em um café.

Centro de Thun em um dia lindo de início da Primavera

Para quem quiser passear por uma cidadezinha agradável e linda na região de Berna, fica a dica :-).

SweetZerland
Continue lendo ››

9.3.12

Bolacha Maria


Alguém lembra dessa bolacha? Nossaaaa, fazia muito tempo que eu não via! Não lembro quando foi a última vez que eu comi a bolacha Maria no Brasil. Ontem no Migros, que é uma grande rede de supermercados da Suíça, dei de cara com a Maria na prateleira. Não resisti e além da foto, coloquei uma na minha cestinha. Apesar da variedade de bolachas que temos aqui, não há igual as nossas do Brasil como a passatempo, aveia e mel, Bonno, cream craker... hummm, bateu saudade agora.


Arroz Carolina do supermercado Migros.
Lembra muito o nosso arroz brasileiro

De vez em quando esse supermercado me surpreende! Apesar de encontrar nele pouquíssimos produtos made in Brazil (basicamente algumas frutas como banana, limão), há uma variedade de coisas que lembram o nosso país e que podem ser substituidos facilmente pelos produtos brasileiros. Já encontrei no Migros, mandioca, couve, tem sempre maracujá (da Colômbia ou da Africa), manga, leite condensado (que fica escondido, tem que ter a "manha" para encontrar...rs.., fica junto com os açucares e mel).

Leite condensado do Migros.
Não deixa nada a desejar comparado ao nosso Leite Moça.

A minha cozinha "expat" vai se adaptando aos produtos locais e posso dizer que me viro bem. No começo depois de comprar muitas coisas erradas a gente vai aprendendo.

A vantagem de cozinhar no Brasil é que há facilidade de encontrar muitas coisas frescas, quase o ano todo, muitas vezes com bom preço, a carne não tão cara, enfim a variedade. Aqui eu digo que a facilidade é cozinhar "sofisticado", por exemplo fazer um prato com um presunto de parma que não vai te custar os "olhos da cara", ou com um queijo suíço ou francês, uma massa italiana, sobremesas com chocolates finos e etc... uma coisa compensa a outra.

E eu ando com uma vontade de comer uma feijoada...já andei até pesquisando na internet como fazer uma feijoada "genérica"...hahaha, eu chego lá :-)

Continue lendo ››

7.3.12

A fofoca


Não podemos esquecer a lição da sombra: "Toda vez que falamos de alguém, mal ou bem, estamos falando de nós mesmos - o que tememos ou o que desejamos ser”.
Waldemar Magaldi



Atire a primeira pedra quem nunca se pegou fofocando falando de alguém!! As vezes, dependendo da forma como isso é feito, eu entendo que pode ser um desabafo. Afinal quem nunca desceu a lenha falou da sogra, do chefe, da cunhada, da prima, e por ai vai... faz bem jogar pra fora e desabafar sobre alguma atitude de determinadas pessoas que nos incomodou ou nos magoou e por algum motivo não tivemos chance de falar diretamente para elas.

O problema é quando isso se torna patológico. Vocês já repararam como tem gente que sente prazer em fofocar? Gente que te encontra e vai logo comentando sobre fulano ou sicrano, gente que parece estar sempre mais interessada na vida alheia do que na própria vida?

 É complicado, pra não dizer perigoso, dar atenção para quem não faz nada, além de fofocar. Porque o "amigo", que fala mal para você do outro "amigo", também falará mal de você para um outro "amigo". Não se engane, você não será poupado.

Conheci gente que era tão interessada na vida alheia que estava sempre "analisando" o relacionamento da fulana com o marido, a situação financeira da beltrana, as compras que a outra fulana fazia... ah pelo amor de Deus!!! O contato com essa pessoa começou a me incomodar de um jeito que eu fui cortando o papo e acabei dando um basta, não tive mais saco saúde pra isso, me afastei! Fico imaginando o que ela não falava de mim quando eu virava as costas... Eu é que não quero uma amiga dessas!

Claro que as vezes a gente se diverte fazendo fofoca comentando sobre a vida alheia, mas de maneira saudável, se é que posso dizer assim, por exemplo, falando dos famosos ou das pseudo celebridades, aquela coisa de jogar conversa fora, é engraçado, todo mundo ri, mas não é aquela fofoca maldosa, com veneno, sabe? É aquela coisa de precisar falar e as vezes eu preciso mesmo reclamar desta gringaiada, então eu falo mesmo...rs.. até porque eles devem fazer o mesmo com os estrangeiros que vivem aqui :-).

Pois é, quem fofoca muito está fugindo de olhar para si mesmo, pois a vida do outro tende a ser mais interessante. A fofoca como um hábito é a projeção do nosso interior. Pensemos nisso!


Continue lendo ››

4.3.12

Berna


Parlamento de Berna

Neste final de semana fomos mais uma vez a Berna e eu não canso de achar a cidade linda!! Sem contar que o povo de lá é super simpático e freundlich (amigável). Desta vez acordamos super cedo e fomos a um lugar que sempre quisemos conhecer e que sábado deu certo para visitarmos: O Centro Paul Klee. Para quem está no centro de Berna há um ônibus com o letreiro Paul Klee Zentrum que te deixa praticamente na porta. O Centro Paul Klee é lindo!! São três pavilhões compostos pelo museu Paul Klee, centro de exposições, centro de estudos, cursos de pintura e restaurante. Um espaço aberto, iluminado e muito agradável, vale a pena conhecer!!


Centro Paul Klee em Berna

Paul Klee trabalhou muito com a arte abstrata, que eu e o marido gostamos muito. Aproveitamos a oportunidade e compramos essas duas gravuras que vamos enquadrar para decorar a casa :-).

Paul Klee - Übermutig
 
Paul Klee - Insula Dulcamara

De lá seguimos para o centro de Berna que estava lotado. Sábado é assim mesmo. Bern, nome que vem da pronúncia do nome "urso" (bäre em alemão) e em Berna há um fosso onde ficam "expostos" os ursos. É uma atração turística mas eu fico com um pouco de dó de ver os bichinhos ali.


Berna é a capital da Suíça, embora muitos pensem que a capital seja Zurique, talvez por ser a cidade mais "famosa" da Suíça. A estrutura da cidade de Berna, principalmente a do centro, é em grande parte medieval e foi tombada pela Unesco como patrimônio mundial da humanidade.




Talvez o mais famoso símbolo de Berna seja o Zytglogge, que é o relógio que está em uma torre medieval e cujos bonequinhos que estão dentro dele se movimentam a cada uma hora.  


Devido aos seis quilômetros de arcadas, o centro velho de Berna possui uma das mais longas avenidas comerciais cobertas da Europa. Bom para compras em dias de chuva :-)

Rua comercial do centro velho de Berna
De Berna é possível chegar rapidamente em Thun, que é uma cidadezinha lindaaaaa!! De carro são somente uns 25 quilômetros saindo de Berna. De trem é possível chegar lá em 20 minutinhos. Escreverei Um pouco sobre Thun em outro neste post.

SweetZerland
Continue lendo ››

1.3.12

Willkommen März

Lago de Zurique


O mês de março por aqui começou lindo de viver! Sol e friozinho, clima super agradável. Já já a cidade estará cheia de flores celebrando a Primavera, que é uma das minhas estações preferidas!! Não sou muito fã de verão não, aqueles dias super quentes, dispenso! Eu sei que tem gente que adora, mas eu me contento com um solzinho de 25 graus no máximo e está bom demais :-).




Ontem fui até o centro de Zurique resolver algumas coisas e depois dei uma caminhada pelo lago que estava lotado! Já tinha até grill, gente parando para comer uma Bratwurst (a famosa salsicha alemã) e tomando cerveja. Incrível como com o sol tudo muda! Parece que não tinha ninguém trabalhando e hoje deve estar igual pois o sol continua brilhando com tudo!!




Fico esperando pelas Tulipas, que já podem ser encontradas nas floriculturas, mas gosto mesmo de vê-las nos canteiros da cidade. A foto abaixo foi feita em Genebra nesta mesma época no ano passado.


Na primavera o tempo por aqui é muito mutante. Os suíços (e acho que os alemães também) usam a expressão " Sauwetter", que em português significa algo como "tempo de M&%*", que é quando o tempo muda repentinamente e de repente de um dia para o outro fica tudo nublado, esfria e pode até nevar e todo mundo, que meio já se preparou para a primavera, precisa sair correndo e recolher as flores e os vasos que tinham posto do lado de fora.

Willkommen Frühling!!
Bem vinda Primavera!!



Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...