31.1.12

Coisas que eu gosto na Suíça

Uma seleçãozinha básica de algumas coisas que eu gosto. Claro que algumas coisas não existem só na Suíça, mas foi aqui que eu vivenciei/provei melhor cada uma delas. Tem coisas daqui que eu também não gosto, mas com certeza são bem menos do que as que eu gosto. Vou tentar pensar em um post sobre isso também:-).


Rivella: um refrigerante suíço feito com o soro do leite que é uma delícia, principalmente no verão. O meu sabor preferido é o Rivella Light Blau.



Transporte público: Pontual, eficiente, seguro e limpo. Até hoje o transporte daqui nunca me deixou na mão. Você se sente respeitada como cidadã sabendo que o seu direito de ir e vir estará garantido.





Estações do ano bem definidas: É possível sentir e aproveitar cada estação do ano, sem pressa e apreciar a beleza de cada uma delas... E também provar alguma culinária sazonal de acordo com a estação.

Foto: geo-reisecommunity.de

Pães: Adoro a variedade e os sabores dos pães que são encontrados aqui: pão preto, com grãos, com sementes, de muitas variedades! Já provei até pão feito com pedaços de flores!



A natureza sempre perto da cidade: Por mais que você more em um centro urbano, sempre haverá próximo de você um bosque, um lago, um riacho, um parque, qualquer coisa que te leve a ter um contato com a natureza sem precisar "viajar" para chegar lá. Eu mesma moro há 20 minutos de distância a pé de uma floresta linda!!!








Continue lendo ››

29.1.12

Zürich - centro velho

A região do centro velho de Zürich é chamada de Niederdorf e é banhada pelo Rio Limmat. De um lado dele está a parte histórica e do outro o centro financeiro. É nessa área que se concentram a maioria dos hotéis para quem quer ficar hospedado mais próximo ao centro da cidade e à área da Bahnhofstrasse. Nesta região também está a maior concentração de restaurantes e bares. De restaurantes típicos como mexicano, espanhol, italiano, sushi bar, cozinha suíça,  tem um pouco de tudo.

Rio Limmat, Zürich



É em Niederdorfli também que está o lado mais alternativo da cidade: ateliês de arte, roupas com design criativo, cinema com programação não tão comercial, especialidades, etc... O bom é caminhar sobre a rua principal, a Marktgasse, sem pressa e ir entrando e saindo das vielinhas paralelas.


Marktgasse



Google imagens
Na Marktgasse também está localizado o café mais antigo da cidade e o meu favorito: o Café Schöber que tem uma decoração vermelha super pesada que lembra um cabaré e tem doces deliciosos.
A área do Café Schober com decoração vermelha é super aconchegante mas ao finais de semana é muito difícil conseguir uma mesa lá. Os outros ambientes também são interessantes, mas este tem um charme todo especial.

Quem quiser provar algo da cozinha suíça eu indicaria o restaurate do Hotel Adler (Adler's Swiss Chuchi, o nome está escrito no dialeto suíço) ou o Restaurante Zeughauskeller que não fica nesta área. Ele está localizado próximo a Paradeplatz bem pertinho da igreja St.Peter, esse restaurante existe desde 1927. O cardápio do Zeughauskeller é extenso, há desde as Bratwurst (salsichas alemãs) a carnes de porco, carneiro e vaca.
Restaurante Zeughauskeller. Foto: inzueri.ch
Zürich é muito tranquila, pode se dizer até meio "parada" para os padrões de cidades que eu estava acostumada, mas eu aprendi a gostar da cidade assim do jeitinho que ela é. As vezes eu sinto falta sim de mais agitação, mas ai é só marcar um encontrinho com amigas na cidade que eu ganho o dia :-)

SweetZerland

Continue lendo ››

26.1.12

Ladrões de moedas

Parada do tram na parte central de Zürich

Há alguns dias atrás Zürich foi vítima de vandalismo e roubo durante a noite. Na cidade toda existem máquinas para compra de tickets para tram e/ou ônibus. Nas estações de trem é possível a compra com dinheiro, cartão ou moedas, mas nas ruas só é possível a compra destes bilhetes com moedas. Aqui você precisa de moeda pra quase tudo, independente de onde você vá é sempre bom carregar algumas na carteira.


Máquinas para compra de tickets para tram e/ou ônibus. Foto: Jornal 20 Minuten
Foram essas máquinas o alvo do vandalismo. Fizeram uma espécie de "arrastão" na cidade e muitas máquinas foram quebradas e todas as moedas roubadas. Segundo a VBZ, a empresa que administra esse serviço, o montante roubado foi pequeno em comparação com os danos que os ladrões causaram para empresa e a população. Não sei como os passageiros farão para pegar o transporte público. Segundo a empresa as máquinas são esvaziadas regularmente e a quantidade de moedas dentro de cada máquina não devem ultrapassar 100 francos. A empresa tem como repor o material destruído, porém não tanto para o número de máquinas que foram danificadas. O porta voz da empresa disse que sempre houve vandalismo mas nunca como agora e ele se disse chocado.

É díficil entender o que leva essas pessoas a se marginalizarem. No Brasil teriamos sempre uma justificativa: desigualdade social, falta de oportunidades, pobreza, se bem que nos últimos tempos muitos jovens de classe média alta têm cometido diversos delitos, então a pobreza por si só não seria uma justificativa. Mas e aqui??

Outra coisa que tenho observado é a quantidade de jovens que começam a beber muito cedo (fumar também, e as vezes não cigarro) e a partir dai começam os problemas com a marginalidade e a deliquência.

A polícia espera que testemunhas presenciais se apresentem para ajudar na identificação dos suspeitos. Até agora ninguém foi preso.

Continue lendo ››

25.1.12

São Paulo

Avenida Paulista - Google Imagens
Hoje São Paulo comemora 458 anos! A minha cidade. Onde eu nasci, vivi, cresci, onde estão meus amigos e minha família, a cidade que me proporcionou tudo o que eu sou hoje e o que eu me tornei. A cidade que me deu oportunidades, onde eu estudei, trabalhei, enfim a cidade que eu carrego no meu coração onde quer que eu vá.

Um pedacinho do centro de SP

Saudade da atmosfera de São Paulo, da correria, da movimentação, das inúmeras opções de lazer, dos barzinhos, das pessoas de lá, da Avenida Paulista, do centro, da Rua Augusta, do bairro da Liberdade, quem é de São Paulo vai entender.

Acho que não tem paulistano que não conheça essa música do vídeo. Eu a escutava todos os dias de manhã no Plantão de Notícias pela Jovem Pan FM enquanto me arrumava para trabalhar. Eles repetiam a hora insistentemente para ninguém se atrasar.


Feliz Aniversário São Paulo!!!




Continue lendo ››

24.1.12

Echarpes

Desde que eu me mudei para a Suíça adquiri o hábito de usar echarpes em qualquer estação do ano. Se no Brasil o comum era usá-las somente no outono-inverno, aqui praticamente se usa o ano inteiro. Até porque nunca que sabe quando vai soprar aquele ventinho mais gelado.




Echarpes são super versáteis e podem mudar qualquer visual. Uma calça básica+uma blusa básica + uma echarpe estampada dá um up em qualquer visual.  Sou fã. Com o passar do tempo também adquiri o hábito de ir comprando uma aqui outra ali, então quando me dei conta percebi que tinham muitas que eu estava esquecendo de usar. Fiz uma pequena arrumação por esses dias e tentei organizar um pouco. Encontrei esse cabide de argolas no Ikea e achei ideal para pendurar echarpes e deixar dentro no guarda-roupa. Assim ficou mais fácil visualizar e não esquecer de usar nenhuma.


Também separei as mais quentinhas para serem usadas no inverno.


Agora é me controlar para não comprar mais... o problema é que eu não resisto a uma "sale" e quando vejo já estou voltando para a casa com mais uma echarpe na sacola :-).



Continue lendo ››

20.1.12

"Eu sei, mas não devia"

Uma amiga postou hoje um vídeo no facebook que me fez refletir bastante. Porque a gente se acostuma com tantas coisas quando não deveríamos? E quando percebemos já estamos tão acostumados que nos esquecemos de nos desacostumar.

"Eu sei que a gente se acostuma. Mas não devia".

Um lindo texto da Marina Colassanti que ficou ainda mais intenso na voz do Antonio Abujamra.

 



Bom final de semana!!


Continue lendo ››

18.1.12

Meu blog


Google imagens

Quando pensei em criar um blog, a primeira razão foi ter algo novo e diferente para fazer. Comecei a ler outros blogs e fui percebendo que escrever  também me faria bem. Mostrar um pouco sobre o país em que eu vivo, uma outra cultura, aprender, opinar, conhecer, interagir, discutir, fazer amizades ainda que virtuais, enfim realizar uma série de coisas que um blog proporciona quando usado de maneira saudável. Em nenhum momento pensei em mostrar a minha vida em detalhes para um mundo virtual que muitas vezes pode ser cheio de más intenções. Primeiramente o blog é para mim. Pensei em tudo isso porque hoje visitando alguns blogs que eu gosto de ler, um deles estava fechado e só aberto para convidados. Nem era um blog que eu visitava com frequência, mas fiquei imaginando que a dona dele pudesse ter tido algum problema ou ela quis somente se resguardar por um período ou está em fase de introspecção... sei lá....

Eu sou uma pessoa reservada. Não gosto de expor a minha vida para quem não conheço direito, por isso as vezes algumas pessoas podem achar que sou superficial ou algo assim, mas prefiro esperar, conhecer melhor as pessoas para me abrir. Já fui diferente e me decepcionei com pessoas que eu não conhecia direito e que eu imaginei que pudesse  confiar e compartilhar os meus pensamentos. Aprendi que o silêncio e a privacidade valem ouro. Também sei que com um blog você não pode exigir privacidade integral, mas você pode sim se preservar. Percebi também que algumas pessoas glamourizam a vida através de um blog porque faz bem mostrar para os outros que a vida é perfeita, quase como uma revista "Caras". Claro que nós vivemos de altos e baixos, tem gente que gosta de ficar de mi mi mi e reclamando da vida a torto e a direito e as vezes a gente precisa mesmo desabafar, e nesses momentos ler um carinho de alguém que escreve do outro lado faz um bem danado. Mas quando a pessoa só escreve para se lamentar também cansa quem lê. Nem tanto ao mar, nem tanto a terra.

Ao contrário de mim meu marido não curte redes sociais e blogs. Ele não é adepto de facebook nem nada desse tipo. Ele é super cuidadoso com dados pessoais, fotos e segurança na internet. Como ele trabalha com informática e já viu casos de fraudes envolvendo internet e roubo de dados, eu entendo as preocupações dele e respeito o seu ponto de vista, mas eu acho que basta ter alguns cuidados e dá sim para se proteger.

Estou começando agora neste mundo de blogs e até o momento tenho visto, lido e aprendido muita coisa legal. Estou conhecendo novas pessoas, aprendendo sobre novas culturas (tem um monte de brasileirinha expatriada por ai), enfim, a blogosfera é um mundo. Sei também que neste mundo internético pode ter muita maldade, mas eu penso que é como um canal de TV, você pode controlar o que quer ver e pronto.
Continue lendo ››

17.1.12

Cachorros

Cadelinha

Eu não tenho cachorro. Na minha casa no Brasil há alguns anos atrás tivemos um cachorro que ficou conosco por muitos anos. O nome dele era Negão e ele era mesmo especial. Morreu velhinho e foi duro pra todo mundo. Depois de algum tempo meu pai apareceu com outro cachorro, esse viveu conosco alguns anos, mas morreu cedo.

Depois disso ficamos anos e anos sem ter cachorro. Depois de duas perdas, fomos nos desacostumando a ter bichos em casa. Foi ai que um dia, sem mais nem menos, apareceu uma cadelinha em casa. Ah, foi uma surpresa e ninguém a queria em casa, afinal não sabíamos de onde ela tinha surgido, se estava doente, a casa ia bem sem ter cachorro e etc... Fizemos de tudo para que ela fosse embora. Mas ela sempre dava um jeito e entrava pela fenda do portão, ou entrava na casa da minha tia (nossa vizinha) e pela casa dela pulava para a nossa casa. Então começamos a alimentá-la, não íamos deixar a cachorrinha com fome. E fizemos mais tentativas para que ela fosse embora. Ela não cedeu.

Aos poucos fomos também nos apegando a ela. Lembro que uma amiga minha foi em casa e ela disse que essa cachorrinha havia nos escolhido para ser a família dela. Achei aquilo tão lindo!! Afinal os animais também têm sentimentos. Então aceitamos a Cadelinha, esse é o nome dela, começamos a chamá-la assim, depois tentamos dar um outro nome, mas ai já não funcionava mais. Hoje ela é o xodozinho de casa e como é valente essa cachorrinha! Ela não tem medo de nada e defende a gente.

A Cadelinha quando fez a operação para castração
Semana passada assistindo a um canal de televisão da Alemanha, vi uma reportagem sobre uma espécie de tráfico de cachorros. Um cachorro de raça na Alemanha pode custar a partir de 1000 euros, então criou-se um "business" para este segmento. O "negócio" começa em uma cidade da Polônia que faz fronteira com a Alemanha. Em um lugar precário, existe uma espécie de criadouro de cachorros de raça. O lugar é insalubre, os cachorrinhos vivem todos juntos, apertados em um espaço pequeno e de lá são levados para cidades alemãs e vendidos como se tivessem pedigree, isto é, são atestados por um veterinário corrupto que estão sadios, com as vacinas em dia e etc... Não muito tarde muitos se apresentam doentes e por vezes não resistem. Foi muito triste assistir a isso, eu não imaginava que houvesse esse tipo de tráfico. As pessoas que compram obviamente não sabem, talvez desconfiem por causa do preço "baixo", cerca de 500 euros, quando na verdade um animal bem tratado e com atestado verdadeiro de pedigree pode custar o dobro ou mais.

Dalmatas fotografados por mim em alguma rua da Suíça
E europeu adora um cachorro! Desconfio que gostem mais de cachorros do que de gente, rs. Aqui na Suíça há muitos e todos os que eu vejo são bem cuidados, nunca estão na rua sozinhos e eu nunca vi cachorro de rua (vira lata). Pra ter um cachorro aqui é preciso pagar taxa, é permitido que eles andem nos trams, bus e trens. Se forem cachorros pequenos que possam viajar no colo eles não pagam passagem, mas se o cachorro for grande é necessário comprar um ticket para ele. Na França a situação ainda é mais "séria". Em algumas cidades que eu conheci eles são super bem vindos até nos restaurantes, eu particularmente não gosto, mas depois de um tempo acaba-se acostumando a presença deles. Na Suíça a maioria dos cães são adestrados - ouvi dizer que é obrigatório, mas não tenho certeza - e por isso são tão calmos. Lembro que no Brasil vira e mexe tinha um cachorro avançando nos pedestres.

Não sei se um dia teremos um cachorro, eu acho bonitinho e tal, meu marido também, mas pra ter um em casa já é outra história. Por enquanto eu já me dou por satisfeita vendo os cachorrinhos passeando pelas ruas :-)

Continue lendo ››

15.1.12

Compras na Alemanha

Google imagens

Não é de hoje que muitas pessoas que vivem na Suíça vão até a Alemanha para fazer compras e economizar. Atualmente com a crise do euro ficou até mais vantajoso atravessar a fronteira (para quem mora perto) e ir às compras na França, Alemanha, Itália ou Austria. Esse "fenômeno" foi até matéria no Estadão, quem quiser pode ler aqui. Muitos que vivem na Suíça estão atravessando a fronteira para aproveitar a valorização do franco suíço frente ao euro.

Sábado nós aproveitamos e fomos às compras na vizinhança. Recentemente nós compramos na Alemanha alguns móveis para a nossa casa, o que foi muito mais vantajoso do que comprar aqui na Suíça. Para ter uma idéia o mesmo móvel que nós compramos na Alemanha custou metade do preço do mesmo móvel que nós havíamos visto em uma loja daqui.  A nossa intenção era comprar uma nova cama mas não encontramos nenhuma que fosse do nosso gosto. Nós tínhamos a opção de visitar outras lojas, mas como o dia estava lindíssimo com frio e ensolarado, mudamos o itinerário e fomos em uma outra cidadezinha alemã chamada Waldshut com a intenção de aproveitar mesmo o dia, ir a um café, andar um pouquinho e etc...

Waldshut é uma cidade bem pequenina e agradável, eu moro há 40 km de lá. A cidade tem um bom comércio e muitos suíços e moradores da Suíça lotam a cidade aos sábados, principalmente para fazer compras e economizar.


Foi ai que resolvi entrar em uma loja de produtos para higiene pessoal porque a gente sempre precisa de alguma coisa, rs.. Aliás nessa loja, chamada Müller, tem um pouco de tudo (higiene pessoal, produtos de limpeza, chocolates, vitaminas e etc...) Foi ai que eu choquei com os preços!!! Realmente quando na Alemanha, vale a pena fazer algumas compras e também vale pesquisar bastante por lá, pois algumas coisas podem não compensar comprar. Vejam só algumas coisas que eu comprei e o quanto economizei:
 
1 euro= 1,20 francos

Tirando a gasolina que não chegou a 9,00 francos e mais 2,50 euros que pagamos de estacionamento deu pra economizar bastante com coisas pequenas mas que fizeram uma grande diferença. Na verdade a compra deu um pouquinho mais porque alguns itens comprei duas unidades e quando cheguei em casa e fui pesquisar os preços, me arrependi de não ter comprado mais. Agora já disse para o marido que daqui ha um ou dois meses vamos voltar lá e comprar produtos de higiene pessoal que usamos sempre para dois ou três meses!! O limite de compras na fronteira são de 300 francos por pessoa e você ainda pode reaver uma % do que comprou porque há uma diferença entre os impostos da Suíça e da Alemanha. 

Além de Waldshut, existe uma outra cidade alemã chamada Konstanz que também atrai muita gente da Suíça atrás de bons preços. Essa cidade está mais ou menos há uma hora de trem partindo de Zürich. 

Vou seguir aproveitando a valorização do franco e economizando no que eu puder na vizinha Alemanha:-). 

* Outras informações sobre o que vale pena comprar na Alemanha você encontra neste post aqui.

Continue lendo ››

9.1.12

Eu e as crianças

Desde que me mudei do centro de Zürich para um dorf tenho visto muitas crianças andando pelas ruas indo ou voltando da escola, no campinho batendo uma bolinha, sozinhos ou em grupo, ou com o pai e a mãe.

No geral as crianças daqui são tímidas e reservadas, tipicamente como o povo suíço. Você brinca, faz uma gracinha qualquer, elas sorriem mas logo se encolhem envergonhadas. Ultimamente tenho sido abordada por elas o que me deixa surpresa porque no geral elas não são de se aproximarem de estranhos, pelo menos no centro da cidade não era assim. E gente que fofas!! Cada uma mais lindinha que a outra, vontade mesmo de apertar! O problema da abordagem é que elas vem falando comigo no dialeto suíço (schweizer dutschi) e eu não entendo lhufas! Ai eu peço encarecidamente que elas falem em hoch deutsch (o alemão "puro", aquele que a gente aprende na escola, mas que não ouvimos nas ruas ). Claro que elas olham para mim com aquela carinha e devem pensar: "Nossa de onde será que ela vem"? Algumas vezes elas continuam falando, no dialeto, claro (se nem suíço adulto gosta de falar em alemão imagine as crianças), e eu entendo umas poucas palavras, falo alguma coisa em hoch deutsch e elas me olham com uma cara de "nossa mas não foi sobre isso que eu falei" :-).

Google imagens

Hoje mesmo voltando do supermercado no caminho de casa um menininho começou a puxar papo comigo, e ele mesmo já estava papeando com a menina do setor de pães do supermercado. Juro que ele parecia com o menino do filme "Esqueceram de mim", tão simpático e falante!! Mais uma vez boiei. Ele me perguntou minha idade (isso eu entendi, haha), onde eu morava, falou mais um monte de coisas que eu fingi entender. Tomou o rumo dele e eu o meu.

Será que eu consigo um trabalho em um kindergarten (*)?

(*) creche/jardim de infância
Continue lendo ››

5.1.12

Cheiros...

Eu tenho uma memória olfativa muito forte. Cheiros me remetem automaticamente a alguma lembrança que eu vi ou vivi através de lugares, pessoas, comidas, momentos que marcaram a minha vida. Quando entro em algum lugar conhecido que já tenha o cheiro característico de repente me vem aquela sensação especial que não consigo explicar.  Até hoje se eu usar um perfume "antigo" automaticamente vou me lembrar dos lugares em que eu o usava, do trabalho e etc....

Agora estou numa fase de perfumes para ambiente. Adoro entrar no banheiro e sentir o cheirinho de laranja ou limão que os difusores deixam no ar. Tenho um no banheiro que tem um aroma com um mix de laranja com limão, bem refrescante e outro no lavabo com aroma de laranja.



Também gosto de deixar um difusor na mesinha de centro da sala. É tão gostoso sentar no sofá e de repente sentir aquele cheirinho bom... Eu queria comprar um aroma especial para deixar na sala, então fui à L'occitane e comprei a essência de Verbena, que é deliciosa. O vidrinho do difusor é vendido a parte, mas eu o achei meio carinho (27 francos só o vidro!!) e como eu sou pão dura  econômica, comprei só a essência e em outra loja comprei um vasinho que serviu como difusor :-

Original L'occitane

Minha adaptação na mesinha de centro da sala

Outra coisa que eu acabei tomando gosto também foram por velas perfumadas. Descobri recentemente as velas da Yankee Candle e nossa os aromas são perfeitos!

Google imagens
Já experimentei a Clean Cotton e a Beach Walk. Mas velas eu só acendo de vez em quando e preferencialmente quando o marido não está em casa, pois ele tem medo pavor de acontecer algum acidente e incendiar a casa, rs... até medo de fazer um fondue em casa ele tem... fica apavorado com medo de pôr fogo em tudo...hahaha.

Quando eu morava no Brasil eu não via tantos perfumes de ambiente (agora parece que é meio moda lá tambem né?), também não me interessava tanto por coisas de casa:-). Mas aqui são tantas opções e em tantos lugares que fica difícil não se apaixonar!! Amo deixar a casa perfumada!
Continue lendo ››

3.1.12

Zürich

Vou começar a escrever pouco a pouco sobre as cidades suíças que já visitei/conheci por aqui. Vou tentar mostrar um pouquinho da Suíça :-). Já conheci muitos lugares, pois a Suíça não é um país grande o que faz com que a mobilidade por aqui seja bem fácil. O país inteiro tem aproximadamente 8 milhões de habitantes e está sub dividida em 26 cantões ou estados.

A Suíça é um país lindo, organizado, seguro e caro para se viver, porém com uma média salarial adequada o que faz com que a maioria consiga levar uma vida confortável, com ou sem luxo, dependendo do ponto de vista de cada um.

As cidades mais internacionais são Zürich e Genebra. Eu morei durante os meus primeiros 2 anos e alguns meses no centro de Zürich e eu amava!!! Estava no coração da cidade, perto de tudo (aliás nada é tão longe aqui) e com vista para o lago de Zürich.  Agora moro há exatos 27 minutos de Zürich por trem e também perto de outros centros comerciais. Estou amando minha nova casa, o novo "dorf" (são os nomes dados aos bairros que estão fora do perímetro central da cidade). Saimos do aluguel e do apartamento que já estava ficando pequeno para  nós dois e partimos para a compra da casa própria. Uma das razões que nos levou a escolher o local em que vivemos agora, é que a estação de trem é perto de casa - mas não tão perto que possamos ouvir o barulho dos trens - o bairro é residencial e com muita facilidade de ir e vir para o centro de Zürich e outros lugares.

Sempre me perguntam quantos dias são necessários para conhecer Zürich. Ninguém conhece nada em um dia, mas para ver o principal de Zürich digo que um dia é suficiente. Zürich também pode servir de base para conhecer outras cidades que estão mais ou menos próximas a ela.

Saindo da Bahnhof (estação central) você dará de cara com a Bahnhofstrasse que é uma das ruas de comércio mais caras do mundo e onde se concentram muitas grifes e as lojas dos famosos relógios suíços. Mas também há lojas acessíveis como H&M, Zara, Mango e lojas de departamento como Globus, Manor e Jelmoli (sendo essa a mais cara). Na parte final da Bahnhofstrasse é que estão as lojas de grife: Vuitton, Chanel e etc...


Não são permitidos carros em toda a extensão dessa rua, somente circulam os tradicionais bondes azuis de Zürich. Atenção: Nunca atravesse na frente de um, é muito perigoso pois o "tram" (como são chamados aqui) não conseguem frear a qualquer momento e já aconteceram acidentes fatais.
De lá é possível caminhar até o lago de Zürich, passando pela Paradeplatz - o centro financeiro de Zürich - onde se concentram os maiores bancos de investimento e onde estão algumas das maiores fortunas do mundo:-).


Paradeplatz
Não deixe de caminhar pelas ruazinhas paralelas a Banhofstrasse e se perder nas ladeiras e nas lojinhas de souvenirs. Da Paradeplatz é fácil chegar andando ou de tram até o lago de Zürique que é lindo!!

Gramado ao redor do lago de Zürich onde no verão o pessoal relaxa e toma sol
Apesar de ser uma cidade cosmopolita Zürich é muito tranquila para se viver e com uma qualidade de vida excepcional. O transporte público é ótimo, há várias opções de lazer, a cidade é organizada e linda! O custo de vida é alto e muitos se assustam a primeira vista. Sim, é uma cidade cara para fazer turismo, mas nada que um bom planejamento não possa resolver. Vou escrever mais em outro neste post sobre o outro lado da cidade, o centro velho de Zürich conhecido por aqui como Dörfli, mas oficialmente chamado de Niederdörfli.

SweetZerland
Continue lendo ››

2.1.12

Resoluções para 2012

Eu não sou muito de fazer listas para o ano novo, mas lendo alguns blogs achei interessante escrever e no final do ano ler e ver o que consegui realizar, o que mudou, o que ficou pelo caminho, etc...

Pra começar que eu sou geminiana, com ascendente em aquário e lua em áries. Pra quem entende um pouco de astrologia sabe que gêmeos é um dos signos mais mutantes do zodíaco. Mudamos de interesse como quem muda de roupa, isso as vezes é um problema porque demoramos para focar em algo, mas por outro lado é um signo com grande facilidade para adaptação e é super versátil. Bom, já estou mudando de foco de novo...rs... à lista (ordenada aleatoriamente):

- Eliminar dois quilos que eu adquiri ao longo do ano e que começam a me incomodar
- Começar algum exercício físico, sou super preguiçosa para atividade física
- Ler alguns livros em alemão para aprimorar o idioma
- Encontrar um trabalho
- Ser mais organizada com o meu tempo ocioso
- Guardar dinheiro
- Terminar de decorar a minha casa
- Deixar de ser boba ingênua (tenho um grande problema em acreditar que todo mundo é "legal".) Aos poucos eu estou aprendendo a não esperar tanto das pessoas, pois eu esperava receber (atençao, amizade, afeto, carinho...) na proporção que eu dava, e isso muitas vezes não acontecia, principalmente com amigos. 

E em 2012 já
"comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável... Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama... Amor-próprio"
Charles Chaplin

Que todos que passem por aqui tenham sucesso e que consigam atingir as suas metas. Beijossssss
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...