30.12.11

Feliz Ano Novo

O ano novo na Europa não é lá dos mais animados, quando o conceito de animação é brasileiro então, nem se fala. Por aqui é frio, muitas vezes chove ou neva, então já viu... Ano passado fomos assistir  à queima de fogos no lago de Zürich, até que não estava tão frio, mas mesmo assim foi desconfortável... todo mundo super agasalhado, esperando a queima de fogos começar. Ai termina, todo mundo vai embora, ou alguns aproveitam para tentar a sorte e encontrar um lugar legal para ir, porque afinal fica tudo lotado mesmo e para entrar em alguns lugares só com reserva.

Este ano iremos para o Casino de Baden com um casal de amigos. Espero que seja animado!!

E o que dizer sobre a teoria de quais cores usar no Reveillon? Os "místicos" dizem para não usar preto ou marrom pois não são boas cores para entrar o ano. Por aqui é o que se vê...rs... Casacos quentes na maioria das vezes não têm cores tão diversificadas, acaba sendo marrom, preto, bege ou com alguma sorte vermelho. Branco, azul, amarelo que nós brasileiros gostamos tanto de usar na entrada do ano novo por aqui fica difícil.

Desejo que 2012 seja repleto de conquistas para todos nós!!

Continue lendo ››

17.12.11

A Burca e o véu

Quando eu cheguei aqui fiquei impressionada ao ver muitas mulheres, em Zürich principalmente, usando o véu islâmico. Com alguma frequência via também mulheres trajando a Burca. Hoje isso já não me chama mais tanta atenção. Em São Paulo eu lembro de ter visto pouquíssimas vezes mulheres trajando o véu, era uma cena bem rara mesmo.

Me lembro tão bem de um dia em que eu estava na Bahnhof (Estação central de trens) de Zürich e uma mulher trajava uma burca negra. Ela estava completamente coberta e só era possível enxergar um pouco dos seus olhos. Lembro que eu a encarei, mais por curiosidade mesmo e nossos olhares se fixaram por alguns segundos. Pensei tantas coisas sobre ela em poucos segundos: "o que será que ela faz?", "de onde ela é?", "será que não é difícil enxergar o mundo com esse manto negro?" e por ai vai... Poucos minutos depois um homem se aproximou e eles sairam andando. Constatei que ele poderia ser o marido dela ou alguém da família, já que pelo que sei algumas mulheres islâmicas são desaconselhadas a sairem desacompanhadas, ou seja, sem a presença de um homem da família. 

Google imagens
 Daí que existe toda uma polêmica em torno da proibição ou não do uso véu em órgãos públicos. Na Suíça não há uma mobilização neste aspecto, o país se mantém neutro. Na França o governo Sarkozy proibiu o uso do véu nas escolas.

Há um ano atrás mais ou menos houve um pleibiscito na Suíça sobre a construção de um Minarete, que é a torre de onde partem os chamados para as orações diárias dos mulçumanos. A maioria dos suíços votou contra e o Minarete não será construído.

Lembro de ter lido no site do Estadão que uma mulher se recusou a tirar o véu para fazer um exame para a carteira de habilitação e agora ela processa a auto escola por discriminação.

No meu curso de alemão tive colegas mulçumanas, algumas trajavam o véu, outras não. Eu, confesso que morria de curiosidade para ver os cabelos delas, hahaha, coisa de mulher. E quando eu perguntava sobre o véu elas me diziam que em casa não o usavam e que era permitido apenas á familia e ao marido vê-las sem o véu. Opressão? Eu particularmente não gosto de religiões que controlem ou delimitem o meu modo de vestir como também não concordo com a proibição do véu como fizeram na França.

Giovana Antonelli como "Jade" na personagem da novela O Clone.

Tenho uma colega iraniana que é socióloga e vive aqui na condição de asilada. Ela não pode voltar ao Irã pois corre risco de morte por causa do governo autoritário de Ahmadinejad .
*Amina não usa o véu. Ela me disse que é muçulmana e o seu coração sabe disso e ela quer ser livre para fazer essa escolha. Mas no país dela isso não é uma escolha e sim uma ordem!

Cada vez mais eu percebo que o fundamentalismo é triste. As religiões não deveriam provocar ódio ou discórdia. Bom seria se todos se respeitassem e conseguissem chegar a um entendimento, independente da fé que professem. A humanidade ainda não evoluiu a tal ponto.

*nome fictício.
Continue lendo ››

15.12.11

Hundertwasser

Hoje o google ponto ch, de e at (Suíça, Alemanha e Austria), presta uma homenagem a Friedensreich Hundertwasser , nome artístico do pintor e arquiteto austríaco Friedrich Stowasser. Hoje também é aniversário de outro importante arquiteto: Oscar Niemayer e o google Brasil não fez nenhuma homenagem a ele.

Hoje, se vivo, Hundertwasser completaria 83 anos. Confesso que quando morava no Brasil não o conhecia . Quando me mudei para cá, através do meu marido passei a conhecer e a me interessar pelos trabalhos dele. 

Ele realmente foi um visionário, que nos anos sessenta já se preocupava com a natureza e com a harmonia entre arquitetura e ecologia. Eu fiquei apaixonada pela arquitetura que ele pregava. Quando estivemos em Viena esse ano, por sorte, havia uma exposição no Museu que leva o nome dele. Na exposição havia várias menções à paixão dele por dias chuvosos. Ele mencionava que em dias chuvosos "as cores começam a brilhar", e ele criava muito nestes dias. Não pudemos fotografar a exposição, mas fizemos muitas fotos externas.



Hall do museu Hundertwasser
Fachada do Museu Hundertwassser em Viena









Compramos também duas gravuras para enquadrar, o que ainda não fiz porque não encontrei uma moldura do tamanho adequado.



Hundertwasser tem trabalhos ao redor do mundo. Um outro lugar muito visitado em Viena é um edifício residencial que foi projetado ou inspirado (não estou bem certa) por ele. É interessante, mas sinceramente eu não gostaria de morar em um local de "peregrinação" de turistas. Já pensou, acordar de manhã, descer pra trabalhar e já dar de cara com um monte de gente fotografando o prédio em que você mora?..rs..

Edifício residencial em Viena projetado por Hundertwasser

No mezanino tem até um café e lojas com produtos com a temática Hundertwasser.

Aqui na Suíça também estivemos em um mais um local inspirado em Hundertwaser. Fica no Cantão de St.Gallen e chama-se Markthalle Altenrhein, que é algo como um mini museu, lojinha de produtos, um café e restaurante.

Quem quiser conhecer um pouco mais sobre Hundertwasser pode consultar esse site aqui com informações em inglês ou alemão.
Continue lendo ››

Cabelos

Desde que estou morando aqui procurei substituir tudo o que fosse substituível (of course pessoas não estão incluidas aqui). Ou seja, me adaptei aos produtos, comida, roupas, cremes e etc... que posso encontrar por aqui.

Pois bem, pensando nisso, logo que cheguei aqui uma das minhas preocupações era com o meu cabelo. Sim, meu cabelo sempre foi meio problemático: ele não é liso, não é cacheado, ele é algo meio indefinido. No Brasil era fácil cuidar, não que eu frequentasse salão de cabeleleiro todo o final de semana, aliás eu ia em salão só para cortar e fazia escova somente em ocasiões especiais (casamento ou uma super festa). Nunca fui dependente de salão de beleza e nem me sentia intima destes lugares.

Antes vir pra cá cai na besteira de fazer a tal da progressiva, acreditando nos milagres que ela prometia, que a dose de formol contida era permitida e bla bla bla... e ainda trouxe o produto comigo para aplicar no meu cabelo. Foi a pior coisa que eu fiz! No começo o cabelo fica lindo e maravilhoso, mas depois (meu caso), foi quebrando, e ficando aquela coisa alisada, espichada e estranha. Ai comecei a ler alguns blogs especializados, opinião de profissionais e fui percebendo que a podressiva progressiva é uma fraude...rs... Não condeno quem usa, para algumas pessoas funciona, mas não foi o meu caso.
A foto está no blog citado, que é contra a escova progressiva e esclarece muitas coisas sobre este "tratamento".
No facebook vejo diariamente profissionais oferecendo cremes trazidos do Brasil para cuidado dos cabelos. Oferecem também tratamentos que o nome eu já nem me lembro mais.
Com tanta oferta de bons produtos disponíveis por aqui eu sinceramente não vejo necessidade de comprar cremes brasileiros que certamente nem fariam efeito se usados com a água daqui que é super calcária. Não critico quem compre, cada um usa o que quer...


Cabelo com a escova progressiva

Cabelo sem progressiva e tratado com hidratação






















Bom resumindo, o que salvou meu cabelo foi a tesoura e hidratações semanais. A máscara da Kerastase (que é cara mas vale cada centavo, juro!), os produtos da Schwarzkopf (já usei linha profissional e linha de mercado), Loreal Absolut Repair foi outra que ajudou no resgate dos meus cabelos.





Hidratação e paciência. Demora, mas o resultado vale a pena. E você pode fazer tudo sozinha, lavou, enxuga um pouquinho com a tolha, aplica a máscara, 5 minutinhos e voilá!
Continue lendo ››

14.12.11

A culinária suíça e o nome do blog

Eu pensava que eu não conhecia muita coisa da culinária suíça porque quando me perguntavam quais eram as comidas típicas daqui eu dizia "ah.... tem o fondue que é comido no inverno, raclette e os chocolates"...




Depois eu soube que a culinária suíça não é muito rica mesmo. No cantão em que eu vivo que é de influência alemã, os pratos a base de carne de porco predominam. Os cantões do lado francês e do lado italiano por sua vez são influenciados pela culinária francesa e italiana respectivamente.

A maioria dos suíços fazem somente uma refeição quente por dia: o almoço (Mittagessen) e a noite se come pão Abendbrot (pão da noite) acompanhado por queijo e/ou presunto. Um jantar (Abendessen) em algumas casas, não é comido todos os dias. Aqui em casa eu cozinho dia sim dia não.

Um outro  prato típico é o Rösti que consiste em batata ralada temperada e frita na manteiga. 


Por aqui se come muita batata, pães (que eu amo!!) e por conta da imigração já há muitos restaurantes italianos, thailandes, chineses, indianos, e por ai vai. Muitos suíços apreciam a culinária indiana e thailandesa. Foi morando na Suíça que eu aprendi a cozinhar e a fazer pratos a base de curry e com pimenta vermelha.


 Quiosque de pães da feirinha da estação central de Zürich

Em compensação os doces aqui são maravilhosos! mas vou deixar esse assunto para outro post :-)

Auf wiedersehen!
(Até logo)
Continue lendo ››

9.12.11

À espera do Natal!!

Adoro o Natal! Acho que inconscientemente essa época do ano faz as pessoas acreditarem que o amor existe, apesar de todo o apelo consumista que está envolvido na data.

Zürich e os arredores da Suíça ficam encantadores nesta época. Os mercados de natal, as vitrines, as comidinhas típicas, o gluhwein (o vinho quente daqui), tudo é super especial. Todos estão torcendo para termos um natal branquinho pois por aqui ainda não nevou e nem esfriou tanto assim para essa época do ano. Hoje temos 11 graus, o que não é nada mal para o início de dezembro.

A árvore de natal da  estação central de Zürich está linda. Toda decorada com cristais Swarovski é uma atração no mercado de Natal



Além disso outros mercados de natal estão espalhados pela cidade, muitas coisinhas gostosas, algumas coisas típicas e outras nem tanto pois alguns comerciantes aproveitam para vender toda a sorte de quinquilharias...rs...

Mercado de Natal na Hauptbahnhof de Zürich:

 

Mercado de Natal da Bellevue e decoração dos arredores:




Outra atração é esse "trenzinho" de natal (Märlitram) patrocinado por uma loja daqui. Dentro vão "anjinhos" e crianças. Esse ano eu ainda não o vi. A foto é do ano passado.



A minha árvore de Natal já está pronta. Porque, contrariando a tradição suíça - aqui a tradição é comprar um pinheiro natural e enfeitá-lo somente no dia 24 - eu não aguento esperar tanto para montar a árvore, acho bem sem graça fazer isso somente na véspera....rs..

Vou ver se coloco mais enfeites na minha árvore, tô achando ela um pouco apagadinha..rs..

O próximo passo será começar a fazer as bolachinhas de natal. Espero que dê certo :-)
Continue lendo ››

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...